29/04/2014

Exposição reúne trabalhos de arte inclusiva em Joinville (SC)

Uma das três gestações de Maria da Paz Correa, 59 anos, foi bastante delicada porque teve um problema de saúde e o bebê ficou sem oxigênio no cérebro. Carolina Correa, 36 anos, nasceu com deficiência neurológica leve e mudou a rotina da família. Duas vezes na semana elas saem do bairro Fátima para pintar, participar de aulas de inclusão digital e receber acompanhamento psicológico e nutricional no Instituto Cultural Ademar Cesar, no Costa e Silva, em Joinville.

Há pouco mais de dois anos, mãe e filha participam das atividades. “Mudou bastante a vida da gente, foi algo maravilhoso para ela e para mim”, diz. Maria faz referência ao fato de se dedicar constantemente a filha. “A gente passa a viver a vida deles, como o instituto é um local onde os pais podem participar, isso ajuda”. O pai Carlos Miguel da Silva, 57 anos, em dias de folga, acompanha a filha nas aulas de pintura.

Para mostrar o trabalho social desenvolvido pela instituição com outras 52 pessoas, uma exposição reúne telas, artesanato, desenho, dança e inclusão digital. Os visitantes poderão conhecer o resultado na praça de eventos do Shopping MuellerSite externo., até o dia 28. “Apresentamos ao público o resultado das atividades desenvolvidas”, resume o artista plástico Ademar Cesar. Participam crianças de sete anos até idosos com 70.

Outra beneficiada é Beatris de Jesus de Oliveira, 12 anos. Duas vezes por semana, a mãe Luzia de Jesus, 35 anos, a leva do bairro Paranaguamirim para o Costa e Silva. Beatris tem uma síndrome chamada artrogripose – que gera atrofia muscular a redução de movimentos. Há dois anos ela começou com pintura e hoje ela faz dança e inclusão digital. “Foi uma porta que abriu na vida dela, passou a ter mais confiança, perdeu a timidez e melhorou a comunicação”, conta a mãe que também começou a pintar.

Início em 2009

O berço do Instituto Cultural Ademar Cesar surgiu em 2009 quando um cadeiranteperguntou ao artista plástico se ele poderia fazer parte das aulas de pintura. Ele e a mulher Jane dos Santos, 49 anos, perceberam a exclusão social para com os deficientes e surgiu “Arte Eficiente”. Em 2011, a entidade é fundada juridicamente e o sonho de prestar serviço social por meio da arte concretizado pelo casal.

“Joinville é uma cidade difícil de trabalhar com arte”, diz o autodidata, há 15 anos ele atua profissionalmente como professor e pintor. A exposição tem como meta mostrar o trabalho e arrecadar fundos para ampliar o atendimento. “Não temos verba pública para auxiliar a instituição”, comenta Jane. São 15 sócios apoiadores, porém, há aproximadamente 30 pessoas na lista de espera para ingressar na instituição. Hoje as aulas são orientadas por profissionais voluntários.

Cesar e a mulher Jane seguem com o pensamento de levar arte a todas as classes sociais. “Penso que a arte não deve ficar contida em um museu ou um local de acesso não permitido a todas as pessoas”.


Serviço
Exposição Instituto Cultural Ademar Cesar
Shopping Mueller
Das 10 às 22h
Gratuito
Para ajudar a instituição ou participar como voluntário o local fica na rua Benjamim Constante, 3870 - Costa e Silva


Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.