Curso gratuito de sommelier é oferecido para deficientes visuais

Compartilhe »»

Com intuito de fomentar a inserção social curso 'Sommeliers Extraordinários' foi criado especialmente para pessoas cegas



Crédito: Fabrício da Costa Brito - A última turma de Sommeliers Extraordinários contou com 20 alunos

Imagine o som de abrir uma latinha de cerveja bem gelada num dia quente, seu aroma, seu frescor, o sabor e a sensação de degustar os primeiros goles. Pois é, beber uma cerveja desperta sensações especiais nas pessoas, não é mesmo? Agora imagine, para quem não consegue enxergar, mas tem sentidos como paladar e olfato, essenciais para um sommelier, mais aguçados?

Pensando nisso, a Brahma Extra, em parceria com a Fundação Dorina Nowill para Cegos e o Instituto da Cerveja Brasil (ICB), desenvolveu o curso gratuito Sommeliers Extraordinários. O intuito é fomentar a inserção social de pessoas cegas e também abrir oportunidades no mercado de trabalho.

A acessibilidade do curso é garantida pelo material e a infraestrutura. Todo material foi adaptado pela parceria do projeto a Fundação Dorina Nowill para Cegos. Apostilas foram traduzidas para para os formatos Braille e digital acessível. As taças do curso tem uma base com Braille. O local das aulas, realizadas no Instituto da Cerveja Brasil (ICB), foi adaptado com um chão tátil para orientação dos alunos. Além disso, a cervejaria foi ilustrada através de uma maquete feita numa impressora 3D. Todo corpo docente foi capacitado num treinamento específico na Fundação Dorina Nowill para Cegos.

Durante o curso os alunos têm aulas de história da cerveja, degustações e passam por análises sensoriais, podendo testar alguns dos materiais desenvolvidos especialmente para eles. Pessoas a partir de 18 anos de idade e formações profissionais variadas podem participar. Para isso, basta se inscrever no site clicando aqui. O curso gratuito tem início assim que for montada uma turma com um número mínimo de interessados.

A última turma foi formada por 20 alunos de diversas cidades brasileiras, com profissionais de áreas variadas e até mesmo universitários. Apesar de todas as diferenças, o que todos tinham em comum além da cegueira, era uma vontade gigante de mostrar que a deficiência visual não os impede de buscar novas oportunidades e realizar seus sonhos.

Dentre os participantes a turma contou com o fotógrafo João Maia, de 42, responsável pelo site Fotografia Cega e único profissional com deficiência visual a fotografar os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Outro aluno foi o universitário Carlos Eduardo, de 25, que segue os estudos mesmo depois que perdeu quase toda a visão por conta de uma leucemia.

“A Brahma Extra sempre teve como grande objetivo aprofundar o conhecimento cervejeiro dos brasileiros, trazendo novos estilos de cervejas para cada vez mais mesas de bar e confraternizações em geral, tornando isso cada vez mais democrático em todo território nacional. Criar este curso faz parte dessa disseminação de conhecimento cervejeiro, mas com um gosto ainda mais especial, já que o fazemos, ao mesmo tempo que estamos ajudando na inserção de centenas de brasileiros no mercado de trabalho. Para nós é um prazer colocar projetos como este no ar, mais do que agradar, queremos fazer a diferença na vida das pessoas”, afirmou Maurício Landi, gerente de marketing de Brahma Extra.

Dados da Relação Anual de Informações Sociais do Ministério do Trabalho, apontam que apenas 1% do total de empregos formais no Brasil é ocupada por pessoas com deficiência. Considerando a deficiência visual, apesar do aumento de 16,3% no número de vagas em relação ao ano anterior, o total de empregados é de 62.135 pessoas.


Crédito: iStock - Ao perder a visão, pessoas com deficiência visual podem aguçar outros sentidos como paladar e olfato, essenciais para um sommelier

Nenhum comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.

Tecnologia do Blogger.