26/07/16

Comissão estende isenção de IOF na compra de veículo a pessoas com qualquer tipo de deficiência

Atualmente, apenas as pessoas com deficiência física são isentas do pagamento do imposto na compra de veículos; objetivo é equiparar ao benefício da isenção do IPI

Reportagem - José Carlos Oliveira - Edição - Adriana Resende
Foto: Alex Ferreira / Câmara dos Deputados
                    
Professor Victório Galli apresentou substitutivo que veda a isenção do imposto na a compra de outro veículo antes da quitação do anterior

A Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência, da Câmara dos Deputados, aprovou proposta (PL 4539/16) que concede isenção de Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro e Sobre Operações Relativas a Títulos e Valores Mobiliários (IOF) no financiamento de veículo adquirido por pessoas com qualquer tipo de deficiência.


A proposta é da deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), mas foi modificada pelo relator, deputado Professor Victório Galli (PSC-MT). 

O texto aprovado é um substitutivo, que altera uma lei tributária de 1991 (Lei 8.383/91), para beneficiar também autistas e as pessoas com deficiência física, visual, mental, severa ou profunda nas operações de financiamento de veículo nacional. 

A lei atual só isenta do pagamento do IOF na compra de veículos as pessoas com deficiência física.

IPI

Outra lei  (Lei 8.989/95) já garante a isenção de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), caso a proposta se torne lei, as pessoas também ficariam livres do pagamento do IOF, mais conhecido como Imposto sobre Operações Financeiras, conforme explica Victório Galli.

"A lei atual só contempla o IPI. O IOF, não. O IOF, que se mostra anacrônico em relação ao IPI, eu ampliei mais ainda, no substitutivo, para que a pessoa com deficiência possa ser mais contemplada neste sentido".

Na tentativa de igualar as condições de isenção de IOF às que já existem em relação ao IPI, o relator prevê que o benefício poderá ser usado a cada dois anos diretamente pela pessoa com deficiência ou por seu representante legal. O veículo só poderá ser vendido a partir de dois anos, contados da data da aquisição. 

Para desestimular o endividamento das famílias, Victório Galli incluiu no texto a proibição de isenção de IOF para financiamento de novo veículo até que o anterior tenha sido quitado. No entanto, a transferência de financiamento é permitida. 

Tramitação

A proposta será analisada ainda, em caráter conclusivo, pelas comissões de Finanças e Tributação (inclusive quanto ao mérito); e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:

25/07/16

Em pé, Lais conduz a tocha: "Uma forma de representar os cadeirantes"

Ex-ginasta é ajudada pelo pai no Parque do Ibirapuera, na Zona Sul de São Paulo e passa o fogo olímpico para o também cadeirante Fernando Fernandes, da canoagem

Por Marcello Pires São Paulo

Lais recebe a tocha e a carrega em pé (Foto: Marcello Pires)

Uma das convidadas para conduzir a Tocha Olímpica no Parque do Ibirapuera, Lais Souza cumpriu o prometido. Depois de tirar fotos e receber o carinho de centenas de famosos e curiosos, a ex-ginasta do Brasil completou seu percurso de 200 metros de pé na sua cadeira de rodas, como era seu desejo. Feliz com a chance de fazer parte dos Jogos Olímpicos de alguma maneira, Lais fez questão de dividir sua emoção com várias pessoas.

Não é a Olimpíada, mas foi uma experiência muito bacana. Não foi só Lais que estava ali, foi uma forma de representar os cadeirantes, minha família e tantas outras pessoas que gostariam de fazer parte disso - afirmou a ex-ginasta, que foi ajudada pelo pai no percurso.

Após o seu percurso, ela passou o fogo olímpico para o também cadeirante Fernando Fernandes, campeão mundial de canoagem paralimpica, mas que acabou fora dos Jogos.

Convidada do SPORTV para participar da cobertura da Olimpíada no Rio, Lais diz que vai contar um pouco dos bastidores da ginástica dos Jogos, mas admite que espera encontrar um tempinho para assistir a dois grandes amigos.

Eu estou muito feliz com o convite do Sportv e vou comentar mais ou menos. Vão ter os comentaristas fixos, mas devo contar um pouco dos bastidores da modalidade. Além da ginástica, quero muito ver meus amigos Neymar e Doda. Foi por causa dele que me apaixonei pelo hipismo. Fiz muitos amigos no futebol também, pois isso não tenho um time específico. Gosto de vários - brincou Lais, que deve chegar ao Rio de Janeiro dia 1 de agosto.

