10/03/2015

Em Gold Coast, brasileiro cego lembra "paixão ao primeiro feeling" com surfe

Na Austrália para divulgação de filme que conta sua história, capixaba Derek Rabelo brinca com mar fraco em Snapper Rocks: "Lá em Guarapari está tendo altas ondas"

Derek Rabelo, surfista brasileiro cego, em Gold Coast (Foto: Luciana Pinciara / Motion Photos)

Na Austrália para a divulgação do filme “Além da Visão”, que conta a história de sua vida, o surfista Derek Rabelo, deficiente visual de nascença, está conhecendo as praias da região de Gold Coast. Nesta semana, surfou na badalada praia de Snapper Rocks, onde está sendo sediada a etapa de abertura do Circuito Mundial de 2015. Mas o aventureiro de 22 anos, que já encarou as famosas ondas de Pipeline no Havaí, ficou um pouco decepcionado com a sequência de dias sem boas ondas na costa dourada, que tem adiado as baterias do masculino por seis dias seguidos:

- Mais um lugar diferente que estou conhecendo. Tinha vindo à Austrália há um ano e meio para promover o filme, mas fiquei em Sidney. E agora tive a oportunidade de vir para Gold Coast, onde vamos fazer uma premiére. Para ser sincero, no dia que eu entrei na água em Snapper não estava muito legal, tinha muita gente dentro, as ondas estavam pequenas, muito cheias. Mas é uma onda de que todo mundo fala bem, e tenho certeza que nos dias bons tem suas qualidades – disse.

Nascido em Guarapari, no Espírito Santo, o surfista de 22 anos brincou com as condições do mar em sua terra natal e na Gold Coast.

- Lá onde nasci tem altas ondas, tem seus dias. Estamos aqui na Austrália, e um amigo meu me mandou mensagem de lá brincando: “Você está aí na Gold com o campeonato parado e aqui em Guarapari está com altas ondas” – contou, rindo.

Ao falar de sua terra natal, ele aproveitou para relembrar seu primeiro contato com o surfe. Oriundo de uma família de surfistas capixaba, Derek conta que sempre ficava com vontade de pegar ondas ao saber que os parentes iam surfar. Aos 17 anos, decidiu saciar a vontade. Com a ajuda de amigos, familiares e um treinador, começou a experimentar e, aos poucos, foi superando as dificuldades iniciais.

- Sempre morei perto da praia, sempre tive contato com o mar. Meu pai sempre surfou, tive dois tios que foram surfistas profissionais. O surfe já estava no sangue. Quando peguei onda pela primeira vez foi paixão ao primeiro “feeling”. Deus me abençoou muito. Sou muito grato a ele.
Derek também explicou a dinâmica de como pega ondas:

- Quando estou na água, sempre estou com alguém, seja com meu pai ou meus amigos, meu coach. Eles me dizem se a onda está vindo, se é direita, se é esquerda. Com a prática já sinto quando a onda vem, mas é sempre bom ter alguém do lado.

O documentário "Além da Visão" (Beyond Sight), produzido por Bruno Lemos e Luiz Werneck em parceria com a Walking On Water Films, de Bryan Jennings, estreou em março de 2014 e conta a trajetória de Derek desde Guarapari até o dia em que "domou" Pipeline e encantou a lenda e 11 vezes campeão mundial Kelly Slater. Na próxima segunda-feira, em Gold Coast, o filme será exibido em uma sessão especial, que contará com a presença de surfistas que estão competindo na etapa.


Nelson é um dos amigos que orienta Derek Rabelo a pegar onda (Foto: Luciana Pinciara / Motion Photos)
Cartaz do filme "Além da Visão" (Foto: Divulgação)

Derek Rabelo pega onda em Duranbah (D'Bah), em Gold Coast (Foto: Luciana Pinciara / Motion Photos)

Proxima Anterior Inicio