11/11/2013

Campinas inaugura centro de atendimento à pessoa com deficiência

A Prefeitura de Campinas inaugurou nesta quinta-feira (7) a primeira unidade do Centro Dia da Pessoa com Deficiência.
da Redação
O local funcionará como uma espécie de Centro de Convivência que abrigará pessoas com qualquer tipo de deficiência. Elas poderão permanecer no local por um período de 4 a 10 horas e terão acesso a uma série de atividades que vão desde o atendimento com terapia ocupacional, oficinas de dança e artesanato e salão de beleza.

"A intenção é devolver a autoestima às pessoas que têm deficiência e dar uma chance para que o familiar que cuida da pessoa possa se reinserir no mercado de trabalho" , explica a secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, Emmanuelle Alkmin.

A Casa terá capacidade para atender 60 pessoas em dois turnos com atendimento de uma equipe com dez pessoas entre psicólogo, assistente social, terapeuta ocupacional e nutricionista.

Cuidar de pessoas deficientes muda a rotina das famílias. "Muitas famílias têm que reduzir a renda pela metade porque a mãe geralmente para de trabalhar para cuidar do filho. A ideia desse Centro é oferecer uma alternativa para que as famílias possam se reestruturar. Ao mesmo tempo, a ideia é devolver aos deficientes uma autoestima por meio das oficinas", explica Emmanuelle.

A secretária conta que pretende abrir outro centro, mas ainda não há prazo para isso. Antes, afirma Emmanuelle, é preciso fazer um censo sobre a população com deficiência na cidade. "Estamos elaborando o projeto para realizar o censo em 2014", diz.

As atividades do Centro serão desempenhadas pela Organização Não Governamental (ONG) Sorri Campinas, que desenvolve programas de inclusão social, com o objetivo de garantir os direitos humanos, especialmente das pessoas com deficiências. 

"O governo federal vai custear R$ 40 mil mensais, o Estado destinará R$ 20 mil e o município, R$ 10 mil", explica o prefeiro Jonas Donizette (PSB).

A secretária de Cidadania, Assistência e Inclusão Social, Jane Valente, conta que, para pleitear uma vaga na casa, é preciso passar por atendimento no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS). O centro emitirá um laudo e será feito um estudo de casa caso em conjunto com a Assistência Social.

A casa funciona na Rua Rouxinol, na Vila Teixeira. Serão atendidos no espaço pessoas com idades entre 18 e 60 anos. Sete pessoas já estão sendo atendidas no local. Uma delas é Marta Chidoreli, que participou da inauguração do Centro. "Eu estou adorando tudo, até o salão de beleza", disse, com as unhas pintadas de vermelho e o cabelo arrumado em um trança lateral.

Fonte: Correio RAC e Rede Saci
Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.