11/09/2014

Pérolas da acessibilidade

Depois de vários posts e muitas visitas, resolvi listar e compartilhar com vocês algumas “pérolas da acessibilidade” que já vimos por aí. Escolhi algumas fotos que me marcaram e me fazem recordá-las sempre que vejo algo semelhante.


Calçada com piso tátil, porém o mesmo foi instalado “junto” das barreiras arquitetônicas. Um exemplo de falsa acessibilidade e de desperdício de dinheiro.


Telefone público acessível instalado numa praça revitalizada. O problema? Estar alocado numa área onde há grama. Além disso, é necessário vencer um degrau para chegar até ele.

Outro ponto negativo é que não há sinalização tátil indicando a presença de um telefone público para deficientes visuais.



Piso tátil instalado na calçada, onde o piso adjacente é um gramado. Além da grama, outras plantas invadem a faixa de circulação.

Esse “formato” de calçada prejudica não só a passagem de deficientes visuais, mas também de cadeirantes, idosos e várias outras pessoas.


Infelizmente esta é uma situação corriqueira: motos estacionadas sobre o espaço adicional de circulação de vagas reservadas. O detalhe é que esse espaço é sinalizado com faixas “amarelas”, indica que não é permitido estacionar sobre elas, mas…


Rebaixamento de guia sem sinalização tátil. Entretanto, o detalhe principal é a presença de um degrau entre o rebaixamento e o asfalto, tornando a estrutura praticamente sem função alguma.


Pérolas da acessibilidade são mais comuns de se encontrar do que muitos imaginam, mas algumas delas tornam-se inesquecíveis!


Maria Alice Furrer

Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.