11/04/2016

Cartão Respeito amplia tempo de semáforo para pessoas com deficiência

O novo cartão é parte do Plano Municipal de Acessibilidade e Inclusão para a Pessoa com Deficiência


Pessoas com deficiência que moram em Curitiba passam a contar, a partir de agora, com o Cartão Respeito, que amplia em até 50% o tempo de sinal aberto para travessia em 31 semáforos da cidade. Lançada nesta terça-feira (29) pelo prefeito Gustavo Fruet, a novidade amplia o alcance dos semáforos inteligentes, que até agora só podiam ser utilizados por pessoas com dificuldades de locomoção que possuem o Cartão Transporte Isento.

O novo cartão é parte do Plano Municipal de Acessibilidade e Inclusão para a Pessoa com Deficiência, também lançado nesta terça-feira. Ele é gratuito e pode ser solicitado por qualquer pessoa com dificuldade de locomoção, desde que não tenha Cartão Transporte Isento.

Iniciativa da Urbs, em parceria com a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência, o novo cartão não possui restrição de renda, o que significa que qualquer pessoa com dificuldade de locomoção pode ser beneficiada. Lançado no ano passado pela Secretaria Municipal de Trânsito (Setran), o projeto dos semáforos inteligentes já beneficia em torno de 190 mil pessoas que possuem Cartão Transporte na modalidade Isento.

Embora no caso de idosos não haja restrição de renda, o benefício da isenção no transporte para pessoa com deficiência é restrito por lei a quem tenha renda familiar de até três salários mínimos. Assim, pessoas com deficiência sem direito ao benefício ficavam sem possibilidade de utilizar o semáforo inteligente. É importante destacar que quem tem Cartão Transporte Isento não poderá requisitar o Cartão Respeito, uma vez que os dois cartões permitem acionar os semáforos inteligentes.

“Curitiba é uma cidade cada vez mais humana e este é um grande orgulho para todos nós”, disse o prefeito Gustavo Fruet ao agradecer às equipes que atuaram na elaboração do Plano Municipal de Acessibilidade e Inclusão e na viabilização do Cartão Respeito. Uma cidade humana, destacou, “é aquela que transforma a vida das pessoas, com ações efetivas, mesmo que elas não tenham a visibilidade da inauguração de um viaduto”.

Inclusão

Primeiro a receber o Cartão Respeito, o técnico judiciário Leondeniz Cândido de Freitas, 33 anos, que tem deficiência visual, disse que o esforço da cidade para criar condições de acessibilidade e inclusão é reconhecido Brasil afora. “Quando viajo e falo que sou de Curitiba, na mesma hora as pessoas comentam que aqui contamos com mais acessibilidade e com políticas de inclusão”, afirma. “Este cartão vai ajudar muito na hora de atravessar a rua. Vou muito ao centro da cidade e o cartão significa mais segurança nas travessias”, disse.

“Com esse novo cartão derrubamos uma barreira e ampliamos o universo das pessoas que podem atravessar a rua com mais segurança, tendo mais tempo de sinal aberto”, afirma a secretária municipal da Pessoa com Deficiência, Mirella Prosdócimo. “Havia uma demanda por esse atendimento que agora passamos a fazer”, diz ela.

O novo cartão não substitui o Cartão Transporte, porque não tem esta funcionalidade – não pode, por exemplo, receber carga de créditos ou ser usado em caso de isenção. “Este é um cartão que foi feito pensando especificamente nas pessoas com deficiência”, afirma o presidente da Urbs, Roberto Gregório da Silva Junior.

O Cartão Respeito será emitido a partir da próxima segunda-feira (4) nos postos da Urbs mediante apresentação de laudo médico atestando dificuldade de locomoção. Para ter direito ao cartão é preciso residir em Curitiba. A emissão da primeira via será gratuita e a segunda via custa o equivalente a cinco passagens de ônibus. Para requerer a segunda via, o usuário deverá, primeiro, solicitar o bloqueio do cartão pelo telefone 156. A emissão será feita nos postos de atendimento da Urbs nas Ruas da Cidadania, incluindo a Rua da Cidadania da Matriz, na Praça Rui Barbosa.

Quem possui Cartão Transporte Isento não precisa do Cartão Respeito. Idosos que queiram utilizar o benefício de ampliar o tempo de semáforo devem fazer o Cartão Transporte Isento, mesmo que não utilizem ônibus.

Atualmente, são 163 mil cartões de isenção por idade e 13 mil de isenção a pessoas com deficiência, além de outros 12 mil acompanhantes ou aposentados por invalidez.

