12/03/2014

Seleção Brasileira de natação que foi ao Open da Dinamarca desembarca no Brasil com medalhas e recordes

Comissão técnica e nadadores que representaram o Brasil no Open da Dinamarca

A seleção brasileira de natação paralímpica encerrou sua participação no Aberto da Dinamarca (Danish Open 2014) com grandes resultados. Além das mais de 50 medalhas conquistadas pelos nadadores brasileiros, a comissão técnica ainda pôde comemorar a quebra do recorde das Américas nos 100m costas, classe S4, com Edênia Garcia; e do Brasil nos 50m costas S4, com Ronystony Silva. O Danish Open foi realizado em Esbjerg e contou com a participação de 23 dos principais nadadores brasileiros.

O novo técnico-chefe da seleção, Leonardo Tomasello, gostou do desempenho dos atletas, mas ressaltou, principalmente, as quebras de recorde. “Posso destacar a Edênia Garcia, que estabeleceu o novo recorde das Américas na prova de 100m costas , com 1min53s71, classe S4; e o Ronystony Silva, que quebrou o recorde brasileiro dos 50m costas, com 48s66, classe S4”, contou. Edênia nasceu com polineuropatia sensitiva, doença motora que prejudica o movimento de braços e pernas. Ronystony é cadeirante porque sofreu um acidente de bicicleta e lesionou a coluna cervical.

Ao todo, foram 51 medalhas conquistadas no torneio, sendo 40 delas de ouro, oito de prata e três de bronze. As vitórias são reflexo do bom momento da natação brasileira, que alcançou a sexta colocação no último Mundial da modalidade, em Montreal-2013.

Para Tomasello, o balanço da competição em solo dinamarquês foi positivo. Segundo o treinador, as medalhas representam o esforço dos atletas nesta nova fase de treinamento. “Viemos à Dinamarca com o objetivo de nadar muitas provas, complementar nosso treino e fazer a primeira avaliação nessa fase de trabalho. Para nós da comissão técnica, o Open foi ideal para isso, porque foi realizado em boa piscina, e com atletas de alto nível técnico. Estamos voltando ao Brasil com a sensação de dever cumprido”, resumiu o técnico.

Outro nadador que deixou a comissão técnica animada foi Talisson Glock, da classe S6. O catarinense brilhou nos 200m medley. “O Talisson foi o segundo melhor nadador de toda a competição com o Índice Técnico (ITC) alcançado nos 200m medley. Os resultados foram muito bons, principalmente pela fase de treino na qual estamos”, destacou Tomasello.
A seleção ainda nada outros três campeonatos abertos internacionais em 2014. Em abril, o grupo volta a competir no Open Internacional de São Paulo e em um aberto na Holanda. Em agosto, a competição é na Califórnia, nos Estados Unidos.

Esta foi a primeira competição sob o comando de Leonardo Tomasello, contratado em janeiro para conduzir o grupo na preparação para as próximas importantes competições da natação: o Mundial, na Escócia, em 2015; os Jogos Parapan-Americanos de Toronto, em 2015; e os Jogos Paralímpicos do Rio-2016. Além de Tomasello, também foram contratados Felipe Silva e Henrique Oliveira. O trio se juntou aos outros treinadores nacionais do CPB, Alexandre Vieira, Rui Menslin e Marcos Prado, para a melhor preparação dos atletas do Brasil.

As mudanças não se limitaram à comissão técnica. Além de profissionais multidisciplinares contratados pelo Comitê Paralímpico Brasileiro, em janeiro o CPB também deu início às atividades no Centro de Referência, em São Caetano do Sul (SP). A princípio, nove dos principais nadadores do Brasil estão morando na cidade do ABC Paulista e treinando diariamente com Tomasello nas piscinas do Centro Poliesportivo Lauro Gomes e do AD São Caetano. Trata-se de uma parceria com a prefeitura de São Caetano do Sul, cidade que já recebia as semanas de treinamento das seleções paralímpicas principal e de jovens.
A delegação brasileira desembarca no Brasil às 6h desta terça-feira, no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo.

Time São Paulo

Talisson Glock é atleta do Time São Paulo, uma parceria entre o Comitê Paralímpico Brasileiro e a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo que beneficia 41 atletas de nove modalidades.


Time Rio

Edênia Garcia, é atleta do Time Rio, uma parceris entre o CPB e a prefeitura do Rio de Janeiro, que beneficia 20 atletas e quatro atletas-guia.


Comunicação CPB – (imprensa@cpb.org.br)
Daniel Brito
Ezequiel Trancoso (estagiário)
Nádia Medeiros
Rafael Moura
Thiago Rizerio

Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.