22/06/2014

Programa ‘Brasil do Oriente’ mostra o jeito de ver e viver o Japão por pessoas com deficiência

Brasileiros com deficiência residentes no Japão mostram seus estilos de vida no país do sol nascente

Jhony Sasaki apresenta o programa, “Brasil Oriente”, que é exibido sempre aos sábados pela IPC TV. Neste programa, Jhony Sasaki vai mostrar a história de brasileiros que se superam todos os dias. Você vai conhecer a Dayanne Tanaka, ela tem 31 anos, é mãe de dois meninos e três meninas. Ela é natural de São Bernardo do Campo, São Paulo, e é cadeirante desde 2010. Quando ela tinha 5 anos, seus pais decidiram vir ao Japão em busca de uma vida melhor.

Aqui que ela estudou, fez amigos e passou a infância e a maior parte da adolescência. Dayanne retornou ao Brasil quando tinha 16 anos, e a readaptação ao país de origem foi difícil. Ainda no Brasil, se casou e constituiu família. A situação financeira estava complicada e o relacionamento com o marido não ia bem, por isso ela resolveu retornar ao Japão.

Na Bagagem dessa brasileira, além dos sonhos, ela também trazia a saudades dos filhos que ficaram no Brasil. Dayanne trabalhava e enviava dinheiro para a despesa dos filhos até que um dia descobriu que o dinheiro estava sendo usado para os excessos particulares do ex-marido. Decepcionada, ela resolveu retornar ao Brasil para buscar os filhos.

Mãe dedicada, Dayanne sempre trabalhou o suficiente para não deixar faltar nada em casa e a vida parecia estar entrando nos eixos. Mas no dia 14 de julho de 2010, um acidente de carro mudou o rumo da vida dessa brasileira. Você vai saber como essa mãe guerreira encontrou forças para continuar a sorrir.

Mayumi Palhares, tem 24 anos e é natural de Porto Velho, Rondônia. Ela está no Japão há 11 anos. Ela ajuda a mãe nas tarefas domésticas e nas horas vagas escreve poemas e navega pela internet. Mayumi nasceu com hidrocefalia (acúmulo de líquido no crânio) e ainda bebê, foi submetida a algumas cirurgias e uma delas foi o implante de uma válvula para retirar o líquido do cérebro e diminuir a pressão craniana.

Jhony Sasaki conheceu a pequena Mayumi nas redes sociais e quando ficou sabendo que o sonho dela era tocar bateria com uma banda, resolveu promover esse encontro.

Conhecemos também o Roberto Sasaki, um brasileiro que ficou cego após um acidente de carro. A história de Roberto é inspiradora, pois não se deixou abater diante das dificuldades e estava disposto a superar os próprios limites. Ciente as sua situação, o brasileiro procurou ajuda de uma assistente social para saber como ele poderia ser útil. Mesmo estando aposentado por invalidez, ele não queria ficar parado. Roberto foi orientado a estudar Braile, aperfeiçoar o idioma japonês, fazer reabilitação para poder conduzir a guia e caminhar sem ajuda de ninguém.

Nada disso foi fácil e ele sabia que sua jornada seria longa e solitária. Decidido, o brasileiro foi além e ingressou na Universidade Pública de Tecnologia de Tsukuba, especializada em portadores de deficientes visuais e auditivos. Ele é o único estudante brasileiro deficiente visual no Japão a se formar em uma universidade do país. E as conquistas de Roberto ainda continuam.



Fonte: Dayanne Tanaka e Turismo Adaptado
Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.