Estive no Rio há pouco tempo, mas ainda vi como estão as coisas por lá. Estou muito ansiosa e não vejo a hora de começar a Olimpíada. Quero entrar na Vila Olímpica se for possível. 

Não é a Olimpíada, mas foi uma experiência muito bacana. Não foi só Lais que estava ali, foi uma forma de representar os cadeirantes, minha família e tantas outras pessoas que gostariam de fazer parte disso - afirmou a ex-ginasta, que foi ajudada pelo pai no percurso.

Após o seu percurso, ela passou o fogo olímpico para o também cadeirante Fernando Fernandes, campeão mundial de canoagem paralimpica, mas que acabou fora dos Jogos.

Convidada do SPORTV para participar da cobertura da Olimpíada no Rio, Lais diz que vai contar um pouco dos bastidores da ginástica dos Jogos, mas admite que espera encontrar um tempinho para assistir a dois grandes amigos.

Eu estou muito feliz com o convite do Sportv e vou comentar mais ou menos. Vão ter os comentaristas fixos, mas devo contar um pouco dos bastidores da modalidade. Além da ginástica, quero muito ver meus amigos Neymar e Doda. Foi por causa dele que me apaixonei pelo hipismo. Fiz muitos amigos no futebol também, pois isso não tenho um time específico. Gosto de vários - brincou Lais, que deve chegar ao Rio de Janeiro dia 1 de agosto.

Estive no Rio há pouco tempo, mas ainda vi como estão as coisas por lá. Estou muito ansiosa e não vejo a hora de começar a Olimpíada. Quero entrar na Vila Olímpica se for possível.

Lais competiu como ginasta nos Jogos Olímpicos de 2004 e 2008. Em 2014, migrou para a neve e chegou a se classificar para as Olimpíadas de Inverno de Sochi na modalidade do esqui aerials. Pouco antes de embarcar para a Rússia, se acidentou em um treino nos Estados Unidos, ficando sem os movimentos de braços e pernas. Agora no Brasil, pretende retornar em algum momento para se tratar em Miami, onde ficou bastante tempo entre 2014 e 2015. 

 
Lais recebe a tocha e a carrega em pé (Foto: Marcello Pires)

Fernando recebe a chama olímpica de Lais (Foto: Marcello Pires)

Lais e Fernando, lado a lado, minutos antes de conduzirem a tocha (Foto: Marcello Pires)

Fonte: Globo Esporte


STF obriga governo a fornecer fraldas descartáveis a pessoas com deficiência

Segundo os advogados públicos, farmácias privadas devem observar diversos critérios para serem ressarcidas posteriormente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, decidiu hoje (14) manter decisão da Justiça Federal que obriga o Programa Farmácia Popular do Brasil, do Ministério da Saúde, a fornecer gratuitamente fraldas descartáveis a pessoas com deficiência.

Segundo a Advocacia-Geral da União (AGU), a decisão deve gerar impacto de R$ 2 bilhões por ano nas finanças públicas, valor equivalente a praticamente todo o orçamento anual do programa.

Na decisão, Lewandowski rejeitou recurso da AGU para barrar a decisão de Justiça Federal, por entender que o Estado deve garantir a proteção às pessoas com deficiência. Sobre a questão financeira, o ministro entendeu que não ficou comprovado no processo “o perigo de grave lesão aos valores da ordem e economia públicas”.

“Por isso, se existente risco de dano à saúde pública, este seria inverso, caracterizado pela afronta ao postulado da dignidade da pessoa humana e às disposições constitucionais que garantem às pessoas com deficiência o amparo do Estado para o gozo do direito fundamental à saúde”, decidiu o presidente do STF.

No recurso, a AGU também informou ao Supremo que o Programa Farmácia Popular do Brasil não fornece fraldas gratuitamente e que idosos recebem o benefício em função do Estatuto do Idoso. Segundo os advogados públicos, farmácias privadas devem observar diversos critérios para serem ressarcidas posteriormente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O programa foi criado pelo Ministério da Saúde para ampliar o acesso da população a medicamentos por meio de rede própria de farmácias ou parcerias com drogarias privadas.

A Agência Brasil entrou em contato com o Ministério da Saúde, que informou que irá recorrer da decisão.


