Rock in Rio 2015 recebe cadeirantes em área especial

Compartilhe

São dois espaços que têm visual para os palcos Mundo e Sunset.
Iniciativa é elogiada por pessoas com deficiência que fazem sugestões.

Jhony assistiu aos shows e vibrou com seus roqueiros preferidos

As pessoas com deficiência ganharam um espaço exclusivo para assistir ao Rock in Rio 2015. A organização do evento montou duas plataformas de cerca de 25 metros quadrados em dois pontos da Cidade do Rock, montada na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Um dos espaços fica em frente ao palco Sunset e o outro de frente para o palco Mundo. No sábado (19), o G1 acompanhou a experiência de um cadeirante e de outros roqueiros com dificuldades motoras na plataforma que fica em frente ao palco Sunset.

A área é elevada e a visão é mais livre. Os locais atendem a cerca de 30 pessoas. Além dos cadeirantes, outras pessoas com acessibilidade reduzida também são recebidos pelos voluntários. Eles recebem pulseiras de identificação e podem ocupar a  plataforma por tempo indeterminado.

Um dos que estavam no local era Jhony Santos de Oliveira, de 25 anos, que veio de Cabo Frio, na Região dos Lagos, para aproveitar os shows de metal pesado. Ele disse que é a segunda vez que ele utiliza o espaço. Elogiou a iniciativa, mas faz algumas sugestões.

“A ideia é legal, mas  eu acho que está um pouco longe até porque também sou míope”, disse.

Segundo contou, na edição de 2015 do festival, um poste que estava bem no meio também atrapalhou a visão total.

” Eu me viro vendo pelos telões. Está tudo bem porque estamos aqui pelo clima do rock, pelas pessoas”.

Camila Santoro com problema no pé assiste shows em área especial no Rock in Rio
Para o próximo Rock in Rio ele também sugere maior sinalização para as pessoas com deficiência. Aproveitou para elogiar a organização dos brinquedos e dos banheiros, que, segundo ele, estão mais limpos e  acessíveis.

“Estou me divertindo nos brinquedos. Já fui na tirolesa e na roda gigante e vou aproveitar mais “, disse.

Para a paulista Camila Santoro, 33 anos, o espaço especial caiu do céu. Ela torceu o pé no final de agosto quando já estava com a viagem para o Rock in Rio toda paga. Segundo ela, a recomendação do médico era não tirar a bota ortopédica do pé maneira nenhuma.

Camila disse que chegou a consultar a organização do evento.

“Cheguei aqui e fui muito bem atendida. A área é legal e perto dos restaurantes, banheiros e área médica”, disse.

Acomodada e aliviada, ela comemorava.

“O meu marido é que é o roqueiro e acho que se não viesse ao show era caso de divórcio”, contou sorridente ao lado do marido.

Fonte: G1

Compartilhe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.

Cursos e Eventos

Vídeos no Youtube

Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Unawheel - Entrega e primeiro passeio
Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Imagem 1

Imagem 1
20 anos na cadeira de rodas

Imagem 2

Imagem 2
Tetra Dirigindo? Como consegui tirar a CNH

Lives da Fê no Insta

Live sobre Pessoas com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?

Live sobre Pessoas com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?
Converso com a Váleria Schmidt @schmidt sobre Pessoa com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?

Live com Roberto Denardo

Live com Roberto Denardo
A pessoa com deficiência na vida pública 06/10/2020

Live com a Ruth Maria

Live com a Ruth Maria
Os desafios e aprendizados da vida na cadeira de rodas.