Destaques

Últimas notícias

Semana do Trânsito prioriza atenção às pessoas com deficiência

Semana do Trânsito prioriza atenção às pessoas com deficiência

Detran faz blitz para divulgar importância de sinais sonoros em semáforos, na L2 Sul.  Em todo o DF existem 252 sinaleiros

ROSI DE ARAÚJO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: FÁBIO GÓIS

Durante a blitz educativa, os agentes alertaram todos para o fato da L2 sul, na altura da 612, ser um ponto de trânsito frequente de deficientes | Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

O semáforo acende a luz vermelha, os carros param e um sinal sonoro alerta o motorista para a possibilidade de travessia de uma pessoa com deficiência visual. A cena faz parte do dia a dia de quem passa pela avenida L2 Sul, na altura da Quadra 612. O local foi escolhido por educadores do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF), nesta segunda-feira (21), para uma blitz educativa. A ação faz parte da programação especial da Semana Nacional do Trânsito, comemorada entre os dias 18 e 25 deste mês.

Os agentes de fiscalização e educação do Detran-DF abordaram 180 veículos em uma hora de ação e alertaram todos para o fato de o local ser um ponto de trânsito frequente de deficientes, afinal é caminho para o Centro de Ensino Especial de Deficientes Visuais (CEEDV). A escola, antes da pandemia, chegou a abrigar centenas de alunos de várias regiões administrativas do DF.

O diretor de Educação de Trânsito, Marcelo Granja, explica que o tema da Semana de Trânsito deste ano – “Perceba o risco e proteja a vida” – é muito sugestivo e se relaciona diretamente à data de 21 de setembro, Dia de Luta das Pessoas com Deficiência. “Estamos trabalhando a educação com todos os modais – motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres. E, dentro deles, sabemos a importância das pessoas com deficiência e desenvolvemos ações específicas para elas, inclusive em parceria com o CEEDV”, contou.

Nas vias urbanas do Distrito Federal, sob competência do Detran-DF, há 539 semáforos convencionais e 252 com sinalização sonora. Esses últimos instalados onde é comum a travessia de deficientes visuais. A ação na altura da 612 Sul, além da abordagem aos veículos alertando para o significado do sinal sonoro, incluiu distribuição de material educativo. Itens como máscaras de proteção facial e cartilhas sobre deveres e direitos no trânsito foram entregues pelos educadores de trânsito aos condutores.

Salvando vidas

O foco durante esta semana é proporcionar mais compreensão sobre como cada modal deve se relacionar com o mais frágil, que está desvantagem física. Ainda segundo o diretor Marcelo Granja, nem sempre é possível perceber a deficiência de um pedestre de imediato.

“Muitas vezes não é uma deficiência exposta, física. Como são casos de deficientes visuais que não usam a bengala ou têm baixa visão”, esclareceu.

Além dos motoristas, o departamento trabalha com ações de conscientização dos próprios deficientes. “Fazemos ações junto com as escolas e os familiares para alertar para posturas necessárias que o pedestre precisa ter com sua própria vida”, destacou.

A secretária da Pessoa com Deficiência, Rosinha da Adefal, lembrou que boa parte das pessoas com deficiência hoje, estão nesta situação porque sofreram acidentes de trânsito. Por isso, ela destaca, a importância das campanhas preventivas no trânsito e da coincidência das duas datas. “É preciso ter mais consciência e respeito à legislação. Se existe uma lei é pra ser cumprida para a segurança de todos”, afirmou.

Fonte: Agência Brasília

Codhab: pessoas com deficiência poderão ter casas reformadas

Codhab: pessoas com deficiência poderão ter casas reformadas

O subprograma Melhorias Habitacionais vai priorizar o atendimento e garantir acessibilidade, mobilidade e qualidade de vida na moradia

AGÊNCIA BRASÍLIA * I EDIÇÃO: CAROLINA JARDON

Casa adaptada às pessoas com deficiência 

Descrição da imagem #pracegover / #legendaacessível: 
A imagem mostra um quarto com janelas e uma cama de solteiro e uma mesinha e debaixo uma cadeira de rodas


A Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab) e a Secretaria Extraordinária da Pessoa com Deficiência (SEPD) assinaram acordo de cooperação técnica para atender exclusivamente Pessoas com Deficiência (PcD) pelo subprograma Melhorias Habitacionais que vai reformar as residências das pessoas com deficiência para, assim, oferecer acessibilidade, mobilidade e qualidade de vida na moradia.

“Isso demonstra claramente a importância dessas pessoas. Estamos orgulhosos em proporcionar moradia digna e ajudar quem mais precisa. Essa é a nossa missão e a do governador Ibaneis Rocha, afirma o presidente da Codhab, Wellington Luiz.

A prestação do serviço especial será feita por uma equipe multidisciplinar, composta por arquitetos, engenheiros, assistentes sociais de ambos órgãos, que serão responsáveis pela seleção dos beneficiários. O processo será realizado em duas etapas: análise técnica da habitação e desenvolvimento dos projetos de requalificação, e a segunda, a viabilização das obras.

A assistência técnica em arquitetura e engenharia é um direito social assegurado pela Lei Federal nº 11.888/08 que garante dignidade, qualidade, salubridade, acessibilidade, sustentabilidade e segurança, reparando problemas estruturais das unidade habitacionais das pessoas com deficiência física.

Além do presidente Wellington, a solenidade da assinatura do acordo contou com a presença da Secretária da SEPD Rosinha da Adefal e do Deputado Distrital Iolando Almeida.

Critérios de participação PcD

Para participar é preciso ter:

  • laudo comprovando a deficiência;
  • renda mensal de até três salários mínimos;
  • viver no DF há pelo menos 5 anos;
  • habitar em área de interesse social regularizada ou passível de regularização;
  • ser responsável pela residência;
  • residir em imóvel com problemas relacionados à acessibilidade, insalubridade e falta de segurança;
  • não possuir outro imóvel.

Atualmente, as intervenções podem receber o investimento de até R$ 25 mil para os casos de inadequação habitacional (reformas/ampliação) e até R$ 50 mil para os casos de precariedade habitacional (reconstrução completa), conforme definido pela Resolução nº 173/2020.

Inscrição

As inscrições começam no dia 1 de outubro e poderão ser realizadas por meio do aplicativo Codhab. O prazo se encerra no dia 31 de outubro ou até o preenchimento total das vagas abertas. Esta primeira fase vai beneficiar a cidade de Brazlândia. Ao todo, serão 40 famílias, das quais 30 serão escolhidas para atendimento imediato após classificação. O restante irá fazer parte do cadastro reserva.