Grupo de dança inclusiva Corpo em Movimento em Niterói

O grupo possui cinco bailarinos com deficiência, e promete se superar mais uma vez com bastante acrobacias, técnicas aprimoradas e leveza


O grupo de dança inclusiva Corpo em Movimento se apresentou com o espetáculo “Brasil Brasileiro”, no Teatro Popular Oscar Niemeyer, no Centro de Niterói

Corpo em Movimento

Fundada pela Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos (ANDEF), a companhia de dança tem em suas principais apresentações: Cerimônia de Encerramento das Paraolimpíadas de Londres em Londres, Encerramento da Copa das Confederações no Maracanã e Abertura do lll Prêmio Rio sem Preconceito – Teatro Oi Casa Grande.


Ritmo, suavidade, beleza e plasticidade, são os fundamentos do grupo. Dentre os objetivos destaca-se a proposição de uma imagem diferente da pessoa com deficiência, permitindo um redimensionamento social dos seus próprios corpos, reduto maior do estigma e do preconceito.

Em 2016 daremos início nas apresentações do nosso 3º espetáculo, o grupo de dança inclusiva Corpo em Movimento, apresenta Brasil Brasileiro que mescla diversos ritmos do nosso pais em um encontro cultural entre nossas regiões de uma maneira plástica, performática e dinâmica.

Com 9 bailarinos, sendo destes 5 pessoas com deficiência, o grupo Corpo em Movimento promete se superar mais uma vez com bastante acrobacias, técnicas aprimoradas e leveza.


Fonte: Sopa Cultural

Igrejas adotam interpretação da linguagem de sinais em celebrações

Em grandes solenidades, a Catedral Metropolitana de Manaus também dispõe das traduções, segundo intérprete.

Imagine-se migrar para um país onde você não fala a língua nativa e não pode compreender o que os moradores locais falam. É como se sentem, muitas vezes, os dependentes da Língua Brasileira de Sinais (Libras), que não escutam e, em muitos casos, também não falam.

Eles  enfrentam a realidade de ser um estrangeiro no próprio país e depender de familiares para ir a lugares como shoppings, agências bancárias e restaurantes. Nesse meio escasso de intérpretes de Libras, em locais com grande movimentação de pessoas, as igrejas cristãs estão fazendo a diferença e incentivando a tradução em missas, cultos e encontros de fiéis.

As missas dominicais noturnas da Paróquia Cristo Rei, no bairro São José 2, zona leste de Manaus, são um dos exemplos de inclusão por meio de tradução para Libras. O intérprete profissional Renan Rodrigues, 26, faz parte da comunidade e transmite as missas na linguagem de sinais há cinco anos. As traduções são feitas para cinco fiéis surdos que participam da comunidade.

“O surdo já nasce um estrangeiro na própria terra”, afirmou Renan.

O intérprete disse que, muitas vezes, precisa acompanhar amigos com deficiência auditiva em bancos, consultórios médicos ou órgãos públicos.

“Já tive que ir em ambulância para acompanhar um amigo surdo e poder explicar o que ele estava sentindo para os médicos. Até já traduzi ultrassom”, acrescentou o jovem. Com a tradução das missas para Libras, Renan explicou que a intenção é incluir também uma parcela de fiéis que, em geral, só consegue entender algo, minimamente, se for pela leitura labial.

Renan disse que também participa da tradução de celebrações para Libras no Santuário de Aparecida, no bairro de mesmo nome, na zona sul, atendendo cerca de 30 surdos que acompanham as missas dominicais noturnas. Ele acrescentou que, em grandes solenidades da igreja, a Catedral Metropolitana de Manaus também dispõe das traduções.

Outra igreja cristã que busca a inclusão da comunidade surda é a Assembleia de Deus Tradicional, no bairro Praça 14 de Janeiro, na zona sul. Nas noites de domingo e segunda-feira, os cultos são traduzidos para a linguagem de sinais. Algumas das traduções são feitas pelo intérprete e professor de Libras Henrique Ribeiro, 26, que faz parte da comunidade da igreja. As traduções não se limitam aos cultos e, segundo Henrique,  ocorrem dependendo da necessidade, incluindo seminários e encontro com jovens.

