25/07/2016

Em pé, Lais conduz a tocha: "Uma forma de representar os cadeirantes"

Ex-ginasta é ajudada pelo pai no Parque do Ibirapuera, na Zona Sul de São Paulo e passa o fogo olímpico para o também cadeirante Fernando Fernandes, da canoagem

Por Marcello Pires São Paulo

Lais recebe a tocha e a carrega em pé (Foto: Marcello Pires)

Uma das convidadas para conduzir a Tocha Olímpica no Parque do Ibirapuera, Lais Souza cumpriu o prometido. Depois de tirar fotos e receber o carinho de centenas de famosos e curiosos, a ex-ginasta do Brasil completou seu percurso de 200 metros de pé na sua cadeira de rodas, como era seu desejo. Feliz com a chance de fazer parte dos Jogos Olímpicos de alguma maneira, Lais fez questão de dividir sua emoção com várias pessoas.

Não é a Olimpíada, mas foi uma experiência muito bacana. Não foi só Lais que estava ali, foi uma forma de representar os cadeirantes, minha família e tantas outras pessoas que gostariam de fazer parte disso - afirmou a ex-ginasta, que foi ajudada pelo pai no percurso.

Após o seu percurso, ela passou o fogo olímpico para o também cadeirante Fernando Fernandes, campeão mundial de canoagem paralimpica, mas que acabou fora dos Jogos.

Convidada do SPORTV para participar da cobertura da Olimpíada no Rio, Lais diz que vai contar um pouco dos bastidores da ginástica dos Jogos, mas admite que espera encontrar um tempinho para assistir a dois grandes amigos.

Eu estou muito feliz com o convite do Sportv e vou comentar mais ou menos. Vão ter os comentaristas fixos, mas devo contar um pouco dos bastidores da modalidade. Além da ginástica, quero muito ver meus amigos Neymar e Doda. Foi por causa dele que me apaixonei pelo hipismo. Fiz muitos amigos no futebol também, pois isso não tenho um time específico. Gosto de vários - brincou Lais, que deve chegar ao Rio de Janeiro dia 1 de agosto.

Estive no Rio há pouco tempo, mas ainda vi como estão as coisas por lá. Estou muito ansiosa e não vejo a hora de começar a Olimpíada. Quero entrar na Vila Olímpica se for possível. 

Não é a Olimpíada, mas foi uma experiência muito bacana. Não foi só Lais que estava ali, foi uma forma de representar os cadeirantes, minha família e tantas outras pessoas que gostariam de fazer parte disso - afirmou a ex-ginasta, que foi ajudada pelo pai no percurso.

Após o seu percurso, ela passou o fogo olímpico para o também cadeirante Fernando Fernandes, campeão mundial de canoagem paralimpica, mas que acabou fora dos Jogos.

Convidada do SPORTV para participar da cobertura da Olimpíada no Rio, Lais diz que vai contar um pouco dos bastidores da ginástica dos Jogos, mas admite que espera encontrar um tempinho para assistir a dois grandes amigos.

Eu estou muito feliz com o convite do Sportv e vou comentar mais ou menos. Vão ter os comentaristas fixos, mas devo contar um pouco dos bastidores da modalidade. Além da ginástica, quero muito ver meus amigos Neymar e Doda. Foi por causa dele que me apaixonei pelo hipismo. Fiz muitos amigos no futebol também, pois isso não tenho um time específico. Gosto de vários - brincou Lais, que deve chegar ao Rio de Janeiro dia 1 de agosto.

Estive no Rio há pouco tempo, mas ainda vi como estão as coisas por lá. Estou muito ansiosa e não vejo a hora de começar a Olimpíada. Quero entrar na Vila Olímpica se for possível.

Lais competiu como ginasta nos Jogos Olímpicos de 2004 e 2008. Em 2014, migrou para a neve e chegou a se classificar para as Olimpíadas de Inverno de Sochi na modalidade do esqui aerials. Pouco antes de embarcar para a Rússia, se acidentou em um treino nos Estados Unidos, ficando sem os movimentos de braços e pernas. Agora no Brasil, pretende retornar em algum momento para se tratar em Miami, onde ficou bastante tempo entre 2014 e 2015. 

 
Lais recebe a tocha e a carrega em pé (Foto: Marcello Pires)

Fernando recebe a chama olímpica de Lais (Foto: Marcello Pires)

Lais e Fernando, lado a lado, minutos antes de conduzirem a tocha (Foto: Marcello Pires)

Fonte: Globo Esporte


Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.