23/08/2017

Enap realizará palestra sobre inclusão profissional de pessoas com deficiência na Administração Pública


A atividade será ministrada pela doutora pela Università degli Studi di Roma e autora de livros jurídicos sobre os direitos das pessoas com deficiência e pessoas idosas, Maria Aparecida Gugel

A Escola Nacional de Administração Pública (Enap), realizará, no dia 25 de agosto, a palestra A Inclusão Profissional de Pessoas com Deficiência na Administração Pública.

A atividade será ministrada pela doutora pela Università degli Studi di Roma e autora de livros jurídicos sobre os direitos das pessoas com deficiência e pessoas idosas, Maria Aparecida Gugel.

Para participar, é preciso enviar e-mail para inclusao@enap.gov.br até o dia 23 de agosto, informando nome completo, CPF, instituição e, se for pessoa com deficiência, tipo(s) de deficiência e recurso(s) de acessibilidade que necessitará para participar do evento.

O evento contará com os serviços de interpretação em libras e audiodescrição. Haverá também transmissão ao vivo, com janela de Libras, pelo canal da Enap no Youtube.

Serviço:
Palestra: A Inclusão Profissional de Pessoas com Deficiência na Administração Pública
25 de agosto de 2017
Hora: 14h30
Local: Espaço Inovatio – Enap

16/08/2017

Pai ensina filho cego e autista a trocar marchas

Dizem que ao presentear alguém, você acaba se presenteando. Sem dúvidas, foi o que aconteceu neste vídeo. Nele, um pai ensina o filho cego e autista a trocar as marchas de um Subaru WRX STI.

O WRX STI é equipado com um câmbio manual de seis marchas. Com o carro parado, Spenny engata a primeira e o pai acelera, em seguida engata a segunda, terceira e por fim a quarta marcha. Acompanhando o ronco do motor de 305 cv do sedan japonês, vêm diversas gargalhadas entre pai e filho.

Este não é o primeiro vídeo deles dois no canal do pai do adolescente, Omar Chavez. Há um ano foi publicado outro vídeo do pai acelerando o motor turbo do Subaru e o jovem Spenny em êxtase com a velocidade atingida pelo carro japonês.




Fonte: MSN

11/08/2017

Conheça os vencedores do Miss e Mister Cadeirante DF

Kallyna Sampaio, representante do Lago Sul, foi a eleita entre as mulheres. Já entre os homens, o escolhido foi o paratleta Kal


O público finalmente pôde conhecer os vencedores do concurso Miss e Mister Cadeirante DF durante a etapa final da disputa, realizada nesta segunda-feira (7/8). Entre os homens, o escolhido foi o paratleta Kal Brynner, 28 anos, representante de Sobradinho. Já a Miss Cadeirante DF deste ano é a enviada do Lago Sul, a modelo e estudante de direito Kallyna Sampaio, 24 anos.

O casal de cadeirantes mais bonito da capital federal foi eleito por um corpo de 13 jurados entre médicos, psicólogos e fisioterapeutas, em cerimônia realizada em Taguatinga. A miss e o mister, escolhidos entre um grupo de 30 candidatos, agora vão representar o DF na etapa nacional, marcada para novembro.

Paratleta da canoagem, o Mister Kal Brynner usa a palavra resiliência para se definir. O jovem afirma sonhar por um mundo mais justo e gosta da frase: “É preciso coragem para ser diferente e muita competência para fazer a diferença”.

Já a Miss Kallyna Sampaio declara: “Se a gente se entregar, não sai do lugar. Temos que fazer alguma coisa. O concurso está me ajudando a entender isso”. A jovem, que ficou paraplégica após sofrer um acidente de carro, sonha em abrir a própria grife de roupas.

Os participantes da capital federal foram apresentados oficialmente em junho, durante um desfile no Núcleo Bandeirante. Para o idealizador do primeiro Miss e Mister Cadeirante do Brasil, Ralph Santos, a palavra-chave é inclusão.

“Queremos colocar essas pessoas em alta. Mostrar que todos nós podemos ser iguais”, disse. Segundo ele, a iniciativa surgiu da vontade de resgatar a autoestima dos cadeirantes, além de trazer mais respeito para essas pessoas. “Nosso intuito é valorizar os cadeirantes na nossa sociedade. Queremos quebrar os paradigmas impostos, principalmente o da invisibilidade social. Eles são cidadãos como todos os outros e merecem respeito”, ressalta Ralph Santos.

Após o Miss e Mister Cadeirante, a partir da próxima quarta-feira (9), serão escolhidos o Mister e a Musa Distrito Federal Universo. A competição vai até o dia 12 de agosto, a partir das 18h, em Taguatinga. A entrada é franca.