Quem tem deficiência auditiva sabe que até atividades rotineiras apresentam algum grau de dificuldade, como relata o casal Gilmar Nunes Coelho, 58, e Maria do Socorro de Oliveira Coelho, 52, que enfrentam juntos desafios cotidianos, como, por exemplo, tirar dúvidas sobre produtos em comércios.

“A gente ainda tenta se comunicar, mas não entendem”, afirmou, por meio de Libras, o industriário Gilmar. Da mesma forma, a dona de casa Maria do Socorro afirmou, também por Libras, que já desistiu de fazer compras porque não a entendiam.

“É frustrante e seria ótimo que os locais mais frequentados tivessem uma pessoa que soubesse Libras”, lamentou.


Fonte: D24am

22/07/16

Na Reserva Biológica União, a natureza ao alcance de todos

Trilha na UC no estado do Rio de Janeiro permite a pessoas com deficiência desfrutarem de passeios na floresta, explorando, principalmente, os sentidos.


A Reserva Biológica (Rebio) União, unidade de conservação (UC) gerida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), na região noroeste do estado do Rio de Janeiro, juntou dois ingredientes da cidadania – meio ambiente saudável e acessibilidade – para oferecer um atrativo a mais aos visitantes: a trilha inclusiva, adaptada para pessoas com deficiência.

Nesses tempos de Olimpíadas e Paralimpíadas Rio 2016, os gestores da UC já se preparam para receber um público maior, formado, principalmente por pessoas vindas de outros estados e países, interessadas em conhecer as belezas naturais da reserva, morada do mico-leão-dourado. A acessibilidade proporcionada pela trilha aumenta ainda mais essa expectativa.

O caminho, batizado de Trilha Interpretativa do Pilão, tem quase um quilômetro de extensão em meio a uma Mata Atlântica bem preservada. Os diversos atributos naturais encontrados no percurso dispõem de placas e outros equipamentos de interpretação, que permitem às pessoas com qualquer tipo de deficiência curtir o passeio, explorando, principalmente, os sentidos.

“Por meio do olfato, tato, audição e visão, os visitantes têm a possibilidade de conhecer um pouco desse ecossistema maravilhoso que é a Mata Atlântica. Isso sem contar com a sensação que sentem ao estar no meio de uma floresta, coisa que muitos não imaginavam poder estar”, diz o chefe da unidade, Whitson José da Costa Junior.
Passarelas permitem a circulação de pessoas usuárias de cadeira de rodas
 Segundo ele, o bem estar da floresta, o som dos pássaros, bugios e insetos, o cheiro da mata, o barulho da água escorrendo, o festival de flores e cores, as dimensões das árvores, a diversidade de vidas da Mata Atlântica, tudo isso pode ser explorado. “Os visitantes gostam muito”, garante Junior.

Antes de começar a caminhada na trilha, gestores da reserva dão palestra sobre a unidade de conservação, seus objetivos, sua importância para a preservação dos remanescentes de Mata Atlântica da região e a sobrevivência de espécies ameaçadas, como o mico-leão-dourado.

Após a caminhada, o visitante é convidado a conhecer a exposição interpretativa, que traz diversas fotos da reserva, sementes e frutos de espécies da Mata Atlântica, moldes de pegadas de mamíferos, pássaros e mamíferos taxidermizados (incluindo dois micos-leões), mortos por atropelamento na BR 101, que passa perto da UC.

A reserva, que abrange áreas dos municípios de Casimiro de Abreu e Rio das Ostras, na chamada região da baixada litorânea norte do estado do Rio, dispõe de boa estrutura. Há espaços para lanches e banheiros adaptados. As visitas duram, em média, três horas e são sempre guiadas por educadoras ambientais capacitadas.

“Não custa lembrar que a Rebio União é uma das moradas do endêmico (só existeente no local) e ameaçado mico-leão-dourado, que, dependendo da sorte do visitante, podem ser avistados durante a caminhada pela trilha interpretativa”, conclui Whitson Junior, ao convidar as pessoas a conhecer a unidade.

Fonte: ICMBio

20/07/16

Jantar Secreto beneficente com Chefs Especiais

Com o objetivo de angariar fundos para o Instituto Chefs Especiais, a Friboi e a Foodpass promovem um concorrido Jantar Secreto, em 04/08. 


Comandando pelo casal Gustavo Rigueiral, chef de cozinha do catering Chef à Porter, e pela jornalista gastronômica Larissa Januário, o evento terá local divulgado apenas um dia antes e o cardápio da noite só será revelado na hora.