Posto da 112 Sul 

Além da assinatura do acordo, a Codhab também firmou Termo de Compromisso para manter o Posto Cidadania, localizado na estação do metrô da 112 Sul que atua prioritariamente no atendimento de pessoas com deficiência. A estrutura possui equipamentos de acessibilidade, tais como rampa, elevador e central de interpretação de libras.

A SEPD vai dar treinamento e cursos de capacitação para os servidores da Codhab no atendimento para as pessoas com deficiência.

* Com informações da Codhab

Fonte: Agência Brasília

Fotografia inclusiva é premiada no Buriti

Fotografia inclusiva é premiada no Buriti

Todas as cidades do DF vão receber exposição itinerante com as 30 melhores imagens

HÉDIO FERREIRA JÚNIOR, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: RENATA LU


Governador Ibaneis Rocha entrega prêmio ao vencedor do concurso de fotografia inclusiva, Rafael Augusto Matsutacke | Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Na data em que comemorou o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, o Governo do Distrito Federal (GDF) premiou os vencedores do concurso de fotografia inclusiva promovido pela Secretaria da Pessoa com Deficiência. Os três primeiros colocados receberam troféus e premiações de R$ 1,5 mil (primeiro lugar) , R$ 1 mil (segundo lugar) e R$ 500 (terceiro lugar) , em uma solenidade no Salão Nobre do Palácio do Buriti. Os protocolos de segurança, respeitando o distanciamento entre os convidados, foram atendidos.

A organização recebeu mais de 150 inscrições e selecionou 30 imagens para compor uma exposição itinerante que percorrerá diversas regiões administrativas do DF. Todas as imagens escolhidas foram feitas por câmeras de celular.

“Eu acho que esse concurso foi uma iniciativa de grata sabedoria por reunir, num momento como esse de pandemia, 150 fotos que serão divulgadas com alegria para que todas as pessoas possam ver um trabalho excepcional, que merece nosso apoio”, afirmou o governador Ibaneis Rocha.

Concurso de fotografia inclusiva vai premiar registros

Foram premiados Rafael Augusto Matsutacke, primeiro lugar; Gislene Vidal, em segundo; e Erika Guedes, em terceiro. “Quisemos, por meio dessa primeira edição do concurso, dar visibilidade a essas pessoas, além de aproximar outras ao tema, promovendo inclusão, cidadania e representatividade”, afirmou a secretária da Pessoa com Deficiência do DF, Rosinha da Adefal. Neste mês, a pasta completou um ano de atividade.

Também participaram da solenidade os secretários da Casa Civil, Gustavo Rocha, e de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani.

Participaram da solenidade o deputado Iolando, a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, o Governador Ibaneis Rocha, a SEPD-DF Rosinha e o secretário da Casa Civil, Gustavo Rocha. 

                                        

1º lugar - Foto de Rafael Augusto Matsutacke

2º lugar - Foto de Gislene Vidal

3º lugar - Foto de Erika Guedes




Fonte: Agência Brasília

Instituto PremieRpet® apoia o Projeto Cão-Guia do Distrito Federal

Instituto PremieRpet® apoia o Projeto Cão-Guia do Distrito Federal

Trabalho pioneiro no Brasil treina cães que ajudam a melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência visual 

Cleide Oliveira, de Branded Content 

Cães da raça Labrador são maioria entre os animais treinados para ajudar os deficientes visuais - Reprodução Facebook

O Instituto PremieRpet®, braço social da PremieRpet®, é uma associação sem fins lucrativos mantida prioritariamente com recursos da venda dos produtos da linha PremieR Nutrição Clínica. Sua finalidade é fomentar a pesquisa científica, além de apoiar ONGs, ações e projetos que promovam o bem-estar e a longevidade de cães e gatos, com impacto positivo também na comunidade. 

Uma das iniciativas apoiadas é o Projeto Cão-Guia de Cego, do Distrito Federal, que desde 2001 atua na reintegração da pessoa com deficiência visual na sociedade. Trabalho pioneiro no Brasil, a iniciativa oferece a oportunidade de melhoria de qualidade de vida, inclusão social, mobilidade e segurança por meio da companhia dos cães-guia para pessoas cegas. Desde sua criação, o Centro de Treinamento já capacitou e integrou 47 cães para acompanhar indivíduos com diferentes graus de deficiência visual. 

Maria Lúcia de Campos, Coordenadora Administrativa do Projeto, se envolveu desde o início das atividades, primeiramente como família hospedeira, que acolhe o filhote de forma voluntária para um período de socialização. Para ela, a parceria com o Instituto PremieRpet® é essencial para a realização do projeto. “Sem a distribuição da ração para todos os cães do projeto, desde filhotes aos cães adultos em treinamento, e até mesmo alguns cães já idosos aposentados de seu trabalho como cão-guia, seria impossível cuidar de todos eles”, afirma Maria. 

A cada três meses eles recebem cerca de dois mil quilos de ração da linha PremieR Raças Específicas Labrador. A raça é maioria entre os animais treinados para acompanhar os deficientes visuais e, de acordo com a coordenadora, esse apoio é fundamental. “Principalmente quanto à saúde dos cães, pois uma boa alimentação é o fundamento para todo o processo de desenvolvimento do cão-guia”, explica Maria Lúcia. 

Para a sociedade, ela acredita que o benefício é poder oferecer apoio de forma gratuita aos deficientes, já que o trabalho é voluntário. Portanto, não há lucro financeiro envolvido na entrega. “Sem a parceria da PremieRpet® não seria possível manter o altíssimo nível da alimentação dos nossos cães”, reforça a coordenadora. 

 A força do voluntariado 

Com um plantel de 40 animais em atividade, o projeto conta com funcionários e voluntários. Quem pretende colaborar deve ter 18 anos ou mais, preencher um cadastro e, caso seja aprovado no processo de seleção, participar do treinamento específico. Há várias funções de voluntariado: família hospedeira, que socializa os filhotes; família de acolhimento, para os cães idosos ou em tratamento devido à problemas de saúde; voluntário do dia, que atua por algumas horas ajudando com banhos e outros cuidados; e voluntários especialistas, categoria em que se inserem os veterinários, psicólogos, entre outros profissionais. 