Fonte: Metrópoles

08/08/2017

Primeira aula do curso Ensino Médio Inclusivo acontece em São Paulo


Curso tem como objetivo desenvolver ação de formação continuada sobre educação inclusiva junto aos professores da Rede Estadual de Educação


Nesta quarta-feira (2/8) aconteceu no estúdio da Rede do Saber, situado no prédio da Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Professores – EFAP, a aula inaugural do curso “Ensino Médio Inclusivo: construindo uma escola para todos”. Trata-se de uma parceria entre as Secretarias de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e da Educação de São Paulo, o Instituto Unibanco, e o Instituto Rodrigo Mendes, que realiza a ação.

Representantes das instituições parceiras estiveram presentes para apresentar o curso e dar as boas-vindas aos cursistas. Luiz Carlos Lopes, Secretário Adjunto da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, acompanhado por Rodrigo Hübner Mendes, superintendente do Instituto Rodrigo Mendes; Ricardo Henriques, superintendente executivo do Instituto Unibanco; Luiz Henrique Conceição, coordenador de formação do Instituto Rodrigo Mendes; e Luiz Cândido Maria, coordenador da Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Professores – EFAP, transmitiram aos cursistas informações acerca do curso e a expectativa para um ensino cada vez mais inclusivo.

O curso tem como objetivo desenvolver ação de formação continuada sobre educação inclusiva junto aos professores da Rede Estadual de Educação. Em formato semipresencial, a capacitação tem o objetivo de ampliar os conhecimentos teóricos e práticos de educadores que atuam no Ensino Médio Regular e Atendimento Educacional Especializado, propiciando melhor atendimento aos estudantes com deficiência.

Além disso, o curso tratará de reflexões sobre a cultura do pertencimento e o papel da escola na construção da cidadania. A expectativa é que esses profissionais desempenhem papel fundamental na interlocução entre as diretorias e escolas e multipliquem experiências produzidas em projetos locais.

Na primeira fase, a parceria é aberta a profissionais das 13 Diretorias de Ensino da capital, incluindo professores da Sala de Recursos, professores da Educação Básica II (atua nos Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio), diretores, vice-diretores, supervisores, diretores de Núcleo Pedagógico e professor coordenador do Núcleo Pedagógico – PCNP (preferencialmente de Educação Especial).

Num total de 100 horas, divididas em 14 aulas por videoconferência, realizadas em ambiente já utilizado pelos professores da rede de ensino estadual – Rede do Saber – e em ambiente virtual do Instituto Rodrigo Mendes, os cursistas vão desenvolver um projeto local de intervenção nas escolas onde trabalham. Um ponto de destaque da primeira edição do curso é alcançar as famílias e alunos sem deficiência para ampliar a consciência sobre os direitos e os princípios legais e atitudinais da educação inclusiva.Conheça o lançamento do Programa no site da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência .

O primeiro parque aquático acessível do mundo para pessoas com deficiência


Uma visão aérea do parque aquático acessível Morgan’s Inspiration Island
Um parque aquático acessível é um sonho para muitas pessoas com deficiência. Os parques aquáticos são a localização definitiva para se refrescar no clima quente do verão. Mas os pontos quentes para se divertir ao sol são notoriamente inacessíveis para pessoas com deficiência.

Um novo parque aquático acessível chamado Morgan’s Inspiration Island foi projetado para pessoas com uma ampla gama de identidades de deficiência – e é sensivelmente acessível. O parque, que abriu 17 de julho em San Antonio, no Texas, é totalmente acessível para cadeiras de rodas e espera receber pessoas com deficiência através de uma consideração cuidadosa no design.

O parque com temas tropicais possui seis atrações principais, incluindo um passeio de barco no rio acessível e uma grande variedade de áreas de respingo – superfícies com gêiseres, canhões de água e cortinas de chuva. As áreas de respingo, ao contrário das piscinas, são mais acessíveis para pessoas com deficiências relacionadas à mobilidade, mas ainda oferecem a experiência completa do parque aquático acessível.

E, notavelmente, qualquer pessoa com deficiência é bem-vinda no parque gratuitamente.

Cadeiras de rodas impermeáveis e pneumáticas

As cadeiras de rodas a ar especialmente desenvolvidas para o parque aquático acessível Morgan’s Inspiration Island
“Nosso objetivo é proporcionar uma excelente experiência do convidado em um ambiente inclusivo, seguro, confortável e não lotado”, disse o fundador do parque Gordon Hartman.

