Apae Uberlândia é referência nacional no trabalho de inclusão de pessoas com deficiência

Compartilhe »»
Instituição conta com diversas atividades voltadas à pessoa com deficiência intelectual, múltipla e autismo.

Apae Uberlândia é referência nacional no trabalho de inclusão de pessoas com deficiência — Foto: Arquivo
A Apae Uberlândia desenvolve um trabalho de excelência e inclusão voltado à pessoa com deficiência intelectual, múltipla e autismo. Contando com doações e subvenção dos governos federal e municipal, a instituição oferece atendimentos na área da saúde, capacitação para o mercado de trabalho, educação e assistência social.

A diretoria da instituição vem trabalhando nos últimos anos para promover boa visibilidade e qualidade no atendimento para que cada vez mais a Apae seja destaque na qualidade dos serviços, a começar pelo programa “Qualidade de Vida”, que foi pioneiro no país.

“Hoje somos referência a nível nacional no atendimento a pessoa com deficiência intelectual na fase de envelhecimento. Esse programa tem como destaque oficinas que promovem qualidade de vida a esses usuários tais como música, dança, teatro, artes plásticas, relações interpessoais, educação física, e outros”, destacou a diretora Mirelle Vilela de Freitas Guimarães.

A gestora e também artista plástica iniciou sua trajetória na APAE através de um estágio de dois anos com os alunos com deficiência Intelectual. Em seguida foi contratada para trabalhar na Educação Profissional da Instituição em oficinas de artesanato. Depois de dois anos iniciou em outro projeto nomeado inicialmente de “Grupo Operativo”, e ajudou a desenvolver o programa.

Ao lado de uma equipe multidisciplinar, o objetivo da artista era desenvolver a arte como processo terapêutico (arteterapia) junto aos adultos. Mirelle ficou por sete anos como arteterapeuta do programa, e depois se tornou coordenadora do projeto e saltou de 60 para cerca de 110 participantes atualmente.

Coral Anjos do Céu

Outro projeto bastante conhecido e que é referência na região do Triângulo Mineiro é o grupo de coral Anjos do Céu Vasconcelos, formado por alunos/usuários da Apae Uberlândia.

A Vasconcelos fornece quatro profissionais ao projeto e subsidia todos os recursos financeiros para as viagens e apresentações dos cantores dentro ou fora de Uberlândia. No mês de setembro, o Coral participou do Festival Estadual Nossa Arte das Apaes pela primeira vez, em Poços de Caldas, depois de vencer a etapa regional do concurso.

Uma vida dedicada à pessoa com deficiência

A diretoria da instituição trabalha com afinco para promover boa visibilidade e qualidade no atendimento dos serviços prestados pela Apae Uberlândia. E para quem conhece Mirelle, sabe que desde pequena se tratou de um dom.

A uberlandense trabalha há 17 anos com crianças e adultos com deficiência e passa a vida em dedicação à inserção social e desenvolvimento dos alunos. A gestora, de 38 anos, lembra que ainda na infância tinha o hábito de passar as férias na casa dos avós na cidade de Prata. Um vizinho da família com deficiência sempre ficava na expectativa de encontrá-la e perguntava constantemente para a avó quando Mirelle apareceria. Quando as férias chegavam, era costume Mirelle sentar na grande janela de madeira da casa para poder conversar com o vizinho por horas.

Ela também sempre teve muita facilidade de se comunicar com os colegas com deficiência na época escolar e, desde a faculdade de Artes Plásticas, sabia que queria trabalhar com pessoas com deficiência.

Nos últimos cinco anos, Mirelle passou a assumir a cadeira de diretora da Apae Uberlândia e trabalha diurnamente para administrar e conseguir recursos para a entidade filantrópica. Apesar de ter saído da rotina direta com os alunos e ter focado mais na parte burocrática, a diretora não abre mão de se fazer presente e dar apoio ao desenvolvimento daqueles que, em quase duas décadas, contribuíram para sua satisfação pessoal e profissional, além de serem os responsáveis por sua dedicação diária ao trabalho.

“Trabalhar com a pessoa com deficiência é um privilégio. Mas você tem que se preparar e se capacitar porque o ouvir, o toque, o olhar e/ou somente um abraço podem fazer a diferença. É muito especial e eu nunca me vi trabalhando fora daqui. Até hoje eu continuo me emocionando toda vez que eles se apresentam e realizam alguma atividade. O desenvolvimento deles é nítido”, destacou Mirelle.


Apae Uberlândia é referência nacional no trabalho de inclusão de pessoas com deficiência — Foto: Arquivo



Fonte: G1

Nenhum comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.

Tecnologia do Blogger.