Além do Instituto PremieRpet®, outros parceiros ajudam a manter o funcionamento das atividades. “O Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, de onde vem os nossos treinadores; clínicas veterinárias e laboratórios; e o Hospital Veterinário da Universidade de Brasília”, conta a coordenadora. 

No momento, devido à pandemia,as inscrições para atuar como colaborador ou voluntário estão temporariamente fechadas. . “Até mesmo o número de funcionários tivemos que reduzir”, informa Maria Lúcia. Toda a divulgação das ações é feita por redes sociais, por meio da entrega de panfletos em eventos e também pelas famílias hospedeiras. Neste último caso, fora do período de isolamento, os cuidadores temporários dos cães costumam visitar locais públicos como shoppings, escolas e universidades para compartilhar informações e conscientizar a sociedade. 

O Instituto PremieRpet® 

O Instituto PremieRpet® é uma associação sem fins lucrativos, que tem por finalidade apoiar e incentivar pesquisas, estudos e ações que objetivam a promoção da saúde, qualidade de vida e longevidade de cães e gatos, assim como apoiar ações sociais das mais diversas. 

PremieRpet®. Existimos para tornar a relação das pessoas com os seus animais de estimação a mais próxima, prazerosa e longa possível. 

Reprodução Facebook - PremieRpet® Raças Específicas Labrador mantém a nutrição e a saúde cognitiva dos cães-guia


Reprodução Facebook - Atividades do Projeto são divulgadas em feiras e eventos, como a Cãominhada Solidária 


 Fonte: Virtz R7
Carteira para autista vai ajudar o GDF a conhecer este público

Carteira para autista vai ajudar o GDF a conhecer este público

Documento vai reforçar o acolhimento na rede de serviços já existente. A validade do título será de cinco anos

ANA LUIZA VINHOTE, DA AGÊNCIA BRASÍLIA I EDIÇÃO: CAROLINA JARDON


Acesso prioritário aos serviços públicos e privados é uma conquista que as pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) terão com a emissão da carteira do autista. A lei foi sancionada, em julho, pelo governador Ibaneis Rocha e, nesta segunda-feira (14), foi regulamentada pelo decreto nº 41.184 de 11/09/2020 e publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF). O documento terá validade de cinco anos e vai ajudar o governo local e federal a conhecer melhor o público e, assim, propor políticas públicas específicas.

O documento será parecido com uma identidade, mas terá informações adicionais. Foto, nome completo, filiação, local e data de nascimento, RG, CPF, tipo sanguíneo, endereço residencial completo e número de telefone deverão constar. Também será necessário identificar o responsável legal ou cuidador com nome completo, documento de identificação, endereço residencial, telefone e e-mail.  

Para a secretária da Pessoa com Deficiência, Rosinha da Adefal, a carteira vai servir também como um grande banco de dados, na formulação de políticas públicas específicas para essas pessoas. “Não sabemos quantificar quantos autistas temos no país e no DF. Com a carteira, vamos identificar a quantidade e em quais regiões eles moram. Desta forma, podemos articular ações nas áreas da saúde, educação, assistência social, entre outras”, garante.

Para a presidente interina do instituto Você Nunca Andará Sozinho, Lubna Fontoura, 27 anos, a regulamentação da lei que concede a carteira do autista também é uma forma de conscientizar a população sobre a necessidade de dar atenção especial para essas pessoas. “O autismo é invisível porque, geralmente, não há uma característica física. Essa é uma luta de anos e uma conquista muito grande para eles e seus familiares. Com o documento, as pessoas terão mais sensibilidade e respeito com eles”, ressalta.

Pai de um rapaz autista de 22 anos, Fernando Cota, 52 anos, concorda com Lubna. Diretor-presidente do Movimento Orgulho Autista, ele relata dificuldades do dia a dia. “Por falta de informação da população, uma simples ação diária se torna burocrática. É preciso andar com o laudo para que as pessoas aceitem que você tem direito à vaga de carro ou prioridade em algum atendimento”, lembra. “Ficamos muito felizes com essa lei. Vai facilitar muito a vida de todas as pessoas que vivem essa realidade”, comemora.  

Educação Especial na Pandemia

O GDF já possui políticas voltadas para esse segmento. As escolas públicas, por exemplo, estão aptas a receberem estudantes autistas ou com algum outro tipo de deficiência. As matrículas são feitas em escolas mais próximas da residência ou local de trabalho dos pais ou responsáveis. A maior parte dos estudantes frequenta as salas comuns.

Entretanto, a sala de aula pode conter um número reduzido de estudantes de forma a atender melhor todos os alunos, que têm a oportunidade de aprender a lidar com as diferenças desde cedo. A rede pública de ensino do DF é uma das mais modernas do Brasil no atendimento ao público com TEA.

Para aqueles que precisam de algum atendimento especializado – como os autistas, pessoas com deficiência auditiva e visual ou outra deficiência intelectual, existem os centros de ensino especial. Neles, há salas adaptadas e atividades no contraturno. Segundo a subsecretária de Educação Inclusiva e Integral, Vera Lúcia Ribeiro de Barros, o trabalho da pasta e das escolas da rede pública da capital é voltado para que as crianças autistas tenham convívio social e possam interagir com os colegas.

“Prezamos pelo desenvolvimento social e cognitivo dos nossos estudantes, de forma global e integrada, desenvolvendo todas as habilidades do aluno”, explica.

A secretaria promove a formação continuada dos profissionais que trabalham com esses estudantes, e orienta que as unidades escolares promovam ações voltadas à sensibilização da comunidade escolar quanto às questões relacionadas ao Transtornos Globais de Desenvolvimento (TGD)/TEA.

Neste período de suspensão de aulas devido à pandemia da Covid-19, o órgão elaborou o Plano Pedagógico da Educação Especial para atividades não presenciais na Rede Pública de Ensino do DF, que contém diversas estratégias já adotadas pelos professores da educação especial para contemplar a realidade de cada estudante atendido por essa modalidade de ensino, levando em consideração, inclusive, o contexto familiar.

Nesse sentido, a plataforma Google Sala de Aula tem sido apenas uma das ferramentas para a aprendizagem dos estudantes da educação especial. Nela se incluem encontros virtuais por outros métodos virtuais, disponibilização de material pedagógico e orientações, respeitadas as especificidades e condições dos estudantes. Tudo, garante a subsecretária Vera Lúcia, vai se estender durante o período que durarem as atividades não presenciais.

