29/05/2015

Auxílios eletrônicos para baixa visão

Auxílios e recursos para baixa visão

“Auxílios” são produtos, instrumentos, equipamentos ou tecnologia adaptada ou especialmente projetada para melhorar a funcionalidade da pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida, favorecendo a autonomia pessoal, total ou assistida. Basicamente, os auxílios para baixa visão podem ser divididos em: não ópticos, ópticos e eletrônicos.

Por meio dos avanços tecnológicos, pessoas com deficiência visual podem buscar novos recursos para a promover seu desempenho na realização de tarefas com consequente ganho em sua qualidade de vida. Logo abaixo citarei alguns recursos disponíveis no mercado atualmente.

Sistemas de videoampliação

Os auxílios de videoampliação, diferente dos auxílios ópticos, não sacrificam as propriedades da imagem para obter ampliação. São utilizados principalmente por pacientes com deficiência visual grave a profunda, quando os auxílios ópticos não proporcionam bons resultados.

De forma geral, o equipamento constitui de uma câmera, uma fonte de luz para iluminação do material a ser ampliado, um sistema óptico e um monitor apresentando variadas características e combinações. É importante ressaltar que quanto maior a ampliação maior a restrição do campo de visão.

Existem basicamente três tipos de auxílios de videoampliação:

Modelo de mesa (desktop): É um monitor e uma câmera montada acima de uma bandeja móvel. O material a ser lido é posicionado abaixo de uma câmera fixa e a imagem é projetada na tela do monitor. Essa tecnologia permite o uso para a escrita, possibilita a adequação do contraste e do brilho, apresenta polaridades reversas, linhas-guia e ampliações variadas para facilitar a leitura. A desvantagem é que o modelo é caro, pesado e não é portátil.

• Sistema manual de apoio (stand): O aparelho é constituído por uma câmera manual conectada por cabo a um monitor de televisão comum. A câmera é deslizada sobre o texto a ser lido. A ampliação é determinada pela distancia do material a ser lido: quanto menor a distancia do material, maior será a ampliação. O equipamento permite a leitura de superfícies curvas e tem controle de contraste e brilho. Atualmente existem modelos portáteis que já apresentam uma tela de cristal liquido, não necessitando ser acoplados a um monitor, porém requerem maior coordenação motora. O custo é acessível e a desvantagem é que o equipamento não facilita a escrita, ao contrário do modelo de mesa.

• Sistema de suporte para cabeça: Existem dois modelos: num a câmera e o monitor são montados no suporte para a cabeça e no outro modelo a câmera é manual e o somente o monitor é acoplado no suporte para a cabeça. Existem diferentes modelos, e alguns podem fazer ampliação para perto, longe e distancia intermediária. Possuem baterias e as desvantagens são o preço e falta de estética.

• Outros aparelhos: Lupas de apoio para ampliação com iluminação a led que podem ser conectadas a monitores de televisão e telescópio digital.


Auxílio de informática

Nos últimos anos, os auxílios de informática são os que mais tem causado impacto na qualidade de vida das pessoas com deficiência visual. Atualmente, os recursos disponíveis funcionam mediante interfaces visuais, sonoras, táteis ou alguma combinação entre elas. De forma geral, a finalidade do aparelho é transformar a informação exibida em uma superfície (impresso, tela e outros) em um dos seguintes resultados:

• Ampliar e modificar visualmente a imagem original;
• Vocalizar a informação mediante voz sintetizada;
• Criar uma representação tátil da informação através do braille ou de outras adaptações hápticas.

Sistema de ampliação de telas

Existem recursos nas plataformas mais recentes do Windows. Esses recursos permitem ao usuário mudar a fonte, a cor, o contraste, vincular elementos sonoros aos distintos eventos, mudar a velocidade da ponteira do mouse, aumentar a área de trabalho e aumentar o tamanho do padrão do texto em caixas de diálogo. Existe também a opção de dividir a tela em duas metades, uma com ampliação e outra sem. Também há a opção de incorporar componente de texto com voz que vocaliza através da placa de som do próprio computador. Esses recursos geralmente contribuem para deficiência visual leve, mas podem deixar a desejar quem apresenta diminuição da acuidade visual severa. Existem softwares especializados que permitem alterações mais detalhadas na ampliação, contraste e cores, além fornecer mais ferramentas que ajudam a personalizar o sistema do usuário e facilitar o uso do seu equipamento. Logo abaixo estão algumas ferramentas dos softwares especializados:

• Seleção do grau de aumento: alguns de até 16x e outros até 32x.