Semáforos

O projeto que amplia o tempo de semáforo para pessoas com mobilidade reduzida trouxe para Curitiba, no ano passado, o Prince Michael International Awards (PMIRSA), o mais importante prêmio em segurança viária no mundo.

O sistema que beneficia pessoas com mobilidade reduzida funciona através de uma botoeira especial acoplada ao semáforo, que é acionada pelo Cartão Transporte Isento e, a partir de agora, também pelo Cartão Respeito, ambos emitidos pela Urbs. Ao identificar o cartão, o semáforo abre por mais alguns segundos além do programado, permitindo uma travessia mais segura dos pedestres. O tempo de abertura pode ser até 50% maior do que o tempo de semáforo normal.

São 120 conjuntos semafóricos instalados em 31 cruzamentos de Curitiba que apresentam maior risco de acidentes para pessoas com mobilidade reduzida – próximos a unidades de saúde, hospitais e terminais de ônibus.

Confira locais que contam com a nova tecnologia:

01 • Rua 24 de Maio x Rua Pres. Getúlio Vargas (Pça. Ouvidor Pardinho – Unidade de Atenção ao Idoso)
02 • Rua Francisco Raitani (em frente ao Hospital do Idoso)
03 • Rua Ubaldino do Amaral x Rua Amâncio Moro (próximo à Igreja do Perpétuo Socorro)
04 • Rua Amâncio Moro x Rua Mauá (Igreja Perpétuo Socorro)
05 • Rua João Negrão x Rua Pedro Ivo (Terminal do Guadalupe)
06 • Rua André de Barros x Rua João Negrão (Terminal do Guadalupe)
07 • Av. Mal. Floriano x Av. Visconde de Guarapuava (local muitos atropelamentos)
08 • Av. Visconde de Guarapuava x Rua João Negrão (INSS)
09 • Av. Mal. Floriano Peixoto x Rua Pedro Ivo (Praça Carlos Gomes)
10 • Rua Pedro Ivo x Rua Westphalen (Praça Rui Barbosa)
11 • Rua Cap. Souza Franco x Av. Vicente Machado (Hospital da Cruz Vermelha e Hospital Geral de Curitiba)
12 • Rua XV de Novembro x Rua Camões (Associação dos Deficientes Físicos do Paraná)
13 • Av. São José x Rua Fioravante Dalla Stella (Hospital do Cajuru)
14 • Rua Engº Benedito M. Da Silva x Rua Filipinas (UPA Cajuru)
15 • Via Vêneto x Rua Marcos Mocelin (Unidade de Saúde Santa Felicidade)
16 • Via Vêneto x Rua Sta. Bertila Boscardin (Terminal Santa Felicidade)
17 • Rua Anne Frank x Rua Napoleão Laureano (Terminal do Carmo)
18 • Rua Zonardy Ribas x Rua Maestro C. Frank (Terminal do Boqueirão)
19 • Rua Ten. Francisco F. De Souza x Rua Gabriel Corisco Domingues (Terminal do Carmo)
20 • Rua João Gbur x Rua Fernando de Noronha (UPA e Rua da Cidadania Boa Vista)
21 • Rua Canadá xRua Arary Souto (UPA e Rua da Cidadania Boa Vista)
22 • Av. Paraná x Rua Pedro Doska (Unidade de Saúde Santa Cândida)
23 • Av. Comendador Franco x Rua Henrique Mehl (local com muitos atropelamentos)
24 • Rua Nivaldo Braga x Rua Osmário de Lima (Unidade de Saúde Iracema Capão da Imbuia)
25 • Rua Levy Buquera x Rua dos Pioneiros (UPA Sitio Cercado)
26 • Av. Toaldo Túlio x Rua Antônio Scorssin (Unidade de Saúde São Braz)
27 • Rua Lysimaco F. da Costa x Rua Papa João XXIII (Prefeitura)
28 • Rua Dep. Mário de Barros x Rua Carlos Pioli (Igreja do Divino, Celepar, Serpro, Tribunal de Contas e Secretarias do Estado)
29 • Rua Waldemar Kost x Rua Anne Frank (Unidade de Saúde Vila Hauer)
30 • Rua Carlos Klemtz x Rua Adorides Jesus C. Camargo (UPA Fazendinha)
31 • Rua Carlos Klemtz x Rua Gen. Potiguara (Terminal Fazendinha)


Fonte: Bem Paraná
Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.