Atenção à saúde

A saúde pública também é estruturada para atender o público autista. Geralmente, a porta de entrada é a Unidade de Saúde Básica (UBS). No entanto, há também o Centro de Atenção Psicossocial (Caps) para os casos mais graves; o Centro de Orientação Médico Psicopedagógica (Compp) para pessoas com TEA leve ou moderado até 12 anos; e, para os jovens e adultos, o governo disponibiliza o Centro de Referência, Pesquisa, Capacitação e Atenção ao Adolescente em Família (Adolescentro).

Responsável pelo programa de autismo do Adolescentro, Ana Miriam Garcia, explica que no caso do centro, o primeiro passo é o acolhimento. “Fazemos a avaliação para identificar a necessidade do paciente. A partir daí trabalhamos de forma que eles se tornem pessoas mais independentes, de acordo com cada caso. Abordamos temas, como escola, trabalho, sexualidade. Também são feitas atividades com os pais ou responsáveis”. A equipe é composta por assistentes sociais, enfermeiros, psicólogos, terapeutas, fonoaudiólogos, dentistas.      

Assistência social em mais de 160 unidades

Na área de assistência social, os autistas contam com 68 unidades de acolhimento e mais 100 parceiras, como os centros de Referência de Assistência Social (Cras), de Convivência (Cecon), de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop), entre outros.

“Cerca de 30% das vagas são destinadas para aqueles que estão em situação de vulnerabilidade social”, lembra o subsecretário de assistência social, Guilherme Aleixo. “Eles demandam um atendimento especial, sensível, a autistas de grau leve a severo, por isso, a carteira é uma triagem que vai nos ajudar a direcionar esse público”.

Credencial especial para estacionamentos

Em fevereiro desde ano, o Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF) lançou a Credencial de estacionamento para Autista. A nova credencial traz o símbolo universal do autismo – um laço com estampa de quebra-cabeças – e passa a ter validade de dez anos. Antes, eram cinco.

Também não é mais necessário agendar perícia com um médico do Detran. Basta imprimir e preencher o requerimento disponível no site do órgão, anexar o laudo com CRM do neurologista ou psiquiatra que já acompanha a pessoa com autismo e entregar no protocolo das unidades do Gama, Taguatinga, Setor de Transportes e Cargas (antiga Vadel) ou no Detran Sede. Será aceito também o laudo utilizado junto à Receita Federal para redução de IPI ou o apresentado na Secretaria de Fazenda para redução de ICMS.

Para adquirir a credencial, é necessário apresentar comprovante de residência, documento de identificação pessoal, CPF próprio e de pessoa com deficiência e relatório/laudo médico atualizado. Caso seja o representante legal, é preciso anexar alguns documentos que podem ser conferidos no site do Detran-DF.

Máscaras diferenciadas para prevenir da Covid 19

A comissão de aprovados para o cargo de secretário escolar – da Secretaria de Educação – doou, em junho deste ano, 900 máscaras especiais. Os equipamentos de proteção serão usados por intérpretes de libras e autistas severos da capital. A ideia é facilitar a leitura labial para quem precisa de uma comunicação mais clara.

Cortado a laser, o item é feito em acetato. A máscara é reutilizável e a limpeza é feita apenas com álcool a 70%. Na ocasião, também foram entregues máscaras de tecido reutilizável e frascos de álcool gel – recebidos do Grupo Brasil pelo programa Todos Contra a Covid.

Fonte: Agência Brasília

1ª feira nacional online de empregos para pessoas com deficiência

1ª feira nacional online de empregos para pessoas com deficiência

 Consultoria especializada em contratação de pessoas com deficiência promove feira virtual com o objetivo de aumentar a oferta de vagas.

Por Fátima El Kadri

A IncluiPCD 2020, primeira feira nacional de empregos voltada exclusivamente para profissionais com deficiência, pode ser uma boa oportunidade para recolocação. A feira será realizada entre os dias 21 e 28 de setembro, de forma 100% online e gratuita! 

A iniciativa é da consultoria especializada em recrutamento e seleção de pessoas com deficiência com sede em Porto Alegre (RS), e de atuação nacional. 

Guilherme Braga, CEO e fundador da Egalitê, conta que a ideia é impulsionar a oferta de vagas para pessoas com deficiência no mercado, colocando-as em contato direto com as empresas. 

“A ideia é proporcionar, dentro de um ambiente virtual, a mesma experiência que o candidato teria em uma feira de empregos presencial. Estamos incentivando as empresas a cadastrarem o maior número possível de vagas, e não destinar vagas específicas para pessoas com deficiência”, diz ele.

As empresas participantes vão disponibilizar as oportunidades no site durante o período do evento e os profissionais poderão se candidatar às que desejarem, podendo conversar direto com os recrutadores por meio de um chat acessível. 

Além do acesso às vagas exclusivas e da interação direta entre empresa e candidato, os participantes da feira ainda poderão assistir a lives exclusivas, com palestras sobre como se preparar para uma entrevista, legislação e fiscalização, acessibilidade e mercado de trabalho para a pessoa com deficiência e muito mais.

“Todo o ambiente virtual e o conteúdo do evento está sendo preparado com os recursos de acessibilidade”, enfatiza Guilherme Braga.

Tem interesse em participar? Basta acessar o site https://www.incluipcd.com.br/ e fazer sua inscrição. Ao fazer isso, você será informado de todas as atrações e novidades do evento por e-mail. Cadastre-se e participe!

Fonte: Câmara Paulista para a PcD

Instagram adiciona legendas automáticas para vídeos no IGTV

Instagram adiciona legendas automáticas para vídeos no IGTV


Nesta terça-feira (15), o Instagram lançou suas legendas geradas em tempo real para vídeos do IGTV. Criadas por inteligência artificial, a ferramenta tenta aprimorar a acessibilidade da plataforma para público que possui deficiência auditiva, se ajustando automaticamente ao idioma detectado. São 15 idiomas na lista inicial de suporte — incluindo o português brasileiro.

O usuário que precisa ou que gosta de acompanhar o conteúdo com legendas geradas automaticamente pode habilitar o recurso direto das configurações. Assim que ativada, a inteligência artificial levará legendas para a tela sempre que o celular estiver no volume mínimo, adaptando o conteúdo para as pessoas com deficiência auditiva ou para ambientes barulhentos. 