O parque já trabalhou com a Universidade de Pittsburgh para desenvolver uma nova cadeira de rodas revolucionária chamada PneuChair que é impulsionada por ar comprimido em vez de baterias, tornando-as de baixo custo e impermeáveis. Os hóspedes podem usar as cadeiras de graça para que elas não prejudiquem as cadeiras de rodas caras e com bateria que muitas pessoas que regularmente usam cadeiras de rodas, dependem delas.

As cadeiras são incrivelmente eficientes, pesando cerca de 37 kilos em vez de centenas de kilos, como cadeiras com bateria. O PneuChair leva apenas 10 minutos para “recarregar” com o ar, em comparação com as oito horas necessárias para carregar uma cadeira de rodas motorizada – e eles correm o tempo todo.

Dois outros tipos de cadeiras de rodas – um modelo que é empurrado por um cuidador e uma cadeira de rodas manual tradicional – também estão disponíveis para que os clientes atendam às suas necessidades de mobilidade.

O parque oferece pulseiras impermeáveis ​​de alta tecnologia para crianças e pessoas com deficiência que tendem a vagar, de modo que os pais possam facilmente localizá-los com a ajuda da equipe, se necessário.

Outra característica especial do parque é a capacidade de mudar rapidamente a água para temperaturas mais quentes, de modo que os hóspedes com sensibilidade ao frio ainda possam aproveitar atrações.

O parque aquático acessível Morgan’s Inspiration Island é adaptado as diferentes necessidades de pessoas com deficiência

As áreas de respingo do parque aquático acessível, foram especialmente projetadas para mobilidade de cadeiras de rodas
Áreas privadas e silenciosas também estão disponíveis para aqueles que podem ficar sobrecarregados com multidões e barulho, embora o atendimento ao parque seja sempre limitado para garantir uma experiência mais suave do que a maioria das configurações do parque temático. Os ingressos estão disponíveis on – line para garantir que as famílias não cheguem e não consigam entrar devido a restrições de atendimento.

O parque também foi projetado pensando na conservação da água. A água é filtrada continuamente e depois recirculada, o que também ajuda as pessoas com sensibilidade imune a se sentir confiante sobre a qualidade da água.

A Morgan’s Inspiration Island se denomina o primeiro parque aquático acessível do mundo, e a quantidade de acessibilidade é sem dúvida incomparável.
O parque aquático acessível tem cadeiras de rodas impermeáveis especialmente projetadas, para aluguel gratuito pelos visitantes

Embora muitos parques aquáticos e parques temáticos nos EUA tenham pelo menos algumas atrações acessíveis para cumprir a lei federal, praticamente nunca se ouviu falar de um parque que aplica a acessibilidade universal. Os parques públicos de água, por exemplo, são exigidos apenas nos termos do Americans with Disabilities Act para ter piscinas acessíveis. Os passeios e atrações reais, no entanto, muitas vezes não são acessíveis para pessoas com deficiências relacionadas à mobilidade.

Mas imagine o quão aborrecido seria ir a um parque aquático e apenas poder percorrer uma piscina. E isso nem sequer inclui como o ambiente ocupado, alto e estressante dos parques aquáticos tradicionais exclui pessoas com algumas deficiências cognitivas.

O Morgan’s Inspiration Island foi projetado para ser um parque aquático acessível para todos

Os criadores da Morgan’s Inspiration Island se desviaram do modelo tradicional do parque aquático para criar um espaço acolhedor para todas as pessoas com deficiência. Ainda assim, eles resistem ao rótulo de ser um “parque de necessidades especiais”. Em vez disso, a Morgan’s Inspiration Island, de acordo com os criadores do parque, é um “parque de inclusão”.

“A Morgan’s Inspiration Island se concentrará na inclusão e inspirará os hóspedes a fazerem coisas anteriormente pensadas que não estão na sua gama de capacidades”, explicou. “Aqueles sem deficiência e aqueles com, incluindo indivíduos em cadeiras de rodas, convidados com deficiências auditivas e visuais, e até convidados em respiradores artificiais, poderão jogar um ao lado do outro e obter uma maior apreciação uns dos outros”.

A Morgan’s Inspiration Island é o parque-irmã do Morgan’s Wonderland , um parque temático de 25 hectares, totalmente acessível, que abriu em março de 2010. A Morgan’s Inspiration Island e o Morgan’s Wonderland estão localizados um ao lado do outro, permitindo uma fácil transferência de parque.

“Quando o Morgan’s Wonderland abriu em 2010, realmente não sabíamos o que esperar”, diz Hartman. “Mas a popularidade do parque cresceu tremendamente e nos encorajou a adicionar a Morgan’s Inspiration Island.

