21/07/2013

Sem Pistorius na pista, Alan Fonteles voa, leva ouro e bate recorde mundial

Na primeira grande competição sem o sul-africano, brasileiro brilha no Mundial Paralímpico de Atletismo e é aplaudido de pé com a marca nos 200m T43

Por Leonardo Filipo - Direto de Lyon, França

Alan Fonteles rouba de Pistorius o recorde mundial  (Foto: Marcio Rodrigues / Mpix / Cpb)
Alan Fonteles não tomou conhecimento dos adversários. Quando apontou na curva, a medalha de ouro já tinha dono. Mas ele queria mais. E não perdeu a oportunidade de riscar o nome de Oscar Pistorius do alto da lista de recordistas mundiais dos 200m classe T43. Agora, quem ocupa este lugar é o brasileiro. Depois de silenciar o Estádio Olímpico de Londres ao cruzar a linha de chegada exatamente na frente do sul-africano, no ano passado, Alan voltou a vencer a prova. Desta vez, no Mundial Paralímpico de Atletismo, em Lyon. E sem ter o astro na raia ao lado - Pistorius está afastado das pistas desde fevereiro, acusado de ter matado a namorada Reeva Steenkamp. Neste domingo, com o tempo de 20s66, Alan foi aplaudido de pé pelo público ao deixar para trás a antiga marca que estava em poder de seu ídolo (21s30).

Quem mais se aproximou do novo recordista de 20 anos foi o americano Blake Leeper (21s78). O alemão David Behre (23s45) completou o pódio. A temporada tem sido boa para Alan. Em junho deste ano, em uma competição em Berlim, ele já havia conquistado o status de homem mais rápido da história dos 100m (10s77).

Nos Jogos Paralímpicos de 2012, Alan Fonteles foi campeão dos 200m T44, superando o favorito Oscar Pistorius. Depois da prova, o sul-africano causou polêmica ao contestar as próteses usadas pelo brasileiro.

Dois dos maiores velocistas paralímpicos do mundo tinham um encontro marcado neste Mundial. Em fevereiro deste ano, porém, Oscar Pistorius trocou as páginas esportivas pelas policiais, ao ser acusado de matar sua namorada. Se em Lyon não havia Pistorius, o adversário foi o relógio. Mas Fonteles diz que não pensava em pulverizar a marca do sul-africano, como fez. 

- Ser campeão e recordista mundial é um sonho que se tornou realidade. Queria apenas ganhar a prova, não pensava no tempo. Quando eu cheguei nos 30, 40 metros finais, comecei a olhar o relógio e vi que ele estava passando muito devagar. Eu estava muito rápido. Fiz a verdadeira corrida contra o relógio. Quando vi o tempo botei toda a minha felicidade para fora.


- Hoje eu sou o cara a ser batido, o Alan Fonteles de Oliveira. Eu me assusto comigo. Não sei até onde chegar. Só Deus vai saber o meu limite. Mas podem ter a certeza de que cada vez que eu entrar na pista vou querer fazer o meu melhor.

Brasileiro deita na pista após comemorar a façanha em Lyon (Foto: Marcio Rodrigues / Mpix / Cpb)
Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.