Segundo o Instagram, a inteligência artificial foi carregada com uma extensa variedade de idiomas, tópicos, condições acústicas, gírias culturais e sotaques dos milhares de vídeos já publicados na rede social. Neste primeiro momento, a ferramenta oferecerá suporte para 15 línguas, mas a plataforma promete expandir essa lista ao longo dos meses.

“Quanto mais legendas de vídeo automáticas do IGTV forem usadas, melhor será a precisão da ferramenta”, descreve o Instagram. Sendo assim, o sistema será “retroalimentado” pelo consumo de conteúdo, aprimorando a ferramenta a cada vídeo assistido com legendas e tornando-as ainda mais precisas aos diálogos publicados.

A novidade deve ser introduzida em dispositivos Android e iOS de todo o mundo através de uma atualização; sendo assim, pode demorar alguns dias para que alcance seu celular.

Fonte: Tecmundo

Instituto Grupo Boticário promove uma semana virtual de teatro acessível

Instituto Grupo Boticário promove uma semana virtual de teatro acessível

 Programação apresenta atividades lúdicas para celebrar o Dia Nacional do Teatro Acessível

Semana de Teatro Acessível


#PraCegoVer - Na imagem de fundo rosa claro, a foto do Dr.Botica e do Fragrâncio. Acima da foto, o texto “Semana do teatro acessível” é seguido da frase “Live com o Dr.Botica, dia 19/09, às 16h”. No canto inferior esquerdo, o logo do Instituto Grupo Boticário.


O Instituto Grupo Boticário preparou programação especial para celebrar o Dia Nacional do Teatro Acessível, comemorado em 19 de setembro. Entre este sábado e a próxima quinta-feira, dia 24, as redes sociais do @institutogrupoboticario, @teatrodrbotica e do @shopping_estacao vão oferecer uma série de atividades e atrações para crianças com necessidades especiais. O destaque está na apresentação de uma série de peças e oficinas acessíveis e gratuitas disponíveis para todos os públicos nas plataformas digitais.
A abertura da programação no sábado acontece às 16h em live incrível com nosso mago e amigo Dr. Botica, que terá tradução em libras no Instagram do IGB, seguido do nosso querido Palhaço Salsicha às 17h30 no Instagram do Shopping Estação. E durante o restante da semana seguirão com outros espetáculos e oficinas muito divertidas.

PROGRAMAÇÃO

Dia 19 (sábado)
  • LIVE às 16h: Dr. Botica e Fragrâncio (@institutogrupoboticario)
  • LIVE às 17h30: Aventuras do Palhaço Salsicha - Cia Arteiros (@shopping_estacao)
Dia 20 (domingo)
Dia 21 (segunda)
  • A menina e o Mundo - Cia Substrato Cênico (@institutogrupoboticario)
Dia 22 (terça)
  • Circo em Casa - Piriquitovisk e Ratinha (@teatrodrbotica)
Dia 23 (quarta)
  • A Arte de Contar Histórias - Evaldo Barros (@institutogrupoboticario)
Dia 24 (quinta)
  • Contação de Histórias - Fifi Sabe Tudo (@teatrodrbotica)

Fonte: ABC do ABC
Dia Nacional do Teatro Acessível: direito de todos à cultura

Dia Nacional do Teatro Acessível: direito de todos à cultura


Dia Nacional do Teatro Acessível 
A imagem mostra um palco com cortinas vermelhas aberta. Em cima a logo do Blog (D)Eficiente e no centro o texto Dia Nacional do Teatro Acessível e abaixo as logos que representam as pessoas com deficiência.

Neste sábado, 19 de setembro, é comemorado o “Dia Nacional do Teatro”. Um dia destinado para homenagear uma das expressões artísticas mais antigas da humanidade. 

Além disso, a data ganhou um significado ainda mais importante depois de 19 de setembro de 2017. Neste ano passou a ser também o “Dia Nacional do Teatro Acessível”. A Lei 13.442/2017, sancionada pelo ex-presidente da República, Michel Temer, apoia atividades cênicas que ofereçam práticas de acessibilidade física e comunicativa para pessoas com deficiência. Muito legal, não é?

E sabe o que pode acrescentar um peso maior ainda para esta comemoração? Na segunda-feira, 21 de setembro é celebrado o “Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência”. Afinal de contas, todos e todas deveríamos participar com igualdade em todos os espaços e o teatro é um deles.

Teatro no Brasil

Os primeiros registros do teatro no Brasil foram no século XVI. Seu objetivo era disseminar todas as crenças que a igreja tinha na época. O teatro visto como entretenimento começou a ser considerado “comum”, depois da chegada da família real no país, em 1808. 

Neste período o rei costumava contratar companhias de teatro de outros países para fazer as apresentações para a família real e demais membros da corte. No século XIX começaram a surgir os primeiros grupos teatrais nacionais, que tinham suas peças baseadas principalmente no gênero cômico e satírico. 

Um tempo depois, o teatro sofreu fortemente com a repressão da ditadura militar. Com o fim deste período de regime militar, os artistas cênicos, assim como demais artistas e outros profissionais puderam retomar suas atividades sem serem censurados e sofrerem as crueldades deste período tão sombrio da história brasileira. 

O Dia Nacional do Teatro além de celebrar essa atividade, também promove debates e reflexão sobre o quanto ainda precisa ser melhorado sobre este assunto. A acessibilidade no teatro e em qualquer outro local deveria ser um ponto obrigatório para atenção. As pessoas com deficiência precisam de ambientes em que possam desenvolver todas as suas habilidades e desfrutar de serviços e demais atividades com igualdade.

Teatros Inclusivos

Pedro Prata, coordenador da Escola de Gente, afirma que a organização não-governamental (ONG) atua em prol de direitos humanos, acessibilidade e inclusão. Para ele, a data é uma oportunidade de mostrar que é possível fazer teatro acessível e para cobrar mais iniciativas. "Uma data como essa, na verdade, é um passo inicial para mostrar para o Estado que já existe reconhecimento desse tipo de teatro, dessa forma de fazer cultura, para que possamos caminhar ainda mais", afirma.

O projeto foi criado a partir da campanha "Teatro Acessível — Arte, Prazer e Direitos", idealizada em 2011 pela escola. Desde 2003, porém, a instituição já se mobilizava para promover inclusão no teatro, por meio do grupo Os Inclusos e os Sisos — Teatro de Mobilização pela Diversidade, formado por iniciativa de um grupo de estudantes de artes cênicas que buscou a escola.

