04/02/2014

População poderá contribuir com sugestões para inclusão de novas ações ou mudanças para o Plano São Paulo Mais Inclusiva

O São Paulo Mais Inclusiva inclui 70 ações a serem executadas por 20 secretarias municipais até 2016 e subdividi-se em cinco grandes eixos: Acessibilidade; Atenção à Saúde; Acesso à Educação, Cultura e Esporte; Trabalho; e Inclusão Social e Cidadania. Durante a apresentação do Plano, todos os presentes no evento receberam um formulário onde puderam contribuir com sugestões para a inclusão de novas ações e mudanças nas já existentes. Ainda neste mês, o site da SMPED abrirá também para toda população esta mesma possibilidade.

O secretário adjunto municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, Tuca Munhoz, mencionou a importância de envolver diversos atores na construção do São Paulo Mais Inclusiva. “Nós temos uma frase que gostamos muito de usar. ‘Nada para as pessoas com deficiência sem as pessoas com deficiência’. Com o aprendizado que tive na construção deste plano, tomei a liberdade de modificá-la para ‘nada sobre as pessoas com deficiência sem todas as pessoas’. É isso que estamos fazendo aqui hoje, reformulando a cidade de São Paulo com a ajuda de todas as pessoas”.

No lançamento do Programa os secretários municipais promoveram um bate-papo, em que cada um pôde explicar ao público o papel a ser exercido pelas pastas que dirigem. Intercalando com a fala de cada um, a banda da Guarda Civil Metropolitana apresentou diversas músicas de seu repertório.

Para o secretário municipal de Cultura, Juca Ferreira, é fundamental a construção de uma São Paulo mais solidária. “Todas as secretarias que participam tem uma responsabilidade na sua viabilização e a Secretaria de Cultura tem um papel importante de criar essa cultura da inclusão para toda a sociedade”.

De acordo com o secretário municipal de Educação, César Callegari, o grande desafio para a cidade de São Paulo é permitir que cada cidadão possa desenvolver e praticar novos valores de solidariedade e respeito, sendo um agente para a inclusão. Celso Jatene, secretário municipal de Esportes, afirmou que os profissionais que atuam nos centros esportivos serão qualificados para promover a inclusão. 

O coordenador de Projetos de Inclusão da Pessoa com Deficiência do Ministério do Trabalho em São Paulo, José Carlos do Carmo, lembrou também da importância da Prefeitura ter dado o exemplo ao incluir no edital do concurso público para a Guarda Civil Metropolitana a reserva de 100 vagas, o que equivale a 5% do total, para pessoas com deficiência.


Fonte: Prefeitura de São Paulo
Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.