06/04/2015

Obras no Centro Paraolímpico Brasileiro chegam a 79% de conclusão

Instalação em São Paulo permite a prática de 15 modalidades (Foto: Divulgação)

Destinado à prática de 15 modalidades paraolímpicas, o Centro Paraolímpico Brasileiro, em São Paulo, está com 79% das obras executadas. O complexo é considerado o maior legado dos Jogos Rio 2016 aos esportes adaptados no Brasil.

A instalação é dividida em cinco setores. O primeiro engloba a recepção principal, as garagens e as quadras de tênis em cadeira de rodas. O segundo é o do ginásio 1, destinado ao treinamento de vôlei, basquete, rúgbi e futebol de 5, enquanto o terceiro setor é o do parque aquático.

No setor 4 fica o ginásio 2, onde será praticado judô, esgrima, bocha, goalball, tênis de mesa e futebol de 7. Já no setor 5 ficará o centro de pesquisa e medicina do esporte, áreas de fitness e de ensino, além de uma pista de atletismo.

O espaço conta ainda com uma espaço conhecido como Casa E3, destinado à área administrativa e de apoio do parque. Além disso, há um centro residencial, com capacidade para 282 pessoas, que contará com refeitório, sala de estar, sala de TV, governança, lavanderia e sala de reuniões.

Estrutura

Localizado no Parque Estadual Fontes do Ipiranga, o Centro Paraolímpico será utilizado pela delegação paraolímpica brasileira para treinamento, competições e intercâmbios com outras seleções, e permitirá a prática esportiva por novas gerações.

Os investimentos são do PAC, no valor de R$ 264,7 milhões para obras – sendo R$ 145 milhões do governo federal e R$ 119,7 milhões do governo estadual – além de outros R$ 24 milhões para equipamentos (R$ 20 milhões federais e R$ 4 milhões estaduais). O local está sob administração da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, de São Paulo, com parceria do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

A inauguração está prevista para este ano. O local é parte da Rede Nacional de Treinamento, que o Ministério do Esporte está configurando a partir das oportunidades criadas pelos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016. A instalação, que está sendo construída desde dezembro de 2013, será o principal centro de excelência do Brasil e da América Latina para o esporte paraolímpico.

Fonte: Portal no ar
Proxima Anterior Inicio