21/01/2015

Governo de São Paulo lança primeira unidade de reabilitação para pessoas cegas


A cerimônia de lançamento contou com a presença do próprio governador, da Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Dra. Linamara Rizzo Battistella, do secretário Adjunto da mesma pasta Cid Torquato e os presidentes de algumas das prrincipais instituições que atuam no atendimento a pessoas cegas, como Associação Laramara e Adeva, representadas por Mara Siaulys e Markiano Charam, respectivamente, entre outras autoridades.

A menos de quatro meses, após ter anunciado que iria criar unidades da Rede Lucy Montoro para pessoas com deficiência visual, o governador Geraldo Alckmin põe a mão na massa e realizou no sábado, dia 13, Dia Nacional do Cego, a cerimônia de lançamento do Serviço de Reabilitação Lucy Montoro Humaitá -  I Unidade para Atendimento de Pessoas com Deficiência Visual. Trata-se da primeira de seis unidades previstas para atendimento específico de pessoas cegas ou com deficiência visual.

Ao anunciar as novas unidades, em agosto deste ano, o governador destacou algumas atividades que serão desenvolvidas nesses centros. “Será ensinado o braile e atividades que tornam independente a pessoa com deficiência visual dentro e fora de casa. Ensinará informática, acessibilidade física e capacitação para a empregabilidade”, afirmou Alckmin.

A cerimônia de lançamento contou com a presença do próprio governador, da Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Dra. Linamara Rizzo Battistella, do secretário Adjunto da mesma pasta Cid Torquato e os presidentes de algumas das prrincipais instituições que atuam no atendimento a pessoas cegas, como Associação Laramara e Adeva, representadas por Mara Siaulys e Markiano Charam, respectivamente, entre outras autoridades.

O governador Geraldo Alckmin lembrou o cenário onde foi implantado o serviço de reabiltiação. "Aqui era um terreno abandonado com uma casinha no fundo e local de ponto de drogas. Agora mudou: vai ser um local de luz, de saúde para atender quem precisa, tem 7 milhões de pessoas com problemas de visão para atendimento. com equipes multidisciplinares e todas as profissões aqui unidas para atendimento clinico, consultórios, prevenção, tecnologia, qualificação profissional, empregabilidade, acessibilidade, enfim o primeiro Centro do Estado de São Paulo para atender as pessoas que precisam". 

O governador destacou investimento de R$12 milhões do Governo do Estado de São Paulo. "A saúde para a população não pode ser mais ou menos, tem que ser bom, qualidade de graça, então unimos aqui a USP, a Faculdade de Medicina, o Hospital das Clinicas, a Rede Lucy Montoro, um time campeão. Abraçando a Linamara, quero abraçar a todos e comemorar essa grande conquista para a população de São Paulo", afirmou Alckmin.

Para a Secretária de Estado Dra. Linamara, o serviço de reabilitação recém-lançado representa um avanço para a inclusão das pessoas com deficiência visual. "Vamos construir um programa que possa alcançar todo o Estado, para dar assistência aos 7,3  milhões de brasileiros que moram em São Paulo e que tem algum tipo de deficiência visual. Nós também queremos mostrar para todos que passem neste espaço, para todos os moradores desta região o direito de sentir e viver a vida a partir da deficiência visual, é isso que este Centro vai irradiar, um espaço generoso de elegância, das tecnologias e acima de tudo um espaço generoso do conhecimento para mostrar à sociedade que é preciso dar espaço e fortalecer a diversidade humana, mostrar que é preciso garantir os direitos de todos os cidadãos. Garantir os direitos significa ter acesso amplo a área da saúde, formação profissional, educação de qualidade e tecnologias para a inclusão social", destacou.


