27/11/2017

Rio recebe Campeonato Brasileiro de Paraciclismo de Estrada em dezembro


A cidade do Rio de Janeiro será palco do Campeonato Brasileiro de Paraciclismo de Estrada entre os dias 1º e 3 de dezembro. O evento, que acontecerá no Parque Olímpico do Rio, espera reunir cerca de 200 paratletas de vários estados do país que estarão competindo divididos em quatro categorias de classes (H1 a H5, T1 e T2, C1 a C5 e Tandem).

Os participantes irão disputar o título nacional nas provas de Contrarrelógio Individual e Resistência. Diferente das temporadas anteriores, nas quais o título nacional era definido pelo campeão da Copa Brasil, desta vez o brasileiro será realizado em etapa única que também somará pontos para o ranking nacional.

Para participar, os atletas precisam realizar a inscrição até o dia 22 de novembro. A participação estará aberta para ciclistas avulsos ou filiados a clubes que estejam regularizados no ano de 2017. O procedimento de inscrição deve ser realizado no sistema on-line da CBC através do site www.cbc.esp.br.

Todos os atletas que não possuírem classificação funcional (nacional e/ou internacional), deverão obrigatoriamente passar pela banca de classificação funcional da confederação antes da sua participação no evento, sob pena de ficar impedido de participar da competição.

Novidade no Brasileiro

Estreando no campeonato brasileiro este ano, a prova de Team Relay, disputada por atletas da categoria Handbike, pretende atrair novos competidores e ampliar o espírito de equipe entre os participantes. As equipes devem ser formadas por 3 (três) atletas, que devem cumprir criteriosamente as regras do regulamento [Link do regulamento].

Para o Coordenador do Paraciclismo na CBC, Edilson Alves “Tubiba”, incluir o Team Relay além de valorizar os competidores vai deixar a competição ainda mais emocionante para quem estiver assistindo.

“A inclusão do Team Relay no Campeonato Brasileiro segue uma ampla relação de mudanças que estipulamos para essa temporada. As modificações estão sendo realizadas pensando na profissionalização da modalidade e também na valorização do atleta, criando novas oportunidades e ampliando a socialização entre os atletas”, declarou Tubiba. 

*Com informações da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC)

Assessoria de comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br) 

Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.