Como parte do show e da exclusividade, o jantar terá a participação mais que especial dos alunos com Síndrome de Down do projeto, que irão interagir com os participantes e contar as suas curiosas e divertidas histórias. Pessoas com restrições alimentares também podem participar. Basta destacar as restrições no momento da compra.



O evento é fechado, com compra antecipada pelo site da Foodpass e o cardápio inclui welcome drink, entrada, prato principal, sobremesa e bebidas não alcoólicas à vontade.



Jantar Secreto – local será divulgado por e-mail um dia antes. Das 20h às 23h – 21 vagas disponíveis. Valor: R$ 180,00 por pessoa. Compra antecipada pelo site da Foodpass.





Informações à imprensa – Friboi:
Ketchum

Ana Paula Stroher – ana.stroher@jbs.com.br – (11) 3144-5195

João Suyama – joao.suyama@ketchum.com.br – (11) 5090-8900 ramal 6308

Luciana Cesetti – luciana.leme@ketchum.com.br – (11) 5090-8900 ramal 8574

Fonte: E-mail de Ana Paula Stroher

Locais Acessíveis - Brasília - Shopping JK

Olá queridos leitores e seguidores! 

Hoje começo um quadro novo no blog. A partir de agora vou falar sobre os locais acessíveis que existem em Brasília. Sempre que eu for a um desses locais vou tirar fotos e postar no blog para vocês, pois nada melhor do que ir em um local acessível. 

A acessibilidade já deveria ser realidade no Brasil todo, pois as leis já garante isso, mas infelizmente não é o que acontece. Brasília que deveria ser uma cidade modelo está longe disso.

O primeiro local que visitei foi o shopping JK. Normalmente os shoppings são muito acessíveis, mas alguns falham em algumas coisas. O banheiro é um deles, mas no JK o banheiro é perfeito. Ele é separado dos outros, espaçoso e limpinho.

Segue abaixo as fotos e o vídeo de como é fácil usar a pia.

Torneira de fácil acionamento

O acionamento de descarga no modo alavanca

Espaço adequado e com o botão de emergência.

Lavatório com barra de apoio

Puxador vertical acessível



Entrada bem sinalizada

Emoções de um jogo de futebol audiodescrito

Torcedores cegos no gramado. Eles vestem a camisa do Palmeiras, estão abraçados e comemoram cantando o hino do time



Palmeiras versus Atlético Paranaense marcou duas estreias: foi o primeiro jogo do Campeonato Brasileiro 2016 e o primeiro jogo de futebol após a Copa do Mundo a oferecer o serviço de audiodescrição para os espectadores com deficiência visual. Lógico que eu, “porco fanático” e “fanático por audiodescrição”, não poderia deixar de estar lá para voltar a sentir as emoções de um jogo de futebol. Perdi a visão faz 35 anos e ainda tenho vivo na memória como era o antigo Parque Antártica, pois, desde pequeno, meu pai me levava para assistir quase todos os jogos do Palmeiras. Era grande a curiosidade de conhecer a novíssima e, segundo comentários generalizados, belíssima Arena Allianz Parque. Mas como satisfazer essa curiosidade sem alguém para descrever fielmente a arquitetura do estádio?


A bola do jogo


Início do jogo marcado para as 16:00h, encontro agendado para as 13:30h em um dos portões da Arena. A medida que os 24 torcedores com deficiência visual e seus acompanhantes convidados para o evento iam chegando, eram imediatamente conduzidos para seus assentos na arquibancada inferior do estádio. Todos presentes, faltando ainda bastante tempo para o início da partida, começou o serviço de audiodescrição com a Rosa Matsushita mostrando e descrevendo para cada um detalhes da bola que seria usada no jogo.


“Chamada de Ordem CBF Brasil 3 e com “gráfico amarelo inconfundível do Brasil”, ela é, segundo a Nike, sua fabricante, a “melhor já projetada em termos aerodinâmicos”. O modelo – produzido com 40% de couro sintético, 30% de borracha, 20% de poliéster e 10% de algodão – é o mesmo utilizado nos Campeonatos Espanhol, Inglês e Italiano”, dizia Rosa.


