26/07/2017

Em Petrópolis, PCDs terão acesso a próteses e cadeiras de rodas


Segundo a Prefeitura do município fluminense, as solicitações poderão ser feitas com apresentação do laudo médico

Próteses da Associação Fluminense de Reabilitação (AFR), em Niterói (Foto: Divulgação)
A Prefeitura de Petrópolis, Região Serrana do Rio, divulgou que, a partir da primeira quinzena de agosto, pessoas com deficiência (PCDs) poderão solicitar gratuitamente materiais ortopédicos (órteses e próteses, e meios auxiliares de locomoção), muletas, cadeiras de rodas e andadores nas Unidades Básicas de Saúde e Postos de Saúde da Família. O sistema de entrega, que antes era realizado pela secretaria de Assistência Social, passará a ser regulado pela secretaria de Saúde ampliando para mais de 100 itens disponíveis na tabela SUS.

Uma equipe da Secretaria de Saúde esteve em uma capacitação junto à secretaria de Saúde de Niterói para iniciar o processo de implantação do sistema de regulação. O fornecimento dos materiais ortopédicos ocorrerá através da Associação Fluminense de Reabilitação (AFR) que formalizou uma parceria junto à prefeitura de Petrópolis no dia 13 deste mês.

O secretário de Saúde, Silmar Fortes, explica que o processo de regulação foi priorizado e estima-se que 15% dos moradores de Petrópolis tenha algum tipo de deficiência.

A superintendente de Regulação, Controle e Avaliação, Adriana Vogel reforça que o acesso ao serviço de concessão de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção é feito por meio da Central de Regulação da Secretaria de Saúde.

“Quem precisa adquirir o primeiro equipamento ou trocar o aparelho deve procurar uma unidade de saúde para obter um encaminhamento médico. No caso de pacientes internados, o próprio médico que atende o paciente faz o encaminhamento para a unidade. Esse encaminhamento será cadastrado e o material solicitado à AFR que tem de 60 a 90 dias para realizar a entrega”, explica Adriana Vogel.

Uma das metas do governo é implantar, em longo prazo, um Centro Especializado em Reabilitação (CER). A superintendente de Atenção à Saúde, Fabíola Heck, explica que a criação do projeto entrará no Plano Municipal de Saúde da atual gestão.

“Implantar uma unidade do CER requer um estudo cuidadoso de viabilidade que envolve principalmente uma estimativa de custos. Então iremos colocar no Plano Municipal para que tenhamos essa meta ao longo do governo. O principal objetivo desta primeira etapa, com a regulação dos materiais ortopédicos é dar ao paciente maior independência e autonomia em todos os aspectos de sua vida. O importante é que ele compreenda o que aconteceu com seu corpo e perceba que pode reestruturar sua vida utilizando uma cadeira de rodas ou outro meio auxiliar para sua locomoção”, comenta Fabíola Heck.

O superintendente da Associação Fluminense de Reabilitação, Telmo Holz se disponibilizou a auxiliar o município a criar um estudo de implantação do Centro Especializado em Reabilitação.

“Nós podemos trazer um modelo de gestão para Petrópolis para implantar uma unidade do CER no município, mas é preciso realizar um estudo criterioso. A população já está ganhando mais velocidade, assertividade e qualidade na parceria que firmamos com o fornecimento órteses (aparelho que auxilia e corrige um órgão ou função deficiente), próteses (aparelho que substitui a perda de um segmento do corpo) e meios auxiliares de locomoção (muletas, cadeiras de rodas, bengalas e andadores)”, disse Telmo Holz.
Fonte: G1 
Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.