"A história, bem resumidamente, é essa: começou como um grupo de teatro, que virou uma campanha e está virando política pública", conta Prata. De acordo com a Escola de Gente, a expressão teatro acessível refere-se à participação de pessoas com deficiência ou com qualquer limitação, temporária ou permanente, em todas as funções das artes cênicas — como plateia, produtores, artistas etc.

Em Fortaleza, o grupo Olho Mágico é o primeiro composto por atores cegos ou com baixa visão. A iniciativa surgiu a partir de uma experiência que o médico, ator de teatro e mágico Marcos Queiroz na graduação em Teatro pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Responsável à época pelo espetáculo "Menos um, -1", que contou com dois atores cegos no elenco, Queiroz teve contato com o chamado Teatro dos Sentidos — que trabalha com pessoas com deficiência visual e pessoas sem deficiência vendadas.

Porém, o coordenador Pedro Prata vê avanços nos últimos anos, como a exigência, em editais, de recursos de acessibilidade para projetos patrocinados pela Lei Rouanet ou por algumas empresas. "Acho que a cultura está passando, neste momento, pelo que a educação passou alguns anos atrás, de se perceber como parte e como direito também de quem tem deficiência.

Fonte: CliccaMaqua e O Povo

IMS promove Fórum de Acessibilidade online e gratuito

IMS promove Fórum de Acessibilidade online e gratuito

O ciclo de conversas acontece em setembro, mês oficial da luta da pessoa com deficiência. Serão abordadas as relações entre arte, educação e saúde nas instituições culturais, além dos desafios e possibilidades gerados pelo ambiente virtual


IMS realiza o 2º Fórum de Acessibilidade - Convergências entre arte, educação e saúde


Nos dias 22, 23, 29 e 30 de setembro, das 18h às 19h30, a área de Educação do IMS promove a segunda edição do Fórum de Acessibilidade. O ciclo de conversas, gratuito e aberto ao público, acontece virtualmente na plataforma Zoom (veja abaixo mais informações sobre como participar). Todas as atividades contarão com intérprete em Libras.

O fórum reunirá convidados de diferentes áreas e territórios em conversas sobre as convergências entre arte, educação e saúde. Os participantes tratarão dos desafios e estratégias para ampliar o acesso à programação dos equipamentos culturais. Também será abordado como o atual cenário, com a pandemia de covid-19, traz novos contornos ao debate sobre  acessibilidade. Entre os participantes, estão nomes como Ciça Cordeiro, da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência de São Paulo, o fotógrafo João Maia e o museólogo Mario Chagas.

A programação começa no dia 22 de setembro, às 18h, com a mesa Museu, acesso e relação. O bate-papo contará com a presença da educadora paulistana Daina Leyton, consultora de acessibilidade cultural, e do museólogo carioca Mario Chagas, do Museu da República. Os dois falarão sobre os impactos da epidemia nas instituições culturais e os desafios em adequar as programações para o meio digital. Diante desse novo contexto, como garantir o acesso, acolhimento e bem-estar do público?

A conversa seguinte será no dia 23 de setembro, às 18h. O fotógrafo piauiense João Maia e o bailarino e ator gaúcho Rogério Andreolli refletirão, a partir de suas próprias experiências, sobre os impactos causados pela pandemia e a importância da acessibilidade virtual.  Maia possui baixa visão desde os 28 anos, quando foi diagnosticado com uveíte bilateral e passou a enxergar vultos e perceber cores. Andreolli, que teve poliomielite aos 9 meses de idade, é ativista no movimento artístico das pessoas com deficiência.

O evento continua no dia 29 de setembro, às 18h, com um bate-papo entre a psicanalista Patrícia Villas-Bôas, do Instituto Sedes Sapientiae, e a jornalista Ciça Cordeiro, coordenadora de comunicação na Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência de São Paulo. As duas falarão sobre o papel da cultura na promoção da saúde mental, em diálogo com as políticas públicas.

A última mesa do fórum, que acontece no dia 30 de setembro, às 18h, será sobre a acessibilidade como  prática educativa em equipamentos culturais. A conversa terá a participação de Fábio de Sá, poeta surdo e professor de Libras na PUC-SP e no CES Rio Branco, e de Viviane Sarraf, fundadora da empresa social Museus Acessíveis e pesquisadora colaboradora do Instituto de Estudos Brasileiros da USP.

Todas as falas do fórum serão gravadas e disponibilizadas, posteriormente, no site do IMS. Veja abaixo mais detalhes de como participar.

Serviço

  • 2º Fórum de Acessibilidade: convergências entre arte, educação e saúde.
  • 22, 23, 29 e 30 de setembro, das 18h às 19h30

Programação completa

  • 22 de setembro, das 18h às 19h30
    • Museu, acesso e relação
    • Participantes: Daina Leyton e Mario Chagas
    • Mediação: Janis Clémen
  • 23 de setembro, das 18h às 19h30
    • O protagonismo da pessoa com deficiência
    • Participantes: João Maia e Rogério Andreolli
    • Mediação: Jhonny Medeiros
  • 29 de setembro, das 18h às 19h30
    • Saúde e políticas públicas no contexto das instituições culturais
    • Participantes: Patrícia Villas-Bôas e Ciça Cordeiro
    • Mediação: Anna Clara Hokama
  • 30 de setembro, das 18h às 19h30
    • Acessibilidade como prática educativa
    • Participantes: Viviane Sarraf e Fábio de Sá
    • Mediação: Júnior Ahzura

COMO PARTICIPAR

  • Evento online. Grátis.
  • Não é necessário se inscrever antecipadamente.
  • Lugares limitados. A capacidade máxima de pessoas por conversa, no Zoom, é de 500 pessoas.

Quando

  • 22, 23, 29 e 30 de setembro, das 18h às 19h30

Onde

  • O evento online acontecerá na plataforma Zoom. Todas as conversas serão transmitidas no mesmo link, que será informado em breve nas plataformas do IMS.
  • Para participar, basta clicar no link na hora do evento.
  • Todas as conversas serão gravadas e disponibilizadas, posteriormente, nos canais do IMS.

Recursos de Tecnologia Assistiva

  • Intérprete de Libras
  • Legendagem em português

Sites:

www.ims.com.br

twitter.com/imoreirasalles

instagram.com/imoreirasalles

https://www.instagram.com/imseduca/

facebook.com/InstitutoMoreiraSalles

Fonte: Revista D+
Governo publica novas regras para concessão do BPC

Governo publica novas regras para concessão do BPC

Benefício é concedido a idosos e pessoas com deficiência 

Por Karine Melo – Repórter da Agência Brasil - Edição: Lílian Beraldo 

Agência do INSS - © Tomaz Silva/Agência Brasil


Novas regras para a concessão, manutenção e a revisão do Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas), pago a idosos acima de 65 anos e pessoas com deficiência, estão publicadas na edição desta quarta-feira (16) do Diário Oficial da União.