Segundo o Censo do IBGE, o Brasil possui 45,6 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, das quais mais de 35 milhões apresentam algum problema na visão. Entre essas, cerca de 580 mil são cegas. No estado de São Paulo há 7,3 milhões de pessoas com algum tipo de dificuldade para enxergar.
REDE LUCY

A Rede de Reabilitação Lucy Montoro, desde 2008, atende pacientes com lesão medular, traumas, AVC [acidente vascular cerebral], e doenças degenerativas. Criada pelo Governo do Estado de São Paulo, pelo decreto 52.973/2008, regulamentada pelo decreto 55.739/2010 e alterada pelo decreto 58.050/2012, a Rede de Reabilitação Lucy Montoro tem como objetivo proporcionar o melhor e mais avançado tratamento de reabilitação para pacientes com deficiências físicas incapacitantes, motoras e sensório-motoras. Agora, seu foco é ampliado, com os mesmos critérios de qualidade, para os pacientes com deficiência visual. 


A Rede realiza programas de reabilitação específicos, de acordo com as características de cada paciente. Os tratamentos são realizados por equipes multidisciplinares, composta por profissionais especializados em reabilitação, entre médicos fisiatras, enfermeiras, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, educadores físicos e fonoaudiólogos.



Hoje, a Rede de Reabilitação Lucy Montoro realiza mais de 100 mil atendimentos por mês. Estão em funcionamento as unidades Morumbi, Ribeirão Preto, Vila Mariana, São José do Rio Preto, Campinas, Clínicas, Lapa, São José dos Campos, Umarizal, Jaú, Presidente Prudente, Santos, Mogi Mirim e Fernandópolis.



Para ser atendido pela Rede de Reabilitação Lucy Montoro é necessário que o paciente receba do médico da rede pública de saúde o encaminhamento para a reabilitação e entre em contato com o Departamento Regional da Saúde para agendamento da triagem. As novas unidades para atendimento a pessoas com deficiência visual seguirão os mesmos critérios e princípios da Rede Lucy.
PRONUNCIAMENTO DA SECRETÁRIA DRA. LINAMARA RIZZO BATTISTELLA DURANTE O LANÇAMENTO DO SERVIÇO DE REABILITAÇÃO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL REDE LUCY HUMAITÁ, EM 13 DE DEZEMBRO DE 2014, DIA NACIONAL DO CEGO:
O Governador havia insistido que nós estudássemos o melhor modelo de atendimento ao deficiente visual e como sempre o Governador Geraldo Alckmin fala, não apenas como um modelo de atendimento, mas um modelo que possa influir na formação de recursos humanos, na articulação intersetorial e na forma como a sociedade enxerga a questão da deficiência e aqui com um detalhe - a deficiência visual. Governador estamos entregando aqui um pacote!  

Quero agradecer muito a presença do Dr. Ruy Tanigawa, que é do Conselho Regional de Medicina.  Dr. Geraldo, é impressionante como o Conselho e o Ruy que é o meu amigo de muitos anos, tem nos ajudado em todas as empreitadas. O Conselho precisa lutar para que cada vez mais a área da saúde esteja presente dentro das políticas governamentais federais, por que nas políticas governamentais estaduais ela já é talvez um dos alicerces mais fortes, e é isso que o Conselho tem feito.



Agradeço a todas as Associações que estão presentes e que aqui estarão formando uma grande rede. Nós não estaríamos falando para esses 7 milhões de brasileiros que moram em São Paulo, se nós não tivéssemos a presença forte e calorosa da Instituição Padre Chico, desde 1926; ou da Fundação Dorina Nowill, que com o seu trabalho incrível desde 1946, atende as pessoas com deficiência visual; a presença da Adeva, que ultrapassa a questão da reabilitação e vai para a profissionalização desde 1978; e certamente a destacada presença da Laramara, que desde 1991 traz tecnologia, traz uma diferenciação no atendimento e ajuda na formação de recursos humanos. Essas entidades fizeram a história da deficiência visual e estarão presentes dentro desse Centro, nós vamos formar uma grande rede de assistência.



O Hospital das Clinicas tem uma história notável. Em 1957, a Organização dos Estados Americanos e a ONU vem ao Hospital das Clinicas para formar o primeiro Instituto de Reabilitação e durante muitos anos a reabilitação do deficiente visual foi um tema privilegiado dentro do hospital. Eu mesma fui aluna do Silas Maciel e aprendi orientação e mobilidade com ele. 