Reconhecimento do campo


Em seguida, fomos convidados a descer para um reconhecimento tátil do campo: a grama natural no campo e artificial nas laterais, as marcações que antigamente eram feitas com cal e agora são pintadas na grama, as traves, as bandeirinhas que em minha lembrança eram bem mais baixas e não tinham astes flexíveis, os bancos dos reservas que eram de madeira pintados de branco e agora são verdes, acolchoados, protegidos por uma semi cúpula de acrílico e foram transferidos das laterais de um dos gols para as laterais na altura do meio do campo. Durante todo esse percurso, Rosa e Bruno se alternavam: ela fazendo a audiodescrição; ele contando a história do Palmeiras com suas tradições, seus títulos, como surgiu o Parque Antártica, como nasceu o Allianz Parque…


Grupo de cegos fazendo o reconhecimento tátil do campo. Bruno e Rosa a frente com papéis nas mãos.
A surpresa


O reconhecimento do gramado terminou com uma surpresa. Pediram que todos os cegos sentassem no banco de reservas porque o periquito, mascote do Palmeiras (tenho dúvidas se já não deveria ser o “porquinho” risos) nos entregaria um presente. Um por um fomos chamados pelo nome para recebermos a nova camisa oficial do Palmeiras que, por sinal, seria a terceira estreia do dia.


Preleção do jogo


Já de volta a nossos assentos e “armados” com os radinhos e fones de ouvido de audiodescrição, ouvimos Bruno e Dimitri fazerem a preleção do jogo: descrições dos uniformes oficiais dos dois times, a aparência dos jogadores (algumas exóticas), a história dos confrontos entre os dois times, os uniformes de treino e a movimentação dos jogadores em campo enquanto faziam o aquecimento.


O jogo e a audiodescrição


Apesar do Palmeiras estar vencendo por 1 a 0, o primeiro tempo do jogo foi “morno”, e a audiodescrição também. Durante o intervalo, jogadores no vestiário recebendo instruções para corrigirem suas falhas, e os audiodescritores conversando com seus convidados para saberem o que precisariam melhorar. Iniciado o segundo tempo, bastaram 20 segundos para o Palmeiras mostrar que seria uma goleada, e os audiodescritores demonstrarem que também haviam assimilado direitinho qual deveria ser a estratégia para o segundo tempo.


Ainda no intervalo, Rosa trouxe uma maquete da Arena Allianz Parque para que pudéssemos tatear e assim entendermos melhor a grandiosidade do empreendimento.


Fim do jogo: Palmeiras 4, Atlético 0, e outra goleada da audiodescrição!

Audiodescritores sentados em uma mesa usando fones de ouvido e com microfones, ao fundo os torcedores com deficiência visual



Futuro


Pessoalmente adorei a experiência, me fez lembrar dos tempos, ainda com visão, que comparecer aos jogos do Palmeiras era parte da agenda de quase todos os finais de semana. Ouvi comentários muito semelhantes dos outros cegos que também puderam vivenciar essa experiência. Em relação à forma como foi feita a audiodescrição dos jogos da Copa com pessoas treinadas pelos audiodescritores da FIFA, gostei bem mais da “audiodescrição tupiniquim”!



Fonte: Blog da Audiodescrição
 https://turismoadaptado.wordpress.com/2016/07/15/emocoes-de-um-jogo-de-futebol-audiodescrito/

19/07/16

Procon estadual lança guia trilíngue para a Olimpíada do Rio

Com o objetivo de facilitar a vida de turistas brasileiros e estrangeiros que virão para os Jogos do Rio, o Procon Estadual lança amanhã o guia “Procon-RJ nos Jogos” em português, inglês e espanhol. Em um único PDF, que pode ser baixado para o celular, o consumidor terá acesso a informações sobre direitos básicos e às principais regras das relações de consumo que se aplicam as situações mais corriqueiras relacionadas a Olimpíada.


No arquivo, os direitos estão separados por temas, como hospedagem, pontos turísticos e vida noturna. As dicas foram resumidas em tópicos, com linguagem simples e direta. Baixado o arquivo, não é preciso estar conectado à internet para acessar o conteúdo. As únicas exceções são as cartilhas da autarquia sobre temas específicos, como táxis, comércio eletrônico e restaurantes, além da íntegra do Código de Defesa do Consumidor (CDC). Nesses casos, o arquivo traz links que permitem o download do material. Parte dele, como a cartilha dos táxis e o CDC, está disponível também nos três idiomas. 