Definição da parte da tela a ser ampliada: Opção de ampliar toda a tela ou somente uma parte. Existe também a opção de lupa virtual.

• Alterações de cores e contraste com mais detalhes.

• Aparência do mouse e do cursor.

Rastreamento do foco: mostra a parte do texto em uma janela ao lado do texto que está em foco.

Varredura automática: permite que a imagem na tela se movimente automaticamente no sentido horizontal ou vertical a uma velocidade selecionada pelo usuário, eliminando os movimentos bruscos da imagem que podem ocorrer ao manusear o aparelho.

• Teclas de atalho.

• Voz sintetizada.

Sistemas de síntese de voz

Os sistemas de síntese de voz utilizam software e hardware para vocalizar eletronicamente as informações exibidas na tela. Isso inclui tanto o conteúdo textual dos aplicativos quanto a descrição de sua aparência visual (cor, tamanho e o tipo de fonte do texto). Pode fornecer também os nomes e detalhes de aplicativo, janelas, menus, mensagens de erro e outros eventos. Ainda está acontecendo diversas melhorais nessa área. Segue a relação de funções típicas encontradas na maioria dos leitores de tela do mercado:

• Leitura ou soletração da palavra na qual o cursor se encontra;

• Leitura da linha ou texto inteiro a partir da posição atual do cursor ou mouse;

• Leitura das opções de barras de menu e de caixas de dialogo ou de combinação;

• Aviso sobre mensagens de erro;

• Leitura estruturada de links, listas, cabeçalhos e formulários em paginas de internet;

• Obtenção das propriedades de objetos como tipo e tamanho de fonte, posição do mouse na janela ativa e nomes dos ícones;

• Comandos executados com teclas de atalho;

• Designação de áreas de leitura personalizadas nos aplicativos mais utilizados pelo usuário.


Alguns softwares permitem personalização. Assim, o usuário pode selecionar quais informações ele deseja que o programa cite automaticamente, além de mudar o estilo de voz, velocidade de voz, volume e timbre. E por último, temos a opção do software que disponibiliza a informação para o display (ver mais adiante).


Sistema de acesso mediante o braille

Os pacientes que querem fazer o uso de Braille podem ter os seguintes recursos informáticos à sua disposição: display braille e impressoras braille.

Display Braille: Consistem em um número de celas braille disposta em uma linha, acionada por pinos que sobem e descem em cada um dos espaços ao mudar a posição do cursor no monitor ou acontecer qualquer mudança de foco no aplicativo ativo do computador. A linha braille responde automaticamente subindo e descendo os pinos para atualizar a cela e exibir novas informações. A desvantagem é que o aparelho tem um alto custo.

Impressoras braille: São impressoras que funcionam conjuntamente a softwares específicos para imprimir textos em Braille e imagens em alto relevo a partir de documentos produzidos no computador. As impressoras têm um custo alto, requerem papel mais espesso do que o utilizado nas impressoras a tinta e a velocidade de impressão é bem mais lenta que às das impressoras convencionais.


Sistema de reconhecimento óptico de caracteres (OCR)

É um sistema onde o texto de materiais impressos (livros, jornais e revistas) é digitalizado por um scanner. Depois disso, um software específico modifica a imagem digitalizada (contraste, tamanho, cor) e a vocaliza. Também há a opção de transformar a imagem digitalizada em texto braille. Existem dois tipos de OCR: o de computador e o autônomo.

Outros equipamentos e produtos 

Com o atual avanço da tecnologia, há cada vez mais novos produtos no mercado que contribuem para a acessibilidade de pessoas com deficiência visual. Alguns produtos citados abaixo foram desenvolvidos para esses pacientes.

Produtos com síntese de voz: relógios de pulso, termômetro, balança, microondas, identificador de cores, manômetros e medidor de glicose.

• Telefones celulares com software específicos.

• Navegadores GPS.

• Audiolivros com estrutura navegável.

• Mp3 e mp4.

Dr. Paulo Miziara - Médico Residente em Oftalmologia
E-mail: paulomiziara89@gmail.com
Imagens: Google

Fontes: Coleção CBO – Série Oftalmologia BrasileiraAcessibilidade na Prática
Proxima Anterior Inicio

Um comentário:

  1. Bom-dia
    Interessante artigo sobre as possibilidades dos sistemas de visão. Porém, além das possibilidades no sistema de ensino e na ajuda para as pessoas com problemas de visão, as aplicações dos sistemas de visão são muito maiores na industria. Quase todas as industrias podem melhorar a sua produtividade graças a implementação de aparelhos como estes.

    ResponderExcluir

Seu Comentário é muito importante para nós.