07/07/2013

Sebrae promove a acessibilidade nos pequenos negócios

O Sebrae-SP (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de São Paulo) e a Secretaria do Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência lançaram nesta semana o Sebrae Mais Acessível. O projeto promove a empregabilidade e o empreendedorismo da pessoa com deficiência nas micro e pequenas empresas.


“O objetivo do Sebrae Mais Acessível é estimular as pessoas com deficiência a empreenderem e também incentivar os pequenos negócios a contratarem, mesmo não se enquadrando na Lei de Cotas,  que obriga as empresas com 100 ou mais funcionários a preencherem de 2% a 5% dos seus cargos com beneficiários reabilitados ou pessoas com deficiência”, afirma o diretor superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano.


Segundo o Relatório Mundial sobre a Deficiência existem 1 bilhão de pessoas com deficiência no mundo. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a parcela da população brasileira com alguma deficiência intelectual, motora, visual ou auditiva passou de 14% em 2000 para 24% em 2010, totalizando 45,6 milhões de pessoas.

De acordo com o Censo (2010), no Brasil, 18,5 milhões de pessoas com deficiência trabalham por conta própria e 39 milhões com carteira assinada. Em São Paulo são 3,6 milhões profissionais autônomos e quase 11,8 milhões formalizados.

A secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, falou sobre a importância da conscientização nas Micro e Pequenas Empresas (MPEs). “Sabemos que a maior parte das empresas no país são pequenos negócios, então não podemos pensar na lei de cotas sem inclui-las. Só alcançaremos o nosso objetivo mostrando para essas empresas que vale a pena investir no profissional com deficiência”, ressalta Linamara.

“Esta parceria representa um marco histórico, ao promover, de forma inédita no país, a empregabilidade e o empreendedorismo da pessoa com deficiência na pequena empresa. Temos procurado criar mecanismos. Se por um lado, o mercado está convencido da importância de tratar dessa questão da diversidade humana de maneira séria, por outro, o governo do estado de São Paulo tem buscado soluções de capacitação para essas pessoas”, conta Linamara Rizzo Battistella.

Durante a apresentação do plano, Bruno Caetano também pediu atenção à relação com o cliente com deficiência. “Poucos são os empresários que valorizam esse consumidor e enxergam o seu grande potencial de consumo”, explica.

A Instituição, na preocupação de proporcionar um melhor atendimento, desenvolveu para os colaboradores, o Guia de Relacionamento com o cliente com deficiência que traz informações e procedimentos técnicos proporcionando um atendimento mais acessível ao cliente do Sebrae-SP.

Outro recurso oferecido pela entidade é o Projeto Libras. Ele disponibiliza intérprete de libras (língua brasileira de sinais) para o cliente com deficiência auditiva e/ou surda. O interessado em ter o serviço à disposição nos eventos presenciais deve solicitar a presença do profissional no ato da inscrição em um dos 33 escritórios regionais ou pelo 0800 570 0800. O benefício é gratuito e a única exigência é que o pedido seja feito com cinco dias úteis de antecedência.

Sebrae Mais Acessível:

O projeto visa incentivar, por meio de palestras, a contratação de pessoas com deficiência nas micro e pequenas empresas e capacitar empresários e futuros empreendedores também com deficiência em temas de gestão com o auxilio de  vídeos, aplicativos com recursos de acessibilidade e  biblioteca  virtual com conteúdo em áudio. O teor é gratuito e em breve poderá ser visualizado no site www.sebraesp.com.br.
O Sebrae-SP e a Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência também vão orientar o empresário a como se relacionar e integrar o profissional com deficiência na equipe de trabalho. As instruções serão feitas por meio de vídeos com dicas.


Fonte: http://www.portalr3.com.br/ - APNEN Nova Odessa
Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.