Exposição reúne trabalhos de arte inclusiva em Joinville (SC)

Compartilhe »»
Uma das três gestações de Maria da Paz Correa, 59 anos, foi bastante delicada porque teve um problema de saúde e o bebê ficou sem oxigênio no cérebro. Carolina Correa, 36 anos, nasceu com deficiência neurológica leve e mudou a rotina da família. Duas vezes na semana elas saem do bairro Fátima para pintar, participar de aulas de inclusão digital e receber acompanhamento psicológico e nutricional no Instituto Cultural Ademar Cesar, no Costa e Silva, em Joinville.

Há pouco mais de dois anos, mãe e filha participam das atividades. “Mudou bastante a vida da gente, foi algo maravilhoso para ela e para mim”, diz. Maria faz referência ao fato de se dedicar constantemente a filha. “A gente passa a viver a vida deles, como o instituto é um local onde os pais podem participar, isso ajuda”. O pai Carlos Miguel da Silva, 57 anos, em dias de folga, acompanha a filha nas aulas de pintura.

Para mostrar o trabalho social desenvolvido pela instituição com outras 52 pessoas, uma exposição reúne telas, artesanato, desenho, dança e inclusão digital. Os visitantes poderão conhecer o resultado na praça de eventos do Shopping MuellerSite externo., até o dia 28. “Apresentamos ao público o resultado das atividades desenvolvidas”, resume o artista plástico Ademar Cesar. Participam crianças de sete anos até idosos com 70.

Outra beneficiada é Beatris de Jesus de Oliveira, 12 anos. Duas vezes por semana, a mãe Luzia de Jesus, 35 anos, a leva do bairro Paranaguamirim para o Costa e Silva. Beatris tem uma síndrome chamada artrogripose – que gera atrofia muscular a redução de movimentos. Há dois anos ela começou com pintura e hoje ela faz dança e inclusão digital. “Foi uma porta que abriu na vida dela, passou a ter mais confiança, perdeu a timidez e melhorou a comunicação”, conta a mãe que também começou a pintar.

Início em 2009

O berço do Instituto Cultural Ademar Cesar surgiu em 2009 quando um cadeiranteperguntou ao artista plástico se ele poderia fazer parte das aulas de pintura. Ele e a mulher Jane dos Santos, 49 anos, perceberam a exclusão social para com os deficientes e surgiu “Arte Eficiente”. Em 2011, a entidade é fundada juridicamente e o sonho de prestar serviço social por meio da arte concretizado pelo casal.

“Joinville é uma cidade difícil de trabalhar com arte”, diz o autodidata, há 15 anos ele atua profissionalmente como professor e pintor. A exposição tem como meta mostrar o trabalho e arrecadar fundos para ampliar o atendimento. “Não temos verba pública para auxiliar a instituição”, comenta Jane. São 15 sócios apoiadores, porém, há aproximadamente 30 pessoas na lista de espera para ingressar na instituição. Hoje as aulas são orientadas por profissionais voluntários.

Cesar e a mulher Jane seguem com o pensamento de levar arte a todas as classes sociais. “Penso que a arte não deve ficar contida em um museu ou um local de acesso não permitido a todas as pessoas”.


Serviço
Exposição Instituto Cultural Ademar Cesar
Shopping Mueller
Das 10 às 22h
Gratuito
Para ajudar a instituição ou participar como voluntário o local fica na rua Benjamim Constante, 3870 - Costa e Silva


Nenhum comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.

Tecnologia do Blogger.