“Agora, teremos duas atrações como ninguém menos que todos – independentemente da habilidade ou idade – possam desfrutar”.

A extensão dos parques acessíveis também inclui The Academy no Morgan’s Wonderland , uma escola para alunos com deficiência e o Children’s Rehabilitation Institute of TeletonUSA , um centro de reabilitação sem fins lucrativos para crianças que vivem com distúrbios e lesões neurológicas, musculares ou esqueléticas.

O parque aquático acessível foi projetado com a participação de vários profissionais
O parque aquático acessível oferece pulseiras rastreáveis que permitem que os pais localizem seus filhos

A Inspiration Island de Morgan foi projetada por Hartman e sua filha de 23 anos, Morgan, que vive com deficiência e é o homenageada dos locais de Morgan. Para desenvolver a instalação, a dupla trabalhou com consultores de parques aquáticos, médicos, terapeutas, professores de educação especial, cuidadores e, o mais importante, a própria comunidade de direitos da pessoa com deficiência.

Antes da sua abertura oficial em 17 de junho, a Inspiration Island da Morgan convidou pequenos grupos de pessoas com deficiência a testar todas as partes do parque splash, ajustando o parque e suas atrações com seus comentários.

O parque aquático acessível estará aberto diariamente durante o verão até meados de agosto, e depois nos fins de semana em agosto e setembro. Instalações adicionais de Morgan acessíveis estão atualmente em desenvolvimento para adicionar à diversão.

Até que sejam anunciados, todos teremos que esperar para ver como a equipe inovadora agiliza a acessibilidade a seguir.

No Brasil, os poucos parques aquáticos existentes, como o Wet’n Wild, Beach Park e Ma-noa Park ainda não possuem estrutura adequada, e na verdade praticamente infelizmente não tomam nenhuma iniciativa para torná-los acessível, apesar das leis existentes e do enorme público potencial.





Marca lança linha de bonecos com Down para promover inclusão


Os modelos dos bonecos trazem características físicas de pessoas com Síndrome de Down para promover a diversidade entre as crianças
Créditos: Divulgação/Leave it to Leslie
Quanto mais as crianças aprendem como é o outro, melhor ela desenvolve o respeito e a empatia pelo diferente.

A brincadeira é a linguagem universal das crianças. Brincando, os pequenos assimilam as informações do mundo e constroem seus primeiros referenciais do outro e de si mesmas. Por isso, é essencial pensar em qual perfil de brinquedo oferecemos à criança, afinal, quanto mais diversidade existir neste momento, mais ampla será sua visão de mundo. A educadora e pesquisadora Waldorf Nina Veiga explica que “a boneca é uma expressão da linguagem, é uma maneira de expressar simbolicamente aquilo que nos cerca”.
É desse entendimento que surgem bonecas de perfis variados, como a coleção de Barbies presidentas, criadas com o intuito de inspirar meninas a aspirar carreiras de liderança e subverter, ou mesmo as bonecas criadas pelas próprias famílias, na intenção de estimular os filhos a se sentirem representados naquele brinquedo, como a mãe que costurou uma boneca com manchas na pele para a filha.
Agora, a marca australiana Leave It To Leslie Site externo – Conhecendo necessidades específicas na primeira infância, especializada em brinquedos de assistência à infância, inclusivos e multiculturais, lançou uma linha de bonecas e bonecos com características físicas de pessoas com Síndrome de Down.
Com isso, o brinquedo funciona não só como elemento de identificação para crianças com essa condição genética, mas também como propulsor de uma maior diversidade para as outras crianças. Afinal, o respeito, a tolerância e a empatia começam na infância.
Na página de apresentação do brinquedo Site externo, com linguagem bem didática e acessível, há uma descrição explicando o que é a síndrome, para estimular as famílias e começar um diálogo sobre o assunto.
“Nossos corpos são compostos por milhões de células. Em cada célula há 46 cromossomos. O DNA em nossos cromossomos determina como nos desenvolvemos. A síndrome de Down é causada quando há um cromossomo extra. As pessoas com síndrome de Down têm 47 cromossomos em suas células em vez de 46. Eles têm um cromossomo extra 21, razão pela qual a síndrome de Down também é conhecida como trissomia 21.”
Por enquanto, a boneca é comercializada somente pela internet, por meio do site da empresa, mas pode servir de inspiração para marcas brasileiras que se preocupem em oferecer brinquedos inclusivos e representativos da diversidade da infância.
Fonte: Catraquinha

07/08/2017

“Tela Quente” desta segunda (07) traz o filme “O Filho Eterno”


O casal Roberto e Cláudia aguarda ansiosamente pela chegada de seu primeiro bebê. Roberto, que é escritor, vê a chegada do filho com esperança e como um ponto de partida para uma mudança completa de vida. Mas toda a áurea de alegria dos pais é transformada em incerteza e medo com a descoberta de que Fabrício, o bebê, é portador da Síndrome de Down. A insatisfação e a vergonha tomam conta do pai, que terá de enfrentar muitos desafios para encontrar o verdadeiro significado da paternidade.

