Rede de Leitura Inclusiva oferece conteúdos adaptados para pessoas com deficiência visual

Compartilhe

 A iniciativa da Fundação Dorina Nowill para Cegos amplia o conhecimento, promove experiências sensoriais e garante mais autonomia a leitores em todo o país.


Para incentivar o acesso de pessoas com deficiência visual à cultura e à informação, a Fundação Dorina Nowill para Cegos desenvolveu o projeto Rede de Leitura Inclusiva, que atua a nível nacional. Além de fornecer livros acessíveis, a iniciativa estimula a criação de grupos de trabalho, que são compostos por profissionais de diferentes áreas e contribuem para a construção e a potencialização de ações de leitura e inclusão. 

Um dos conteúdos mais recentes produzidos com o apoio da instituição é o e-book “Conte uma história”. A publicação foi traduzida para a Libras e apresenta 12 textos escritos por pessoas cegas ou com baixa visão. Os autores foram selecionados a partir do concurso “Desafio Inclusivo BPSC: Conte uma História”, lançado pela Biblioteca Pública de Santa Catarina e pelo Grupo de Trabalho da Rede de Leitura de Santa Catarina (GTSC).

Fundação Dorina Nowill para Cegos

A instituição foi criada com o objetivo de promover a inclusão e acessibilidade às pessoas cegas e com baixa visão. Para isso, ela atua com a produção e distribuição gratuita de conteúdos digitais, audiolivros e livros em braille e com fonte ampliada para todo o Brasil. Cerca de 3 mil escolas, bibliotecas e organizações de todo o país já foram beneficiadas.  

Desde a sua fundação, a entidade já produziu mais de 6 mil títulos e 2 milhões de volumes em braille, além de mais de 2,7 mil obras em áudio e cerca de 900 títulos digitais acessíveis. A instituição possui a maior gráfica braille da América Latina e é responsável pela impressão braille do Plano Nacional do Livro Didático (PNLD), que distribui obras didáticas, pedagógicas e literárias em todo o país. 

Leitura acessível

As tecnologias assistivas ampliam as habilidades de comunicação, audição, visão, locomoção e integração social de pessoas com deficiência e são grandes aliadas de leitores que encontram dificuldades para encontrar publicações inclusivas. Uma das mais populares é a Alexa, assistente virtual da Amazon que apresenta algumas funções de acessibilidade.

Por meio das caixas de som inteligentes Echo, é possível converter os textos dos livros digitais no Kindle para áudio e ouvir os conteúdos ditados pela Alexa. A assistente virtual lê e-books Kindle compatíveis com a tecnologia de conversão de texto para fala, ou livros que estão no catálogo do Kindle Unlimited ou Prime Reading, serviços de assinatura da Amazon. 

Saiba mais sobre a Biblioteca Falada, aplicativo de geolocalização e acessibilidade para pessoas com deficiência visual.

Fonte: Guia de Rodas

Compartilhe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.

Cursos e Eventos

Vídeos no Youtube

Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Unawheel - Entrega e primeiro passeio
Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Imagem 1

Imagem 1
20 anos na cadeira de rodas

Imagem 2

Imagem 2
Tetra Dirigindo? Como consegui tirar a CNH

Lives da Fê no Insta

Live com a Isabela Ribeiro

Live com a Isabela Ribeiro
Converso com a Isabela sobre Autoestima e superação

Live sobre Pessoas com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?

Live sobre Pessoas com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?
Converso com a Váleria Schmidt @schmidt sobre Pessoa com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?

Live com Roberto Denardo

Live com Roberto Denardo
A pessoa com deficiência na vida pública 06/10/2020