Por razões históricas, e pela questão da complexidade que o SUS vai assumindo, a questão da deficiência visual desaparece como uma prioridade dentro do Hospital, para agora surgir dentro desse Centro que já nasce ligado ao Hospital das Clinicas, ligado a Faculdade de Medicina. Portanto, para atingir essa meta significa um atendimento de qualidade, formação de recursos humanos, pesquisa e desenvolvimento tecnológico. 



Mas a gente não pode fazer ou não pode abraçar todas essas áreas, se nós não tivermos aqui a presença de uma liderança forte e que possa contemplar na área da saúde as necessidades reais das pessoas com deficiência. Por isso eu quero cumprimentar aqui o professor Remo Susanna Junior, que é o nosso professor de oftalmologia, que tem traduzido com os seus estudos nacionais e internacionais, o respeito que ele tem no mundo internacional, no mundo cientifico com o tratamento da catarata, com o tratamento do glaucoma e com a deficiência visual em todas as suas nuanças. 



Ter a parceria do professor Remo, saber que nós vamos contar com a retaguarda de uma grande Universidade, nos anima a pretender um projeto ambicioso, nos anima nessa ambição de construir uma rede efetiva de Reabilitação. Quero agradecer a presença do nosso Superintendente o Engenheiro Antônio José, do Hospital das Clinicas, uma presença que extrapola o seu interesse em Cerqueira Cesar, ele está presente em várias unidades da zona oeste e agora estará presente num trabalho absolutamente inovador, nós queremos abraçar cada um dos cidadãos que moram nessa região, cada um dos deficientes que vierem nos procurar com o conhecimento, com a sabedoria do hospital das Clinicas, então meus cumprimentos a todos presentes aqui, em nome da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoas com Deficiência de São Paulo. Eu quero agradecer muito as Instituições que nos ajudam, mas quero agradecer também a presença do Marcos Zerbini, o nosso Deputado Estadual que nos apoia nesta causa.



Nós temos uma presença muito clara da tecnologia, e essa tecnologia que vem sendo trazida pela Laramara, vai estar presente dentro desse Centro, mas nós não queremos esquecer toda a história da deficiência visual dentro do Estado de São Paulo, queremos abraçar o Estado, abraçando a Emanuelle Alkmin que é a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida da cidade de Campinas. Começamos em São Paulo, começamos na grande São Paulo, nós não queremos esquecer nenhuma das regiões do Estado, vamos juntos agora com os Secretários Municipais da Pessoa com Deficiência e com as Secretaria Municipais de Saúde, construir um programa que possa alcançar todo o Estado, para dar assistência aos 7,3  milhões de brasileiros que moram em São Paulo e que tem algum tipo de deficiência visual.

Nós também queremos mostrar para todos que passem neste espaço, para todos os moradores desta região o direito de sentir e viver a vida a partir da deficiência visual, é isso que este Centro vai irradiar, um espaço generoso de elegância, das tecnologias e acima de tudo um espaço generoso do conhecimento para mostrar à sociedade que é preciso dar espaço e fortalecer a diversidade humana, para mostrar para a sociedade que é preciso garantir os direitos de todos os cidadãos, garantir os direitos significa ter acesso amplo a área da saúde, formação profissional, educação de qualidade e tecnologias para a inclusão social.
Eu quero agradecer muito a equipe da Secretaria, este empreendimento que teve um grande investimento do Governo do Estado de São Paulo e vai continuar investindo em parceria com o Hospital das Clinicas que tem um significado muito grande para todos nós e que só foi possível graças ao empenho do nosso chefe de gabinete o Alexandre Perroni; quero agradecer ao Cid Torquato., o nosso Secretário Adjunto; ao Marco Pellegrini, que era Secretário na época que começamos esse grande sonho de responder o desafio do nosso Governador de dar atendimento de qualidade as pessoas com deficiência visual; e quero agradecer muito aos amigos e parceiros."  (Linamara Rizzo Battistella)


Proxima Anterior Inicio