Lembrando que a tradicional sessão de filmes da Globo vai ao ar a partir das 23h.

MAIS INFORMAÇÕES

Título Original: O Filho Eterno
Elenco: Debora Falabella, Augusto Madeira, Marcos Veras, Pedro Vinicius
Direção: Paulo Machline
Nacionalidade: Brasileira
Gênero: Drama

ATENÇÃO: a fonte das matérias publicadas neste blog, sempre será indicada. Caso tenha alguma dúvida sobre a matéria ou algo nesse sentido, peço a gentileza em entrar em contato com os responsáveis pela a fonte.

Fonte: Globo

02/08/2017

Festival COMA CONSCIENTE


O Festival COMA irá promover as ações e adaptações necessárias pra você, PESSOA COM DEFICIÊNCIA, poder curtir o festival!

Teremos intérpretes de LIBRAS, cardápios em braile, programação em áudio, estacionamento preferencial, guias para cegos e cadeirantes e muito mais!

Entre as atrações teremos Lenine, Emicida, Scalene, Far from Alaska e muitas outras atrações: confira a programação em www.festivalcoma.com.br 

ENTRADA GRATUITA PARA PCDs com direito a 01 acompanhante! 

4 a 6 de agosto - Setor de Divulgação Cultural que compreende: o Planetário, o Centro de Convenções Ulysses Guimarães,  o Clube do Choro e a  Funarte.

A entrada e estacionamento para pessoas com deficiência é ao lado do planetário.

Ajude a divulgar para amigos e redes de pessoas com deficiência. 

Conheça o Projeto ASA 
O CoMA Consciente representa uma iniciativa do Festival CoMA voltada para a adoção de boas práticas de valorização e inclusão das pessoas, da cultura e economia local, e de redução e compensação dos impactos ambientais do evento.  As boas práticas foram estruturadas pelo Projeto ASA que integra três importantes frentes de atuação: ATENDIMENTO – SUSTENTABILIDADE – ACESSIBILIDADE.

01/08/2017

Manual com Brinquedos e Brincadeiras Inclusivos. Baixe o seu!!

O Instituto Mara Gabrilli (IMG) é uma associação sem fins lucrativos que desenvolve e executa projetos que contribuem para a melhoria da qualidade de vida de pessoas com deficiência. Encontramos no site da instituição um Manual de Brinquedos e Brincadeiras Inclusivos com o passo-a-passo para adaptar brinquedos e brincadeiras e estimular pessoas de todas as idades a desenvolverem suas capacidades, por meio do brincar. Legal, né?


Super útil para familiares e profissionais que precisam de orientação e inspiração quando o assunto é o brincar. Confere abaixo alguns materiais que você encontra no Manual:



Quer baixar o seu? Clica aqui!!! 

Apple Watch: configuração para realizar exercícios com cadeira de rodas

Se você é um usuário de cadeira de rodas e também tem um relógio Apple, você pode ter ficado ansioso para iOS 10 e watchOS 3 que permitem o registro de exercícios de cadeira de rodas em seu Apple Watch. No entanto, você pode ter notado que os exercícios não aparecem quando você atualiza o seu telefone. Isto porque é preciso apenas um ajuste simples em seu aplicativo de Saúde para habilitá-los.

Em seu aplicativo de Saúde, entre em seu perfil no canto superior direito, pressione Editar e defina cadeira de rodas para “Sim”.

Configurando para treinos com uso de cadeira de rodas

Se você for um usuário de cadeira de rodas manual, há dois tipos de exercícios específicos em ambiente externo que medem tempo, ritmo, distância, calorias e frequência cardíaca: Caminhada com cadeira de rodas externa e Corrida com cadeira de rodas externa. Você deve levar o iPhone junto para que o GPS acompanhe o ritmo e a distância e para aprimorar a medição de calorias. O Apple Watch Series 2 está tem GPS integrado; por isso, não é preciso levar junto um iPhone emparelhado.