Para ter direito ao benefício, no valor mensal de um salário mínimo - R$ 1.045 - é necessário que o rendimento bruto mensal por pessoa da família seja de até 1/4 do salário mínimo (25%), o que corresponde a R$ 261,25. 

Uma das novidades é que agora os valores mensais gastos com medicamentos, alimentação especial, fraldas descartáveis e consultas médicas passarão a ser deduzidos da renda mensal bruta familiar. Mas, para isso, será preciso comprovar a situação com prescrição médica. Também será preciso comprovar que o requerente não recebe esses itens por órgãos públicos.

Documentos

Pelas novas regras fica dispensada a apresentação de documentos originais do requerente, do representante legal e dos demais membros do grupo familiar, quando a informação puder ser confirmada pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) por meio de confrontação com bases de dados de órgãos públicos. Caso haja dúvida quanto à autenticidade ou integridade do documento, o INSS pode exigir, a qualquer tempo, os documentos originais, ficando o responsável pela apresentação das cópias sujeito às sanções administrativas, civis e penais aplicáveis.

Pessoas com Deficiência

No caso das pessoas com deficiência, o benefício estará sujeito à revisão periódica. A concessão do benefício, nesses casos, dependerá da comprovação da deficiência e de renda familiar mensal per capita limitada aos parâmetros de concessão do benefício.

Ainda segundo a portaria, a comprovação da deficiência, para fins de concessão do benefício, levará em conta o impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial e o grau de restrição para a participação plena e efetiva da pessoa com deficiência na sociedade, que implica na incapacidade de trabalhar.

Pela norma, o pedido de benefício será negado se a renda familiar mensal per capita não se enquadrar no limite de 25% do piso nacional ou se a deficiência não for comprovada após a perícia. Apesar disso, quem tiver o pedido indeferido poderá ainda apresentar recurso ao INSS, num prazo de 30 dias.

Assinaturas

Para atestar as informações declaradas no pedido de benefício, além de fazer isso por meio de assinatura que poderá ser eletrônica, ou por acesso com usuário e senha, também serão aceitas, a partir de agora, a certificação digital ou biometria.

Para os não alfabetizados ou impossibilitados de assinar o pedido, será aceita a impressão digital registrada na presença de funcionário do órgão recebedor do requerimento.

Recursos

Os interessados poderão interpor recurso contra a decisão de indeferimento do benefício nos canais de atendimento disponibilizados, no prazo de 30 (trinta) dias contados da data da ciência da decisão, conforme disposto no art. 36 do Decreto nº 6.214, de 2007, e no art. 305 do Decreto nº 3.048, de 6 de maio de 1999." (NR), garantindo ao beneficiário a possibilidade de contestar decisão do INSS junto ao Conselho de Recursos da Previdência Social (CRPS); 

Fonte: Agência Brasil - EBC

Governo Federal nega corte de benefícios para Pessoas com Deficiência

Governo Federal nega corte de benefícios para Pessoas com Deficiência



No início da tarde desta quarta-feira, 16, o Ministério da Cidadania, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia e o INSS divulgaram nota em conjunto esclarecendo “as informações contidas na matéria da Folha de S. Paulo, publicada na noite de 14 de setembro, sob o título “Governo quer corte de R$ 10 bi ao ano em benefício para deficientes e idosos”:

De acordo com a nota “em momento algum o Governo Federal cogitou restringir direitos aos idosos e pessoas com deficiência. Diferentemente disso, o decreto que está sendo gestado, pelo Governo, em conjunto com o Congresso Nacional e a sociedade civil, amplia direitos, adequa a legislação ao que tem de mais moderno no Mundo e inclui mais pessoas dentre os elegíveis”.

Diz ainda a nota que “a proposta apresentada alinha ainda recomendações realizadas pelo TCU ao longo dos últimos anos, tais como:

• Redução da judicialização do BPC pela regulamentação de critérios sedimentados na jurisprudência quanto à renda (enquanto critério objetivo de acesso) e sua composição, evitando que idosos e pessoas com deficiência de baixa renda percorram todo o caminho do processo judicial, quando poderiam e deveriam acessar o benefício por via administrativa;

• Adoção de critérios claros para acesso ao BPC por estrangeiro;

• Racionalização do fluxo de análise; e

• Controle firme acerca de renda do beneficiário ou seu grupo familiar proveniente de regimes próprios”.

Segundo o Governo Federal, a previsão é de que mais 450,6 mil pessoas sejam elegíveis como novos beneficiários do BPC depois da aprovação do decreto em tramitação.

“Esse é um compromisso inafastável do Governo Federal, ampliar direitos dos que mais precisam”, afirmou o presidente Jair Bolsonaro pelas redes sociais.

Fonte: Revista Reação

Webnário - Desafios das Pessoas com Deficiência no Mercado de trabalho

Webnário - Desafios das Pessoas com Deficiência no Mercado de trabalho


A temática da inclusão no trabalho foi escolhida pela organização, por ser um dos principais motivos de luta por dignidade das pessoas com deficiência em nosso país.

Para falar do assunto com propriedade foi montado um time referência pra vocês!

  • Rafael Giguer – Auditor Fiscal do Trabalho e Conselheiro do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CONADE)
  • Romeu Sassaki – Referência no Ativismo de Direitos e Consultor em Inclusão das Pessoas com Deficiência há 60 anos.
  • Marta Gil – Fundadora e Coordenadora do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas. Consultora de Práticas Inclusivas e Empregabilidade da Pessoas com Deficiência.
  • Quem mediará o webinar é o Advogado Thiago Helton – Especialista em Direitos das Pessoas com Deficiência e Famílias.

O evento será transmitido ao vivo pelo Canal das Comissões da OAB/MG no YouTube, no Dia 21 de setembro de 18h às 20h.

É só chegar pessoal! O tema é nobre e merece atenção da sociedade interessada!

Organização: Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da OAB/MG.

