Rampa de acessibilidade leva deficiente a barranco e terreno baldio

Compartilhe

Obras em Marechal Cândido Rondon, no Paraná, custam R$ 2 milhões. 'Eles vão retirar as rampas erradas e construir de novo', garante prefeito.
Empresa que construiu as rampas disse que seguiu o projeto
A construção de rampas de acessibilidade instaladas pela prefeitura de Marechal Cândido Rondon, no oeste do Paraná, tem chamado a atenção dos moradores. Isso porque as rampas destinadas a deficientes físicos foram construídas em locais inadequados que não levam o cadeirante a lugar algum. Algumas delas foram feitas em barrancos e em frente a terrenos baldios.
As rampas, que começaram a ser construídas há um mês, fazem parte de um projeto que prevê recapeamento asfáltico e sinalização. O investimento foi de R$ 2.091.381,10, dinheiro repassado pelo Ministério das Cidades. “É um dinheiro jogado fora. Quem vai passar ali? O que precisa fazer eles não fazem”, reclama o aposentado Holdi Wommer.
A presidente da Associação dos Deficientes de Marechal Cândido Rondon, que também é cadeirante, Alaíde Sauer, conta ao G1 que ficou surpresa quando viu as rampas prontas. “É totalmente fora do padrão. Deveriam ter conversado com algum cadeirante para saber os melhores lugares para construir esses acessos”.
Ela diz ainda que encontra muita dificuldade para se locomover na cidade. “Se construíssem essas rampas em outros lugares, poderiam ser mais usadas”, complementa.

O secretário de planejamento Mauro Siqueira Donha, esclarece que, ao todo, serão construídas 254 rampas, uma exigência da
Caixa Econômica Federal, responsável pela liberação do recurso. De acordo com Donha, se as rampas não fossem construídas, independente de haver calçada ou não, a liberação ficaria comprometida. “Num volume desses de rampas, provavelmente uma ou outra ficou em desacordo. Mas o pessoal já está fiscalizando e notificando. Eles vão retirar as rampas erradas e construir de novo”, garantiu.
A empresa Samp Construtora de Obras LTDA ganhou a licitação para construir a rampa. De acordo com o encarregado de obras Luiz Carlos dos Santos, a obra foi feita exatamente como estava no projeto. “Quando se pega um projeto da Caixa Econômica, é tudo vistoriado antes. Eles não mandam um projeto se não tiver vistoria. Nós só executamos o que eles pediram”, explica.
O secretário de planejamento de Marechal Cândido Rondon afirmou que uam reunião foi realizada na quarta-feira (16) com o responsável pelo projeto e o representante Samp. No encontro foi decido que a empresa ficará responsável por refazer as rampas que estão em lugares inadequados.

Fonte: Primeira Edição

Compartilhe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.

Cursos e Eventos

Vídeos no Youtube

Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Unawheel - Entrega e primeiro passeio
Unawheel - Entrega e primeiro passeio

Imagem 1

Imagem 1
20 anos na cadeira de rodas

Imagem 2

Imagem 2
Tetra Dirigindo? Como consegui tirar a CNH

Lives da Fê no Insta

Live com a Isabela Ribeiro

Live com a Isabela Ribeiro
Converso com a Isabela sobre Autoestima e superação

Live sobre Pessoas com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?

Live sobre Pessoas com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?
Converso com a Váleria Schmidt @schmidt sobre Pessoa com deficiência: Exemplo de superação? Ou não?

Live com Roberto Denardo

Live com Roberto Denardo
A pessoa com deficiência na vida pública 06/10/2020