Impressão 3d na confecção de órteses: vantagens e desvantagens!

Compartilhe »»

A impressão 3D tem demonstrado grandes aplicações dentro da área de Tecnologia Assistiva (TA) no desenvolvimento de produtos para auxílio na vida diária, órteses e próteses. Mas quais são as vantagens e desvantagens do uso deste tipo de tecnologia no desenvolvimento destes produtos?

Bom, sabemos que os dispositivos de TA comercialmente disponíveis, como adaptações para vida diária, apresentam alto custo e seleção limitada. Já, por meio da impressão 3D, é possível oferecer não somente uma redução de custos, mas a personalização e melhorias, tanto funcionais, quanto estéticas.

Uma das principais vantagens relacionadas a produção de órteses, tanto de membro superior, quanto de membro inferior, é a capacidade da reprodução das medidas dos usuários sem o contato direto, por meio de scanners 3D. Substituindo o método desconfortável que usa molde de gesso, ofertando ao usuário um processo mais confortável, rápido, sem riscos e com maior precisão no registro das medidas do usuário.

Além disso, por meio do uso do scanner 3D, além de criar órteses que atendem minimamente as necessidades dos usuários, é possível eliminar fatores externos que possam oferecer risco, como inexperiência do profissional, manipulação excessiva do material (que pode gerar desconforto e os indesejáveis pontos de pressão). Além de propor soluções de melhorias inovadoras que não possíveis por meio dos materiais tradicionais.

Outro ponto interessante do método de impressão 3D é sua matéria-prima. O plástico PLA, além de ser biodegradável, quando submerso em água quente, altera suas propriedades, amolecendo e assim sendo apto a realizar ajustes diretamente no membro do pacientes, da mesma forma como realizado pelo método tradicional utilizando termoplástico de baixa temperatura. Lembrando ainda, que o PLA possui mais uma vantagem por ser um material de baixo custo.

Por outro lado, quais as desvantagens da impressão 3D? O primeiro ponto é o custo de investimento, tanto em equipamentos, quanto em capacitação sobre os processos de produção que envolvem a impressão 3D. Isso se deve ao ainda baixo número de profissionais que trabalhem diretamente com o desenvolvimento destes produtos.

O tempo de produção também pode ser considerado um ponto desfavorável. Enquanto uma órtese de membro superior, utilizando material termo moldável, pode ser produzida em até 2 horas (por um profissional qualificado e experiente), os processos envolvendo o método 3D, podem levar de 6 a 9 horas, do escaneamento à impressão do modelo.

Importante salientar que, embora o tempo de projeto e produção de uma órtese 3D seja maior, os erros projetuais são significativamente menores em relação ao processo tradicional, uma outra vantagem, além das já pontuadas acima.


Nenhum comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.

Tecnologia do Blogger.