Pulsares: projeto cria receitas médicas em linguagem acessível

Compartilhe

 A plataforma gratuita foi criada por um médico cearense para tornar a comunicação na área da saúde mais acessível a todos

Heloisa Aun


Letramento em saúde, comunicação não violenta (CNV) e design thinking. Essas são as bases da Pulsares, uma empresa criada em 2018 com o objetivo de tornar a comunicação na saúde mais humana, acessível e eficiente. O projeto usa tecnologia para criar soluções que facilitam o trabalho dos profissionais da área, ao mesmo tempo em que ajudam as pessoas a compreender sua saúde e possíveis tratamentos. Em um momento de pandemia, com todas as dificuldades de contato e atendimento, isso se torna ainda mais necessário.

A ideia surgiu a partir da experiência de Rogerio Malveira Barreta, de 28 anos, que atualmente vive em Florianópolis (SC). Após realizar uma série de pesquisas, o médico cearense constatou que grande parte das pessoas tem dificuldade de entender as informações durante o atendimento, em especial as destacadas nas receitas. Foi assim que nasceu a Pulsares, uma plataforma de prescrição eletrônica, gratuita e acessível a todas as pessoas. Na prática, a ferramenta “traduz” o diagnóstico e os termos técnicos, que são utilizados de forma recorrente nas consultas médicas.

Como acessar a plataforma

Para acessar a plataforma, o usuário precisa criar um login e uma senha. Depois, basta gerar uma prescrição ou lista de medicação a partir do banco de dados, seguindo a rotina do paciente. Então, a ferramenta torna o processo automático e organiza o documento em horários, com linguagem simples e acessível. Além disso, há o auxílio de imagens nas instruções, por exemplo, mostrando o que tomar por meio de ilustrações. O arquivo gerado pode ser impresso ou enviado de forma digital ao paciente. 

A Pulsares oferece, ainda, cursos e projetos que têm como foco a comunicação descomplicada na área da saúde. Um deles é o primeiro curso EAD de Letramento em Saúde da América Latina para a Secretaria Municipal de São Paulo, via Instituto Tellus e Fundação Novartis, direcionado a profissionais da atenção primária na área. Todas as ações propostas visam uma relação mais humana e efetiva entre as pessoas nesse momento de cuidado. 

Uma das bases do projeto, o letramento em saúde significa como as pessoas entendem essa área, ou seja, as habilidades em acessar, avaliar e aplicar as informações que recebem para tomar decisões em prol de sua qualidade de vida. Já a comunicação não violenta (CNV) é um processo que compreende as habilidades de falar e ouvir, que levam os indivíduos a se entregarem e criarem conexões consigo mesmos e com os outros nas relações, com foco na empatia. Por último, o design thinking representa uma forma de resolução de problemas a partir do ser humano e da colaboração entre todos. Em outras palavras, é explorar um problema e as pessoas envolvidas nele para, ao final, encontrar soluções adequadas.

Quer saber mais sobre a plataforma que cria receitas médicas em linguagem acessível? Assista ao vídeo abaixo e veja como a Pulsares funciona:


Compartilhe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.

Cursos e Eventos

Vídeos no Youtube

Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Unawheel - Entrega e primeiro passeio
Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Imagem 1

Imagem 1
20 anos na cadeira de rodas

Imagem 2

Imagem 2
Tetra Dirigindo? Como consegui tirar a CNH

Lives da Fê no Insta

Live sobre Pessoas com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?

Live sobre Pessoas com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?
Converso com a Váleria Schmidt @schmidt sobre Pessoa com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?

Live com Roberto Denardo

Live com Roberto Denardo
A pessoa com deficiência na vida pública 06/10/2020

Live com a Ruth Maria

Live com a Ruth Maria
Os desafios e aprendizados da vida na cadeira de rodas.