No Dia internacional das pessoas surdocegas, ativista fala sobre inclusão na educação

Compartilhe

No dia 27 de junho, é comemorado o Dia internacional das pessoas surdocegas. A data foi escolhida por marcar o nascimento da escritora norte-americana Hellen Keller, primeira pessoa surdocega a conquistar um bacharelado no início do século XX.

No Brasil, uma das referências na luta pelos direitos das pessoas surdocegas é Claudia Sofia. Na presidência da Associação Brasileira de Surdocegos (ABRASC), Claudia endossa um movimento para garantir a esse público o acesso ao currículo, com qualidade, nas redes de ensino públicas e particulares. “Para atingir esse objetivo, temos formado instrutores-mediadores para acompanhar os estudantes com surdocegueira congênita e guias-intérpretes para os com surdocegueira adquirida, na sala de aula e fora dela, dependendo da necessidade”, conta.

A presidente da ABRASC é surdocega desde os 17 anos e, para se comunicar, usa o Tadoma. Nessa técnica, ela coloca a mão próxima à boca da pessoa com quem fala. Além deste método, ela também se comunica pelo alfabeto manual tátil, pela Língua brasileira de sinais (Libras) tátil e pelo braille.

Para ela, os desafios para a inclusão dos surdocegos na escola regular são muitos, mas cada vez mais as portas têm sido abertas. “Precisamos reconhecer e celebrar as conquistas e vitórias. Atualmente, há muitas crianças e adolescentes surdocegos nas escolas, jovens no ensino médio e nas universidades. Temos vários pedagogos, fisioterapeutas e outros profissionais formados”

Para Claudia, a luta é para que a sociedade reconheça as pessoas surdocegas enquanto sujeitos de direitos. “Nós somos capazes. Capazes de aprender, de estar no mundo, de sonhar. Queremos ser reconhecidos e incluídos. Essa é a nossa luta.”



Estima-se que haja 1.200 pessoas surdocegas no Brasil. A perda da audição e da visão podem ser causadas por diversos fatores, entre eles a Síndrome de Usher (USH), uma doença hereditária da Retina que também leva à perda auditiva. A pessoa com deficiência visual e auditiva enfrenta desafios cotidianos, sendo essencial efetivar sua inclusão. A comunicação coloca-se como uma barreira que precisa ser superada. Por isso dar luz ao Dia Internacional da Pessoa Surdocega é tão importante.

Hellen Adams Keller (1880 – 1968) é ícone para o movimento da surdocegueira. Ela desenvolveu inúmeros trabalhos em favor das pessoas com deficiência, imprimindo força, consciência e voz às pessoas surdocegas. Como pensadora ela deixou um legado para toda a sociedade, sendo um exemplo de determinação e garra. Assim, parece agradável relembrar algumas de suas frases:

“O resultado mais sublime da educação é a tolerância.”

“A experiência humana não seria tão rica e gratificante se não existissem obstáculos a superar. O cume ensolarado de uma montanha não seria tão maravilhoso se não existissem vales sombrios a atravessar””

“As melhores e as mais lindas coisas do mundo não se podem ver nem tocar. Elas devem ser sentidas com o coração.”

“Nunca se pode concordar em rastejar, quando se sente ímpeto de voar.”


Algumas Instituições de Referência de Surdocegueira

Hoje em dia, nos quatro cantos do mundo, vêm sendo desenvolvidos programas de atendimento ao surdocego e de apoio aos seus familiares:
  • Na Espanha, a “Unidad Educativa para Niños Sordociegos” da ONCE;
  • Em Portugal, o “Instituto Jacob R. Pereira”; 
  • Na França, o “Centre d'Éducation Specialisée pour Sourds-Aveugles”;
  • Na Itália, a “Lega del Filo d'Oro”;
  • Na Dinamarca, o “Nordic Staff Training Center for the Deaf-Blind Services”;
  • Na Rússia, o Lar “Zagorsk” para a Criança Surdocega;
  • Na Alemanha, o “Deutsches Taubblindenwerk”;
  • Na Inglaterra, a “Carnbooth School”;
  • Na Finlândia, a "Associação Finlandesa de Surdocegos";
  • Nos Estados Unidos, o “Helen Keller National Center for Deaf-Blind Youths and Adults”;

No Brasil:

“Instituto Benjamin Constant”

Localizado no Rio de Janeiro, através do Programa de Atendimento e Apoio ao Surdocego - PAS.

ADEFAV - Associação para Deficientes da Áudio-Visão

A Associação oferece serviços aos surdocegos como cursos de orientação e mobilidade, braille e LIBRAS, além de atendimento psicológico, fonoaudiológico e fisioterapêutico.

AHIMSA - Associação Educacional para Múltipla Deficiência  

A AHIMSA realiza atendimento educacional para crianças, jovens e adultos com deficiência múltipla sensorial e surdocegueira, visando a sua inclusão na sociedade, oferecendo qualidade de vida a essas pessoas.

AGAPASM - Associação Gaúcha de Pais e Amigos dos Surdocegos e Multideficientes

Procura desenvolver ações em parceria com Instituições que possam contribuir para o fortalecimento da sua Missão, valorizando atitudes de cooperação.

AABRASC - Associação Brasileira de Surdocegos

abrascsofia@hotmail.com

A ABRASC não possui um site, mas pode ser contatada através do e-mail acima.

Grupo Brasil de Apoio ao Surdocego e ao Múltiplo Deficiente Sensorial

O Grupo Brasil é uma ONG criada em 1997 para unir as entidades que atendem pessoas com surdo cegueira. Em seu site, é possível consultar as instituições filiadas em cada região do país, conhecer as ações realizadas por elas, as publicações da organização e suas campanhas.

Estas são algumas das organizações que têm propiciado ao surdocego diferentes oportunidades para reverter o processo de exclusão social a que estão submetidas essas pessoas.

Grupo Brasil de apoio ao Surdocego e ao múltiplo deficiente sensorial https://www.facebook.com/surdocegueirabr/

https://www.pensador.com/autor/helen_keller/

http://www.utfpr.edu.br/apucarana/estrutura-universitaria/assessorias/ascom/noticias/acervo/2016/dia-internacional-da-pessoa-surdocega

Fonte: DiversaMundo Surdocego e Retina Brasil

Compartilhe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.

Cursos e Eventos

Vídeos no Youtube

Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Unawheel - Entrega e primeiro passeio
Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Imagem 1

Imagem 1
20 anos na cadeira de rodas

Imagem 2

Imagem 2
Tetra Dirigindo? Como consegui tirar a CNH

Lives da Fê no Insta

Live com a Ruth Maria

Live com a Ruth Maria
Os desafios e aprendizados da vida na cadeira de rodas.

Live sobre O olhar para a sexualidade.

Live sobre O olhar para a sexualidade.
Converso com a Andréia Ribeiro @realizemudancas sobre O olhar para a sexualidade.

Live com Marcos Zufelato

Live com Marcos Zufelato
Família sobre Rodas com Marcos Zufelato 12/08/2020