26 dicas de comunicação com Crianças com Deficiência

Compartilhe

Descrição da imagem/#pracegover: A imagem mostra um menina cadeirante olhando para uma mulher abaixada do seu lado. As duas tem a pele clara e são loiras.


A seguir uma série de dicas para se comunicar com seus alunos com deficiência intelectual, visual, física ou auditiva. Essas dicas são passadas pelo Governo Canadense não só para professores da educação especial, mas para os pais da criança e a população de uma forma geral.

É interessante notar a linha de pensamento na perspectiva da inclusão (que prega a valorização da diferença: todos somos diferentes), ao utilizar a palavra “desafios” no lugar de “deficiências”.

Eles usam “desafios intelectuais” ou “desafios visuais” ao invés de “deficiência intelectual” ou “deficiência visual”. É excelente essa interpretação. Todos temos nossos desafios, nossos bloqueios, nossas dificuldades e barreiras. É isso que nos torna humanos.

Segue a tradução:

Ao descrever uma criança com necessidades especiais tenha certeza de colocar a criança antes da deficiência. Por exemplo, diga “uma criança com dificuldade de aprendizado” ao invés de “um autista com dificuldade de aprendizado”.

Crianças com Desafios Intelectuais

  • Fale com as crianças usando palavras simples, mas não palavras infantis.
  • Faça pedidos claros e precisos.
  • Mantenha-se calmo e esteja pronto para reformular seu pedido de várias maneiras.
  • Use exemplos concretos com freqüência.
  • Para confirmar se uma criança entendeu sua mensagem discretamente peça para que ela repita.

Crianças com Desafios Visuais

  • Fale e aja de forma normal. Evite usar termos que impliquem em visão, como “Olha, vou te mostrar como se faz”.
  • Evite usar referências como “aqui” e “lá”. Essas palavras não são referências úteis para uma criança que não enxerga.
  • Responda perguntas verbalmente. Movimentos de cabeça e mãos não serão notados. Use suas palavras precisamente, e antes de usar uma frase figurativa tenha certeza que a criança irá entender o significado dentro do contexto.
  • Não aumente o volume de sua voz ( a menos que você saiba a partir de um histórico médico que isso irá ajudar com um problema auditivo). Evite pausas longas ao falar.
  • Ofereça uma rotina organizada para a criança. Evite fazer as coisas para a criança, mesmo que ela leve mais tempo para fazer do que as outras crianças.
  • Sempre deixe que a criança saiba onde você está: diga onde você está em relação a ela e avise quando estiver saindo.

Crianças com Desafios Auditivos

  • Fale claramente na sua velocidade e tons normais, articulando cuidadosamente, mas sem exagerar.
  • Certifique-se que você tem a atenção da criança antes de começar a falar. Use todas as formas de gestos, expressões faciais, ações e figuras para ajudar a criança a entender a linguagem e gradualmente adquiri-la.
  • Verifique freqüentemente para ter certeza que a criança entendeu. Caso ela não tenha entendido reformule sua mensagem, ao invés de apenas repetir.
  • Perda de audição pode causar atrasos no desenvolvimento da linguagem e dificuldades para falar. Você pode ter dificuldades de entender uma criança que é surda de nascença. Não tenha medo de pedir que ela se repita. Seu interesse e encorajamento serão motivadores para o sucesso futuro.
  • Ao invés de falar pela criança dê a ela várias oportunidades para se expressar.
  • Para evitar o preconceito, fale abertamente sobre a deficiência auditiva com seus colegas de classe, e deixe que eles aprendam sobre o aparelho auditivo se for o caso.
  • Certifique-se que as outras crianças falem calmamente, com clareza, e um de cada vez.

Crianças com Desafios Físicos

  • Encoraje as crianças a expressar suas próprias ideias e sentimentos.
  • Encoraje as crianças a aprender os comportamentos adequados para o ambiente.
  • Fale com a criança sobre seus desafios. A encoraje a explicar para as outras crianças como ele lida com sua deficiência e quais são seus planos para o futuro.
  • Deixe que a criança tome conta de si mesma o máximo possível.
  • Permita que a criança opine nas decisões que a afetam, sempre que possível.
  • Discuta desafios físicos num geral com todas as crianças. Assim a criança deficiente não se sentirá sozinha.
  • Encoraje a criança a inventar suas próprias adaptações, assim eles podem fazer o melhor possível dos materiais e recursos disponíveis.
  • Ajude as crianças a concentrar seus esforços em metas realísticas e realizáveis, e direcione suas energias para atividades que eles escolheram como objetivos e prioridades.

Fonte: Canadian Child Care Federation, Ottawa, Ontario – Canadá – Resource Sheet 38 – Título original: Commmunicating with Children who have Special Needs – Disponível em http://www.cccf-fcsge.ca/wp-content/uploads/RS_38-e.pdf, 28/05/2019

Tradução: Sarah Bezerra

Adaptação: Leandro Rodrigues

Fonte: Instituto Itard

Compartilhe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.

Cursos e Eventos

Vídeos no Youtube

Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Unawheel - Entrega e primeiro passeio
Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Imagem 1

Imagem 1
20 anos na cadeira de rodas

Imagem 2

Imagem 2
Tetra Dirigindo? Como consegui tirar a CNH

Lives da Fê no Insta

Live sobre Pessoas com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?

Live sobre Pessoas com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?
Converso com a Váleria Schmidt @schmidt sobre Pessoa com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?

Live com Roberto Denardo

Live com Roberto Denardo
A pessoa com deficiência na vida pública 06/10/2020

Live com a Ruth Maria

Live com a Ruth Maria
Os desafios e aprendizados da vida na cadeira de rodas.