23/01/2014

Pessoas com deficiência estudam a história da arte manuseando esculturas no CCBB-BH

Tato. Visitantes manuseiam esculturas como
parte do projeto Estação Sensorial aberto
no CCBB-BH
O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de Belo Horizonte criou um atendimento para pessoas com deficiências visual e auditiva. Com a inauguração da Estação Sensorial, o visitante tem uma aula sobre história da arte a partir da história da escultura. O participante é convidado a manusear réplicas de importantes esculturas que representam períodos fundamentais da arte, como a Idade Média, períodos clássicos, e outros. Além disso, recebe informações sobre a importância dessas obras manuseadas.
Outra novidade apresentada pelo CCBB é o atendimento a pessoas com deficiência auditiva, disponibilizando um educador em libras.
Segundo a coordenadora do centro cultural, Adriana Xerez, o projeto foi totalmente pensado para auxiliar pessoas com deficiência que desejam ter acesso a obras de arte. “O projeto mostra que o centro cultural é um espaço de todos. A intenção é trazer um panorama da história das esculturas para que os visitantes que tenham a limitação da visão possam perceber, através do tato, como foram as transições das esculturas ao longo do tempo”, explica.
Matheus Rocha, um dos educadores responsáveis por conduzir as visitas às obras, conta como tem sido a experiência. “É gratificante. Como o participante não pode ver a arte, ele já chega aqui no centro cultural com muita vontade de aprender, de entender sobre a obra. Assim, todas as informações passada a eles são bem-recebidas”, disse.
Agenda
O quê. Estação Sensorial do CCBB-BH
Onde.
Centro Cultural Banco do Brasil (Circuito Cultural Praça da Liberdade, 3431-9400)
Quando.
Diariamente, das 9h às 21h, exceto terça-feira. Os serviços com professores de libras para deficientes auditivos acontece apenas pela manhã
Quanto. Entrada franca
Fonte: O Tempo Magazine
Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.