04/06/2014

Salvador ganha central para quem possui deficiência auditiva

A Central de Intérpretes de Libras da Bahia (CILBA), foi inaugurada nessa quinta-feira (29/5) e irá auxiliar na comunicação da população, com esse tipo de deficiência, durante consultas médicas e serviços públicos em geral.

Em Salvador (BA), a partir de agora as pessoas com deficiência auditiva terão intérpretes de Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Central de Intérpretes de Libras da Bahia (CILBA), foi inaugurada nessa quinta-feira (29/5) e irá auxiliar na comunicação da população, com esse tipo de deficiência, durante consultas médicas e serviços públicos em geral.

Os atendimentos serão realizados por meio de agendamento através das redes sociais, Skype ou presencial, ou seja, na própria Central que funcionará na sede da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH), no Cab, na Avenida Paralela.


Presente na inauguração, a Ministra de Estado e Chefe da Secretária de Direitos Humanos da Presidência da República, Ideli Salvati, elogiou a Bahia como sendo uma das cidades pioneiras em exemplo de políticas públicas para pessoas com deficiência.


A ministra salientou que o estado possui cerca de 170 mil pessoas com deficiência auditiva e que a central chega para atender uma demanda antiga da população.


“Fala-se muito em acessibilidade para pessoas com deficiência, mas o acesso a comunicação é algo fundamental para todos. Ao longo dos anos, a secretária vem somando uma grande demanda de dificuldades enfrentadas por esse público. A central já é um sucesso em outras cidades a exemplo de Pernambuco e agora a população de Salvador passará a contar também com os benefícios”, destacou a ministra.


De acordo com o secretário nacional dos direitos da pessoa com deficiência, Antônio José Ferreira, a Central que é a primeira de Salvador, permitirá que qualquer pessoa  com esse tipo de deficiência possa solicitar, por exemplo, a presença de um intérprete  quando for a uma consulta médica, audiência trabalhista, bancos dentre outros serviços que exijam a presença de auxílio na comunicação.


Ainda segundo o secretário, a unidade conta com três profissionais qualificados e uma   van que  irá conduzir as pessoas até o local de atendimento  solicitado. “Essa iniciativa busca contribuir na melhoria do atendimento e do respeito à diversidade  linguística e sociocultural da convivência social”, afirmou o secretário.


Fonte: Tribuna da Bahia e Vida mais Livre
Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.