Fonte: Revista Reação

LINK DA PUBLICAÇÃO COM TEXTO ALTERNATIVO: https://www.instagram.com/p/CFHwf9tF2_y/?igshid=11v40pxtivb3o

Dia 21 de Setembro - Dia da Luta da Pessoa com Deficiência (Eventos para comemorar essa data)

Dia 21 de Setembro - Dia da Luta da Pessoa com Deficiência (Eventos para comemorar essa data)

Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência foi instituído por iniciativa de movimentos sociais, em 1982, e oficializado pela Lei Nº 11.133, de 14 de julho de 2005[1]. A data foi escolhida para coincidir com o Dia da Árvore, representando o nascimento das reivindicações de cidadania e participação em igualdade de condições.

Essa data foi escolhida por ser próxima ao início da Primavera (23 de setembro) e coincide com o Dia da Árvore, datas que representam o renascer das plantas, que simbolizam o sentimento de renovação das reivindicações em prol da cidadania, inclusão e participação plena na sociedade. Foi Cândido Pinto de Melo, um ativista do movimento das pessoas com deficiência, que propôs, no início da década de 80, esta data. Cândido foi um dos fundadores do Movimento pelos Direitos das Pessoas Deficientes – MDPD, organização de pessoas com deficiência que já se reuniam mensalmente desde 1979, e discutiam propostas de intervenções para a transformação da sociedade paternalista e da ideologia assistencialista.

Em 2008, o Brasil ratificou a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, adotada pela Organização das Nações Unidas (ONU) e o Protocolo Facultativo, e o documento obteve aqui equivalência de emenda constitucional. Da convenção, surgiu a Lei Brasileira de Inclusão (LBI)[2], que trata os objetivos de forma mais concreta.

EVENTOS EM COMEMORAÇÃO A ESSE MÊS DE SETEMBRO:

  • Inclui PCD – Feira Nacional Online de empregos para pessoa com deficiência

Entre os dias 21 e 28 de setembro, acontece a Feira Inclui PCD, que será uma excelente oportunidade para as pessoas com deficiência encontrarem a sua vaga no mercado de trabalho! 

A Inclui PcD tem o objetivo de conectar empresas e pessoas com deficiência em todo o Brasil, oferecendo a experiência completa de uma feira de empregabilidade para pessoas com deficiência em um ambiente virtual.

Durante uma semana, os candidatos poderão assistir a cursos e palestras sobre empregabilidade de pessoas com deficiência, com profissionais de grande experiência no mercado, e poderão ter contato direto com os recrutadores das empresas, tudo isso de forma 100% online e gratuita!

As empresas e candidatos interessados em participar devem fazer a inscrição no site do evento, que é uma iniciativa da Egalité, consultoria de recrutamento e seleção de pessoas com deficiência. Confira a  agenda e inscreva-se em: https://www.incluipcd.com.br/.


  • Webinar: educação inclusiva – Perspectivas e desafios

Em comemoração ao Setembro Verde, mês escolhido para dar visibilidade à inclusão social da pessoa com deficiência, a Comissão dos Direitos das Pessoas com Deficiência da OABSP realiza  o Webinar “Educação Inclusiva – Perspectivas e Desafios” —  no dia 18 de setembro, às 17h. 

O evento contará com a presença da Dra. Maria Teresa Eglér Mantoan, Dra. Carmem S. Cerri Ventura, Dr. Antônio Carlos Sestaro e Samuel Sestaro, que abordarão temas sobre os principais aspectos da educação inclusiva no Brasil – da educação infantil ao ensino superior, aspectos jurídicos da educação inclusiva e educação na prática (boas práticas).
A mediação será realizada pela Dra Vivian Regina de Carvalho Camargo.

O Webinar recebe apoio da Comissão de Cultura e Eventos da OAB SP e da Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down e será transmitido por meio da plataforma Zoom,  com intérprete de libras e legenda no canal da OABSP/Cultura e Evento do Youtube. A participação é gratuita e será fornecido um certificado aos inscritos.

 Inscrições e mais informações neste link

Jovens montam 1° parquinho para crianças com deficiência do RJ

Jovens montam 1° parquinho para crianças com deficiência do RJ

Três jovens voluntários arrecadaram R$ 21 mil para adaptar o local com balanço e gira-gira pensados para crianças cadeirantes brincarem

Jovens criam primeiro parque adaptado do Rio de Janeiro

Ana Clara Arantes, do R7- Divulgação/One by One

O primeiro parquinho adaptado do Rio de Janeiro foi inaugurado pelo projeto Adapta Rio no último mês. A ideia surgiu quando três amigos voluntários da ONG perceberam que as crianças com deficiência tinham limitações para brincar nesses espaços.

Os amigos Luiza Ourivio, 18 anos, Cláudio Palhares e João Roberto Duque, ambos com 17 anos, conseguiram arrecadar o valor necessário para a construção do parque com o apoio da ONG One by One.

"São dois brinquedos: um balanço próprio para cadeira de rodas e um gira-gira, que comporta duas crianças cadeirantes e quatro sem deficiência. A idéia é promover a interação", explica Teresa Stengel, fundadora da ONG One by One.

O objetivo agora é levar esses brinquedos adaptados para diversos locais públicos da cidade, mas ainda não há data para o início das obras. O custa para construir cada parquinho é de aproximadamente R$ 21 mil.

Gira-gira comporta até seis crianças

O primeiro parque adaptado do Rio foi instalado no condomínio Pedra de Itaúna, mesmo local de funcionamento da One by One. Para utilizar os brinquedos as famílias precisam pedir autorização na portaria.

Teresa destaca ainda a importância do projeto para integrar as crianças do condômino com a comunidade ao redor. "Isso é inclusão social e está fazendo a diferença na vida das crianças e na vida do Rio de Janeiro. Estamos fazendo história", afirma.

Fonte: R7 

Cursos e Eventos

Vídeos no Youtube

Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Unawheel - Entrega e primeiro passeio
Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Imagem 1

Imagem 1
20 anos na cadeira de rodas

Imagem 2

Imagem 2
Tetra Dirigindo? Como consegui tirar a CNH

Lives da Fê no Insta

Live com a Ruth Maria

Live com a Ruth Maria
Os desafios e aprendizados da vida na cadeira de rodas.

Live sobre O olhar para a sexualidade.

Live sobre O olhar para a sexualidade.
Converso com a Andréia Ribeiro @realizemudancas sobre O olhar para a sexualidade.

Live com Marcos Zufelato

Live com Marcos Zufelato
Família sobre Rodas com Marcos Zufelato 12/08/2020