— Este é um guia com linguagem jovem e acessível. Tem um visual moderno e de fácil entendimento. Decidimos por não fazer uma versão em papel, e, sim, uma acessível pelo celular. Além de ser ecologicamente correto, o consumidor sempre estará com ele no “bolso” — ressalta o presidente da autarquia, José Geraldo Machado Júnior.


Para baixar o guia, basta ler o QR Code com o celular ou acessar o site do Procon—RJ (www.procon.rj.gov.br) e clicar no banner “Procon-RJ nos Jogos”.

No site do Procon Estadual também está disponível um link para a página criada pelo Ministério Público do Trabalho que oferece condições para que pessoas com deficiência visual e auditiva tenham acesso ao Código de Defesa do Consumidor (CDC). No link, o conteúdo do CDC está disponível em áudio e vídeos, adaptados para Libras (Língua Brasileira de Sinais) e para pessoas com deficiência visual.


O Procon terá um canal direto com o comitê organizador dos Jogos para resolver com mais agilidade os problemas dos consumidores ligados às competições. Já os fiscais vão vistoriar o comércio nas áreas externas dos parques olímpicos da Barra da Tijuca.


Fonte: O Globo por Ione Luques com foto de Hermes de Paula.

18/07/16

Aplicativo incentiva a socialização de pessoas com Esclerose Múltipla

“Por muito tempo, o diagnóstico da esclerose múltipla representou o fim da independência e no convívio social. Hoje, felizmente, estamos conectados virtualmente e os desafios da doença não definem mais até onde podemos chegar”, afirma Gustavo San Martin, fundador da associação Amigos Múltiplos pela Esclerose (AME), que criou um aplicativo para incentivar a socialização de pessoas com EM (ou com qualquer deficiência).

 “O app AME é uma nova tecnologia para mudar a cara da EM no Brasil, reforçando o movimento que já existe na busca por soluções que melhorem nossa qualidade de vida e inclusão social. Nosso lema é ‘baixe o app e vá viver”, diz.  

O software, desenvolvido com apoio da Novartis, com versões para iOS (clique para instalar) e Android (clique para instalar), é colaborativo e, por meio das experiências dos usuários, cria uma base de dados sobre a acessibilidade, além de apresentar duas funcionalidades exclusivas.

Uma delas é o ‘Guia do Viajante Esclerosado’, desenvolvido pelos blogueiros Bruna Rocha Silveira e Jota Santos, que traz um passo a passo completo, ‘dicas de ouro’ para qualquer tipo de viagem, sobre como lidar com a fadiga fora de casa, a importância do planejamento e de traçar uma rotina de descanso.

A outra funcionalidade exclusiva é o ‘Botão de Segurança’, que aciona um familiar ou cuidador cadastrado, com um clique, em situações de emergência.Além da avaliação da acessibilidade, são considerados ainda a qualidade do atendimento, preço e até a rede wi-fi. 

O usuário registra dados pessoais e informações específicas sobre a Esclerose Múltipla, como lista de medicamentos que usa, o que pode ser valioso em um momento de surto da doença (quando um novo sintoma aparece de forma inesperada e dura mais de 24 horas).
Saiba mais – A esclerose múltipla é uma doença neurológica, autoimune e crônica, na qual o sistema defesa do organismo ataca o Sistema Nervoso Central, provocando lesões inflamatórias cerebrais e medulares. Embora a causa seja desconhecida, tem sido foco de muitos estudos no mundo todo, possibilitando constante e significativa evolução na qualidade de vida dos pacientes. O diagnóstico é basicamente clínico e deve ser complementado por ressonância magnética. Os sintomas mais frequentes são fadiga, formigamento, perda de força, falta de equilíbrio, espasmos musculares, dores crônicas, depressão, problemas sexuais e incontinência urinária.


Oportunidade:Legião da Boa Vontade (LBV) esta selecionando pessoas com deficiência para atuar em cargos diversos

A Legião da Boa Vontade (LBV) está recebendo currículos de pessoas com deficiência para atuar nos mais diversos setores/funções.

Os currículos podem ser encaminhados para o e-mail: selecaorh@lbv.org.br ou entregues em horário comercial (das 8 às 17 horas) no seguinte endereço: Rua Sérgio Tomás, 740, Bom Retiro, em São Paulo (SP).

Outras informações: (11) 3225-4500.


Fonte: Revista Incluir
Anterior Inicio