16/06/2013

Televisão aberta passará a ter 4 horas de audiodescrição por semana

A partir do dia 1º de julho, as emissoras de TV aberta do Brasil serão obrigadas a manter em sua programação, durante 4 horas por semana, os recursos da audiodescrição. A determinação faz parte de uma portaria do Ministério das Comunicações. A exigência atual é de 2 horas semanais.

Voltada às pessoas com deficiência visual, a audiodescrição é a descrição clara e objetiva de expressões faciais e corporais, informações sobre o ambiente, figurinos, efeitos especiais, mudanças de tempo e espaço, leitura de créditos, títulos e qualquer informação escrita na tela. O recurso surge entre os diálogos e nas pausas entre as informações sonoras, mas não se sobrepõe ao conteúdo relevante. Nos aparelhos novos, pode ser encontrado pela sigla AD no menu de configurações.

Apesar de não haver determinação sobre horários ou tipos de programas, há uma boa expectativa de que essa ampliação seja distribuída em novelas, programas humorísticos, jornalísticos, esportivos, infantis, seriados e até nos intervalos comerciais, especialmente no horário nobre.

"É um avanço na luta dos direitos da pessoa com deficiência no Brasil. Na Inglaterra, por exemplo, algumas emissoras já oferecem 50% da programação com audiodescrição, sendo que a lei exige 10%", diz Mauricio Santana, diretor da Iguale, empresa de comunicação de acessibilidade.

No Censo IBGE 2010, cerca de 35 milhões de pessoas declararam ter algum tipo de deficiência visual.

Comercial com audiodescrição:




Empresa: Natura 
Agencia responsável: Peralta Strawberry Frog 
Audiodescrição: IGUALE - Comunicação de Acessibilidade

Sobre a Iguale 
A Iguale Comunicação de Acessibilidade foi a primeira empresa brasileira criada exclusivamente para pensar e desenvolver soluções assistivas completas em comunicação para pessoas com algum tipo de deficiência. Fundada em 2008, em São Paulo, pelo publicitário, professor universitário e empresário Mauricio Santana, a empresa é a precursora do conceito comunicação de acessibilidade no país.


A Iguale foi concebida para oferecer serviços e soluções de acessibilidade em materiais audiovisuais ao mercado brasileiro. É empresa parceira de estúdios e produtoras de áudio e vídeo e agências de comunicação e internet, ajudando-os no desenvolvimento e aplicabilidade de recursos inclusivos como audiodescrição (AD), legendas open caption e closed caption, LIBRAS e acessibilidade para web para os seus clientes.

Propondo-se a estudar as técnicas e os meios para tornar acessíveis os materiais audiovisuais às pessoas com algum tipo de deficiência visual ou auditiva, a Iguale conquistou a expertise que lhe atribui o título de especialista em Comunicação de Acessibilidade. Conceito que consiste na criação, utilização ou adaptação dos meios tecnológicos e assistivos para garantir o acesso às pessoas com algum tipo de deficiência ao conteúdo exibido pelos meios de comunicação e de cultura, nas suas mais diferentes manifestações.


A sua missão é especializar-se de forma contínua nas técnicas que permitam a promoção da acessibilidade, para que as pessoas tenham garantido, com autonomia e inclusão, o direito de acesso à informação, à cultura e ao lazer.

Fonte: Vencer Limites - www.estadao.com e Rede Saci
Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.