Dez esportistas do DF participam dos Jogos Paralímpicos

Compartilhe

O evento começa em uma semana, no dia 24, com atletas locais em cinco modalidades

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: MÔNICA PEDROSO


Chegou o momento de torcer, vibrar e se emocionar com os esportistas nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, que começam no próximo dia 24 (terça-feira), a partir das 8 horas, horário de Brasília, com a cerimônia de abertura no Estádio Nacional do Japão. Fazem parte da delegação brasileira, formada por 260 atletas – incluindo desportistas que atuam como guias, calheiros, goleiros e timoneiro –, dez nomes que nasceram ou tiveram sua trajetória esportiva na capital do país.

Desenvolvido exclusivamente para pessoas com deficiência visual, o golbol conquistou quatro esportistas da cidade. O brasiliense Leomon Moreno integra a equipe bicampeã da modalidade; defende a camisa do Santos Futebol Clube, e joga pelo Sporting de Portugal. Já a mineira Katia Silva e a brasiliense Jéssica Gomes treinam juntas no Centro Olímpico e Paralímpico (COP) de São Sebastião. Ana Gabriely Brito nasceu em Brasília, mas conheceu o esporte no Rio de Janeiro e atualmente está no time do Serviço Social da Indústria (Sesi SP).

A turma do atletismo também estará presente. Beneficiada pelo Bolsa Atleta, programa da Secretaria de Esporte e Lazer (SEL), Rayane Soares participa pela primeira vez de uma edição dos Jogos Paralímpicos. Já Ariosvaldo Fernandes, natural de Campina Grande (PB) e mais conhecido como Parré, e o atleta-guia Wendel de Souza Silva são mais experientes. Parré está na quarta edição; Wendel na segunda.

Uma das maiores promessas brasilienses nos Jogos Paralímpicos, o campeão mundial nos 50m livre na classe S11 (com deficiência visual) Wendell Belarmino faz sua estreia. Aclimatado e  treinando em Hamamatsu, no Japão, ele corre atrás do prejuízo após ter ficado uma semana parado devido aos protocolos estabelecidos por autoridades orientais. No Brasil, o jovem treina na Instituição Pro Brasil, no Centro de Excelência da Universidade de Brasília (UnB).

Há ainda mais dois representantes em distintas modalidades: Jady Malavazzi, no ciclismo, e Sérgio Fróes de Oliva, no hipismo, ambos contam com a experiência de terem participado de edições anteriores. De Jandaia do Sul (PR), a ciclista integra o Time Para Capital, de Brasília, e treinou, principalmente, nas áreas públicas do Lago Norte. Já Sérgio, do Brasília Country Club, disputa a quarta Paralimpíadas.

Com a finalização dos Jogos Olímpicos, a secretária de Esporte e Lazer (SEL), Giselle Ferreira, se prepara para acompanhar o desempenho dos esportistas brasileiros no Japão. “Assim, como os atletas olímpicos, os atletas paralímpicos de Brasília podem contar com dois importantes incentivos da Secretaria: o Bolsa Atleta e o Compete Brasília são essenciais para o cotidiano desses esportistas que superaram vários desafios em nome do amor ao esporte”, destaca.

*Com informações da SEL

Fonte: Agência Brasília

Compartilhe

Um comentário:

  1. Eu e minha família fomos prestigiar as paralimpíadas em 2016!!! Foi mágico!!! Bj Gisa

    ResponderExcluir

Seu Comentário é muito importante para nós.

Cursos e Eventos

Vídeos no Youtube

Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Unawheel - Entrega e primeiro passeio
Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Imagem 1

Imagem 1
20 anos na cadeira de rodas

Imagem 2

Imagem 2
Tetra Dirigindo? Como consegui tirar a CNH

Lives da Fê no Insta

Live sobre Pessoas com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?

Live sobre Pessoas com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?
Converso com a Váleria Schmidt @schmidt sobre Pessoa com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?

Live com Roberto Denardo

Live com Roberto Denardo
A pessoa com deficiência na vida pública 06/10/2020

Live com a Ruth Maria

Live com a Ruth Maria
Os desafios e aprendizados da vida na cadeira de rodas.