Selecionar se o ritmo do exercício feito com cadeira de rodas é de caminhada ou de corrida ajuda a acompanhar os tipos de exercícios no app Atividade. Escolha o que melhor descreve a atividade, mas não é preciso manter um ritmo regular, e você pode misturar as velocidades.

Para medir tempo, calorias e frequência cardíaca para exercícios como bicicleta com as mãos e basquete com cadeira de rodas, use o tipo de exercício “Outro”. Todos esses exercícios também enviam notificações ao app Atividade.
Lembrando que caso não veja essas opções, talvez você precise atualizar suas informações:
  1. Abra o app do Apple Watch no iPhone.
  2. Toque na aba Meu Relógio e, em seguida, toque em Diagnóstico.
  3. Toque em Editar e, em seguida, toque em Cadeira de Rodas e selecione Sim.
  4. Toque em OK.

Bom exercício!

Fonte: Reab.com

26/07/2017

Em Petrópolis, PCDs terão acesso a próteses e cadeiras de rodas


Segundo a Prefeitura do município fluminense, as solicitações poderão ser feitas com apresentação do laudo médico

Próteses da Associação Fluminense de Reabilitação (AFR), em Niterói (Foto: Divulgação)
A Prefeitura de Petrópolis, Região Serrana do Rio, divulgou que, a partir da primeira quinzena de agosto, pessoas com deficiência (PCDs) poderão solicitar gratuitamente materiais ortopédicos (órteses e próteses, e meios auxiliares de locomoção), muletas, cadeiras de rodas e andadores nas Unidades Básicas de Saúde e Postos de Saúde da Família. O sistema de entrega, que antes era realizado pela secretaria de Assistência Social, passará a ser regulado pela secretaria de Saúde ampliando para mais de 100 itens disponíveis na tabela SUS.

Uma equipe da Secretaria de Saúde esteve em uma capacitação junto à secretaria de Saúde de Niterói para iniciar o processo de implantação do sistema de regulação. O fornecimento dos materiais ortopédicos ocorrerá através da Associação Fluminense de Reabilitação (AFR) que formalizou uma parceria junto à prefeitura de Petrópolis no dia 13 deste mês.

O secretário de Saúde, Silmar Fortes, explica que o processo de regulação foi priorizado e estima-se que 15% dos moradores de Petrópolis tenha algum tipo de deficiência.

A superintendente de Regulação, Controle e Avaliação, Adriana Vogel reforça que o acesso ao serviço de concessão de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção é feito por meio da Central de Regulação da Secretaria de Saúde.

“Quem precisa adquirir o primeiro equipamento ou trocar o aparelho deve procurar uma unidade de saúde para obter um encaminhamento médico. No caso de pacientes internados, o próprio médico que atende o paciente faz o encaminhamento para a unidade. Esse encaminhamento será cadastrado e o material solicitado à AFR que tem de 60 a 90 dias para realizar a entrega”, explica Adriana Vogel.

Uma das metas do governo é implantar, em longo prazo, um Centro Especializado em Reabilitação (CER). A superintendente de Atenção à Saúde, Fabíola Heck, explica que a criação do projeto entrará no Plano Municipal de Saúde da atual gestão.

“Implantar uma unidade do CER requer um estudo cuidadoso de viabilidade que envolve principalmente uma estimativa de custos. Então iremos colocar no Plano Municipal para que tenhamos essa meta ao longo do governo. O principal objetivo desta primeira etapa, com a regulação dos materiais ortopédicos é dar ao paciente maior independência e autonomia em todos os aspectos de sua vida. O importante é que ele compreenda o que aconteceu com seu corpo e perceba que pode reestruturar sua vida utilizando uma cadeira de rodas ou outro meio auxiliar para sua locomoção”, comenta Fabíola Heck.

O superintendente da Associação Fluminense de Reabilitação, Telmo Holz se disponibilizou a auxiliar o município a criar um estudo de implantação do Centro Especializado em Reabilitação.

