12/06/2013

Especial Dia dos Namorados: ‘Não há limite para o amor’, diz casal que se conheceu durante terapia no Piauí

Casal diz que limitação física não pode ser obstáculo para a felicidade
(Foto: Patrícia Andrade/G1)
Vandermauro e Luzinete se conheceram em centro de reabilitação.Casal está sempre junto durante as sessões de fisioterapia.

‘Só existe uma lei no amor; tornar feliz a quem se ama’. A frase do escritor francês Stendhal define o relacionamento de Vandermauro Sousa Costa, 33 anos e Luzinete Sousa, 29 anos. O casal, que se conheceu em um centro de reabilitação de Teresina, no Piauí, durante sessões de terapia, não vê na limitação física um obstáculo para a felicidade. Para os piauienses prestes a completar sete meses de namoro só há uma lei: a de ser feliz.

Vandermauro teve o braço direito e a perna esquerda amputados após sofrer uma descarga elétrica em novembro de 2002. Após algumas cirurgias, ele começou a fazer terapia no Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) e hoje usa uma prótese na perna.

A namorada Luzinete, sofre de polineuropatia, um distúrbio simultâneo que atinge nervos periféricos de todo o organismo. A doença foi uma sequela deixada pela hanseníase que a jovem teve ainda na infância. Só em 2011, Luzinete recebeu o diagnóstico e no ano passado deu início a um tratamento que incluiu sessões de hidroterapia e terapia ocupacional.

Foi entre uma sessão e outra no centro de reabilitação que o casal se conheceu e foi começando ali uma história baseada no amor, dedicação e superação. “Deus colocou ele na minha vida. O Vandermauro me ajuda e eu ajudo ele. Acho que uma pessoa que tem uma deficiência não pode deixar de ser feliz por causa disso. Não há limite para o amor”, disse Luzinete.

FUTURO - “Os planos que faço para o meu relacionamento com a Luzinete são os melhores. Ainda não estamos pensando em casamento. Vamos curtir cada momento da relação”, disse Vandermauro.

Ambos deixaram suas cidades no interior do estado para se dedicar ao tratamento na capital. Longe da família, Vandermauro e Luzinete encontram um no outro o apoio necessário para enfrentar os problemas e a saudade da família. Caseiros, eles revelam que um dos programas preferidos é ver filmes em casa e namorar.

“Ele não gosta muito de sair e eu também passei a gostar de ficar mais em casa. Temos os nossos momentos e aproveitamos bem o tempo que passamos juntos em casa”, contou Luzinete.

O carinho que um demonstra pelo outro chega a emocionar. Mesmo fazendo terapia uma vez por semana, a namorada não deixa Vandermauro sozinho nunca. A companhia durante as sessões de fisioterapia é constante e para ela não chega a ser nenhum sacrifício. No Dia dos Namorados o casal brinca e diz que a data vai ser “bem celebrada”.

Namorados estão sempre juntos durante fisioterapia em Centro de Reabilitação (Foto: Patrícia Andrade/G1)
Fonte: G1 Piauí e Passo Firme 
Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

Seu Comentário é muito importante para nós.