12/01/2015

Paraplégica, noiva abandona cadeira de rodas e caminha até altar do casamento

Americana Tami Martin-Dietrich enfrentou sessões de fisioterapia para recuperar movimentos dos membros inferiores 13 anos após sofrer acidente que esmagou sua medula

Americana consegue caminhar até altar após acidente que a deixou paraplégica (Foto: Divulgação/Tamiandrob.com)
Em 1999, a americana Tami Martin-Dietrich, 44, se envolveu em um terrível acidente de carro que a deixou incapaz de caminhar devido às sérias lesões internas que sofreu. Em sua pele não havia marcas que lembrassem o drama que passou, a não ser por um machucado no pescoço. "Tudo era interno. Minha medula foi esmagada", disse à rede de televisão americana "ABC News". Martin-Dietrich havia se tornado deficiente física.

Mas seu futuro, apesar das dores do presente, era promissor, pois os médicos acreditavam que em cinco anos a americana poderia voltar a andar, o que não chegou a acontecer após várias sessões de fisioterapia.

"Deixei de ser ativa para não fazer nada. Fiquei com depressão e minha dieta também mudou", contou.

Aos 40 anos de idade e com um notável ganho de peso, ela não tinha realizado o sonho de se casar, e as dificuldades que passava não colaboravam para que um dia chegasse a subir ao altar. Ao se dar conta disto, ela decidiu mudar seu estilo de vida e adotar hábitos mais saudáveis.

"Ainda era solteira e com quase 40. Sempre achei que estaria casada e com filhos nesta idade quando tinha 20 anos", disse. "Fiquei motivada para encontrar o amor da minha vida, mas tinha que ser feliz comigo mesma antes de poder ser feliz com alguém".

Em 2012, 14 anos depois do acidente, Martin-Dietrich passou por uma cirurgiabariátrica, o que a fez perder 87 kg. Um ano depois, em 2013, ela conheceu Rob, o homem pelo qual se apaixonou e com quem decidiu passar o resto de sua vida.

Rob a pediu em casamento e os dois marcaram a data para setembro de 2014.Mas ainda havia algo que a americana queria fazer para se sentir completa: caminhar até o altar.

"Voltei para as sessões de fisioterapia por seis semanas. Ninguém nunca viu alguém melhorar tanto com seis semanas", lembrou sobre seu avanço.

Com o apoio de parentes e amigos, Martin-Dietrich superou os obstáculos e chegou ao seu casamento caminhando como sempre quis. "Quando vi Rob, eu disse: 'estou conseguindo, te vejo em alguns passos'", afirmou. "Estava focada em caminhar o melhor possível".

Depois da cerimônia, Martin-Dietrich começou a contar sua história para que sirva de inspiração para outras pessoas que enfrentam desafios na vida.

"Ficar sentada nunca foi meu plano, mas Deus tinha um plano diferente do meu.Minha mensagem é que as pessoas nunca desistam e nunca se rendam".

Mulher supera deficiência para caminhar até altar (Foto: Divulgação/Tamiandrob.com)

Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.