“Nós podemos trazer um modelo de gestão para Petrópolis para implantar uma unidade do CER no município, mas é preciso realizar um estudo criterioso. A população já está ganhando mais velocidade, assertividade e qualidade na parceria que firmamos com o fornecimento órteses (aparelho que auxilia e corrige um órgão ou função deficiente), próteses (aparelho que substitui a perda de um segmento do corpo) e meios auxiliares de locomoção (muletas, cadeiras de rodas, bengalas e andadores)”, disse Telmo Holz.
Fonte: G1 

"D+eficiência”: conheça a rede social que conecta pessoas com deficiência

Rede de apoio e aprendizagem virtual pode contribuir com a reabilitação, participação e qualidade de vida de seus usuários
Tela da rede social. Imagem: Reprodução
Uma rede social para que pessoas com deficiência compartilhem suas dificuldades e, dessa forma, recebam auxílio no processo de reabilitação, inclusão social e autonomia. Essa é a proposta da plataforma D+eficiência : um projeto que surgiu da tese de doutorado da professora da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) Fabiana Faleiros Santana Castro.
Pacientes, familiares, cuidadores e profissionais da área podem participar da rede social. Para utilizar, é necessário apenas a criação de um perfil para interagir com as pessoas por meio de postagem de fotos, vídeos, reportagens e artigos. O principal benefício da plataforma é a presença de conteúdos confiáveis, com supervisão constante de profissionais da saúde.
O projeto é coordenado pela professora Fabiana e fomentado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Edital Tecnologia Assistiva no Brasil e Estudos sobre Deficiência (PGPTA).
A inciativa da USP ainda conta com a colaboração da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) e Universidade de Dortmund, na Alemanha.

A mesa dos sonhos de todo cadeirante!


Frederico Rios

Entre os vários perrengues que passo por ser cadeirante, um dos que mais me tiram do sério é a falta de mesas acessíveis para fazer uma simples refeição. São raros os restaurantes, lanchonetes e praças de alimentação onde consigo me acomodar adequadamente com a cadeira de rodas, sendo necessário, muitas vezes, ficar de lado na mesa, me posicionar muito distante da comida ou até mesmo pedir ajuda para outra pessoa, já que não tenho destreza nas mãos.

Pode parecer inofensivo, mas experimente sentar numa cadeira de rodas e se aproximar de uma daquelas mesinhas com apoio central, comum em lanchonetes, ou então de uma mesa de plástico. É terrível!

Mas nem tudo são espinhos! Estive no Madero Steak House Ribeirão Preto e me deparei com esta “apetitosa” mesa! Trata-se de um exemplar raro
😀 , onde cadeirantes podem comer de frente para o prato e sem derrubar metade da comida na roupa!

A mesa possui uma altura livre inferior satisfatória e não tem pés. Seu único apoio é na parede, onde existe uma peça de madeira integrada à mesa. No restaurante há várias mesas iguais a essa.

norma técnica de acessibilidade estabelece parâmetros para uma mesa acessível, e ao contrário do que muitos imaginam, tais parâmetros não transformam mesas em discos voadores ou coisa parecida. Concordo que mesas pequenas podem poupar algum espaço em bares e restaurantes, mas basta darmos uma volta por aí para encontramos muitas mesas médias e grandes totalmente inadequadas, que poderiam ser acessíveis com poucas modificações e sem prejudicar o layout do estabelecimento.

Também não podemos esquecer que existe a obrigatoriedade de se garantir um percentual de mesas acessíveis em bares e restaurantes. Certamente isso é positivo, mas por que não termos mais mesas adequadas, ou quem sabe todas, se o espaço permitir? Por que devo sentar sempre no mesmo lugar quando vou a um restaurante de minha preferência? Será que pessoas sem deficiência também não iriam preferir mesas mais confortáveis? Fica a reflexão…



45 Cidades Acessíveis Premiadas pela Comissão Européia


2017 Vencedor do Prêmio Cidades Acessíveis – Chester, Reino Unido
As Cidades Acessíveis europeias têm um papel importante a desempenhar na prestação de um bom acesso tanto aos seus próprios cidadãos com deficiência como a turistas de todas as idades e habilidades.

Muitas cidades europeias estão trabalhando para construir sua reputação como cidades acessíveis e habitáveis ​​que oferecem uma calorosa recepção a todos os visitantes.

Estas são cidades europeias acessíveis, estabelecendo novos padrões em seus contínuos esforços para melhorar a acessibilidade.

Prêmio de Cidades Europeias Acessíveis

O Prêmio Cidades Acessíveis (Access City Award – link para o formulário de inscrição, 2018) foi lançado em maio de 2010 pela Comissão Europeia e funcionou anualmente desde então.

O prêmio é dado à cidade que:

Demonstrou melhorar a acessibilidade em aspectos fundamentais da vida urbana:

  • O ambiente construído e os espaços públicos;
  • Transporte e infraestrutura relacionada;
  • Informação e comunicação, incluindo Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC);
  • Instalações e serviços públicos.
  • Está comprometido com a melhoria contínua da acessibilidade de forma sustentável;
  • Pode atuar como um modelo a seguir e encorajar a adoção de melhores práticas em todas as outras cidades europeias.

Como tal, a competição abrange a acessibilidade na vida cotidiana dos residentes da cidade e, até certo ponto, a acessibilidade das ofertas turísticas. No entanto, os produtos de turismo acessíveis, serviços e marketing não estão especificamente incluídos nos critérios do prêmio.

2017 Vencedor do Prêmio Cidades Acessíveis: Chester, Reino Unido

A cidade de Chester (Reino Unido) recebeu o primeiro prêmio em 2017 por sua dedicação para garantir que a cidade e suas belas muralhas medievais possam ser apreciadas por tantas pessoas quanto possível. Foram recomendadas outras boas práticas reconhecidas das cidades de Roterdã (Países Baixos), Jūrmala (Letónia), Lugo (Espanha), Skellefteå (Suécia), Alessandria (Itália) e Funchal (Portugal).

Faça o download do Caderno Prêmio Cidades Acessíveis 2017 (em inglês)

2016 Vencedor do Prêmio Cidades Acessíveis: Milão, Itália

  • Wiesbaden, Alemanha – Segundo Prêmio
  • Toulouse, França – Terceiro Prêmio e Menção Especial como “Cidade Inteligente”
  • Vaasa, Finlândia – Menção especial para o compromisso de melhorar o ambiente de trabalho para a sua população idosa e com deficiência
  • Kaposvár, Hungria – Menção especial por seu compromisso em melhorar o acesso de idosos e deficientes

2015 Vencedor do Prêmio Cidades Acessíveis: Borås, Suécia

O Prêmio, apresentado em Bruxelas em 3 de dezembro de 2014, reconhece a abordagem abrangente e estratégica de Borås para criar uma cidade acessível para todos; Um bom exemplo de ação local para ajudar a remover as muitas barreiras que as pessoas com deficiência ainda enfrentam em suas vidas diárias.
  • Helsinki (Finlândia) recebeu o segundo prêmio.
  • Ljubljana (Eslovênia) recebeu o terceiro prêmio.
  • Logroño, Espanha, recebeu uma menção especial no campo do ambiente construído e dos espaços públicos.
  • Budapeste, Hungria, recebeu uma menção especial pelo seu trabalho no campo do transporte.
  • Arona, Espanha e Luxemburgo obtiveram uma menção especial para instalações e serviços públicos.
Nenhuma menção especial foi concedida na categoria Tecnologias de Informação e Comunicação.

2013-14 Vencedor do Prêmio Cidades Acessíveis: Gotemburgo, Suécia

Na quarta edição, o vencedor foi Gotemburgo (Suécia) com o segundo lugar Grenoble (França) e o terceiro lugar Poznan (Polônia). Menções especiais foram para Belfast (Reino Unido), Dresden (Alemanha), Burgos (Espanha) e Málaga (Espanha).

2012-13 Vencedor do Prêmio Cidades Acessíveis: Berlin, Alemanha

Na terceira edição, 99 cidades de 20 Estados membros da UE participaram da competição. O Prêmio foi concedido à Cidade Alemã de Berlim. Os outros dois finalistas foram: Nantes (França) e Estocolmo (Suécia). O júri também atribuiu menções especiais para: Pamplona (Espanha) para o ambiente construído e espaços públicos, Gdynia (Polônia) para transportes e infraestruturas relacionadas, Bilbao (Espanha) para informação e comunicação, incluindo novas tecnologias e Tallaght (Irlanda) para instalações públicas e serviços.

2011-12 Vencedor do Prêmio Cidades Acessíveis: Salzburgo, Àustria

Em 2011-12, foram recebidas 114 candidaturas de cidades em 23 Estados-Membros da UE.A cidade austríaca de Salzburgo foi proclamada como vencedora geral. Os três finalistas “segundo classificado” foram (em ordem alfabética): Cracóvia (Polônia), Marburg (Alemanha) e Santander (Espanha). Foram feitas menções especiais para realizações notáveis: Terrassa (Espanha) para o ambiente construído e espaços públicos, Ljubljana (Eslovênia) para transporte e infraestruturas relacionadas, Olomouc (República Checa) para informação e comunicação, incluindo novas tecnologias e Grenoble (França) para Instalações e serviços públicos.

2010-11 Vencedor do Prêmio Cidades Acessíveis: Ávila, Espanha

Na edição inaugural 2010-11, participaram da competição 66 cidades europeias de 19 Estados-Membros da UE. A cidade vencedora foi Ávila na Espanha. Os três outros finalistas foram Barcelona (Espanha), Colônia (Alemanha) e Turku (Finlândia).


Fonte: Turismo Adaptado
Anterior Inicio